Vamos falar sobre saúde mental?

Conteúdo original Indiretas do Bem

Tá bem que ultimamente a ~onda~ é ser saudável, e isso é ótimo. As pessoas tão lentamente percebendo que existe hora pra tudo e que uma boa alimentação significa que você pode ter um corpo mais saudável para aproveitar todos os momentos mais importantes da sua vida. E disso se fala sempre.

Pensando nisso, resolvemos (…) falar de um assunto tão importante quanto seu corpinho: sua cabecinha. Que precisa estar alinhada com a sua vontade de melhorar a cada dia, e fazer de todas as suas experiências, experiências com as quais você pode aprender.

É inútil tentar falar sobre todas as doenças mentais aqui, e tudo que você pode fazer para viver bem com elas, então conversei com uma grande amiga, a Larissa, que é dona do blog Falando Sobre Saúde Mental para fazer umas perguntas que podem te ajudar nesse início de batalha –seja sua ou de uma pessoa próxima.

Então vamos lá!

Quando devo procurar ajuda médica?

Lari: Não existe um momento certo. Sugiro procurar ajuda logo no início, quando você perceber que tem algo errado que está te atrapalhando na hora de viver a vida de maneira saudável. Por exemplo, a insônia pode ser um primeiro sintoma que muita gente não leva a sério. Mas também existe aquele medo de ir até um psiquiatra, o não-aceitamento de familiares… Acho que o momento certo é quando você estiver preparado.

charlie

Fui diagnosticada(o), o que muda na minha vida?

Lari: O diagnóstico ajuda no seu tratamento. Ponto. Ele não é uma caixinha que precisa definir toda a sua vida. Quando eu recebi o meu, fiquei com medo porque não era o diagnóstico simples de depressão que eu achava. Acabei lendo muito sobre na interrnet, falando com outras pessoas que tem a mesma coisa… Tente conversar com o seu profissional caso ele te dê um diagnóstico, tire todas as suas dúvidas sobre o que é, como será o tratamento. Você tem sim esse direito.

Se bater o medo (porque bate mesmo), procure associações e grupos e páginas na internet que falem sobre o tema. Mas o diagnóstico não precisa determinar a sua vida, ele não é a sua característica principal. Por exemplo: eu tenho borderline, e o meu diagnóstico me ajudou a entender minhas variações de humor e como eu devo agir nessas situações. Mas eu tento não deixar com que isso defina o resto da minha vida ou que isso tente me controlar.

É sempre bom falar com alguém: mito ou verdade?

Lari:  É meio mito e meio verdade. Depende MUITO da pessoa com quem você fala. Se a pessoa não tem o mínimo de empatia, conversar sobre o que você tem vira tortura. Tente sim falar com as pessoas, mas aquelas que você confie, que tentam te entender. Sou muito a favor de caso você não tenha nenhum amigo ou familiar que te dê essa abertura, existem muitos blogs e grupos no Facebook com pessoas que desabafam e contam o dia-a-dia delas. Conversar com outra pessoa pode te ajudar muito, mas é naquelas né… Nem todo mundo tá a fim de tentar abrir a cabeça.

E se pra isso você precisar de um terapeuta e você sentir que o cara não tá te escutando, não tenha medo de trocar até você se sentir confortável com alguém.

Acho que é uma fase, como faço pra me sentir melhor?

É compreensível que nem todos os dias são bons, existem aqueles dias que colocam todas as nossas ações em questionamento. Nós passamos a duvidar até das pequenas coisas que fazemos, e, mais ainda, daquilo que nos espera no futuro.

diealone

Por isso, você pode tentar uns life hacks pra te ajudar a passar por esses momentos: (1) pratique algum tipo de exercício ou atividade que faça você se sentir bem consigo mesma(o), e aqui vale tudo, desde yôga até dançar pelo quarto sem ninguém olhando; (2) ria de si mesmo. Lembra do primeiro item? Sabe aquela posição de yôga que você não conseguiu fazer ou aquele passo de dança super estranho? Não se frustre, dê risada; (3) saia para esfriar a cabeça, às vezes tudo que você precisa é ver umas pessoas na rua com as quais você talvez nunca converse; (4) sabe aquela playlist de vídeos de gatinhos, cachorrinhos e preguiças? Sabe aquele canal idiota daquele YouTuber engraçado? Agora é a hora!

Minha intenção com esse post era, além de te dar um abracinho e dizer que você não está sozinho, alertar para a importância de identificar um problema e cuidar da sua saúde mental.

Seja numa má fase no seu coração ou algum transtorno maior, cuide-se, afinal de contas um corpo saudável nem sempre representa uma mente saudável, e é sempre bom quando a gente se sente confortável e quentinho dentro da nossa própria casa, né? :)

Anúncios