Grande, azul e bonito: Florence and The Machine lança novo disco

Florence_+_The_Machine_-_How_Big,_How_Blue,_How_Beautiful

Um dos lançamentos mais esperados do universo musical acaba de sair do forno. É o álbum How Big, How Blue, How Beautiful, da banda inglesa Florence and The Machine. E se você gosta de música boa, de qualidade, não pode deixar de conhecer.

Florence and The Machine é uma banda bastante conhecida e, inclusive, já passou pelo Brasil durante o Summer Soul Festival, em 2012. Com um estilo próprio, que circula entre o folk e indie, comandado pela voz paralisante da vocalista Florence Welch, eles emplacaram músicas em séries americanas, como Game of Thrones e Smash, produziram remixes com DJs famosos, e estão dominando o topo das paradas com seu último álbum.

How Big, How Blue, How Beautiful (Que grande, que azul, que bonito) traz 17 faixas consistentes em sentimento, ritmo e harmonia. Há opções para refletir, curtir e dançar, o que faz desse trabalho uma excelente alternativa para embalar várias situações do seu dia-a-dia.

O abre-alas “Ship to Wreck”, vem com uma mensagem densa, triste e reflexiva, mas ao mesmo tempo em ritmo contagiante, e, quem sabe, com um quê das batidas do R.E.M., que nos despertam aquela vontade de mexer o corpo e cantar junto.

A faixa que dá nome ao disco fala de uma espécie de fusão entre dois mundos e desencontros, retratando fortemente a marca de Florence and The Machine.

Já “St. Jude” (São Judas Tadeu) revela uma conversa com o padroeiro, uma espécie de diálogo em busca de respostas, de um sentido para a vida e de uma espera por revelações.

Para quem ainda não conhece o trabalho da banda, a Florence sempre interpreta e escreve algumas composições místicas, que relacionam os seus sentimentos à uma força maior, como no caso de “Seven Devils” e “Shake it out”.

E tem romance! O amor e suas armadilhas são retratados na canção “Long & Lost”, que, apesar de meio triste e lamentosa, é bem bonitinha.

“Caught” (Preso) é a balada do disco e fala sobre a dificuldade em se desprender das amarras de um relacionamento intenso. Na nossa humilde opinião, é uma das melhores, com a melhor letra, mais desenvolta, pouco repetitiva e profunda.

A pegada mais eletrônica e animada fica por conta de “Hiding” (Escondendo), que até lembra um pouco do mix da também banda inglesa La Roux. Ouça AQUI, é a segunda faixa da lista.

Não à toa que How Big, How Blue, How Beautiful, recém-lançado, se mantém firme e forte no top music e vem chamando cada vez mais atenção de ouvidos seletivos por aí. Se você gostou, se joga! Ouça e viaje nos hits dessa banda, porque música é vida! Música é equilíbrio.

Anúncios