Bebidas energéticas são reprovadas em teste nutricional

Conteúdo original Women’s Health Brasil

Uma bebida só pode ser considerada energética se tiver como ingrediente principal uma ou mais das seguintes substâncias: inositol, glucoronolactona, taurina e cafeína. Podem ainda ser adicionadas de vitaminas e/ou minerais até 100% da Ingestão Diária Recomendada (IDR) na porção do produto. Segundo a legislação, na lista de ingredientes, devem constar as quantidades de cafeína, taurina, inositol e glucoronolactona, presentes na porção; além disso, é obrigatório que os rótulos contenham algumas informações como: data de validade, denominação de venda, lote, dados do fabricante, modo de conservação, informação nutricional e algumas advertências.

Em avaliação realizada pela PROTESTE Associação de Consumidores, os rótulos das bebidas energéticas mais consumidas pelos brasileiros estão incompletos e/ou apresentam divergências, além de conterem alto teor de açúcar em suas formulações. As 10 marcas líderes de vendas no Brasil testadas foram: Badboy, Burn, Extra Power, Flash Power, Flying Horse, Fusion, RedBull, Red Nose, TNT e V!be.

Dentre todos os parâmetros avaliados, o que apresentou pior resultado foi a veracidade das informações nutricionais. Apenas as contidas na tabela nutricional do produto Flash Power condiziam com a realidade. Os valores nutricionais podem variar e é previsto por lei que os dados tenham no máximo 20% de diferença, no entanto as marcas Red Nose, TNT e V!be apresentam mais de um ingrediente acima deste limite.

Apesar dos limites de taurina e cafeína estarem dentro dos parâmetros estabelecidos, os açúcares totais de todos os produtos apresentam quantidades acima das apresentadas.

Diferentemente de outros testes realizados pela PROTESTE, nenhuma empresa avaliada foi classificada como “Melhor do Teste”, nem “Escolha Certa”. A classificação final de todos os produtos foi considerada apenas satisfatória.

Anúncios