Psoas: o “músculo da alma”

Conteúdo original Mais Equilíbrio

Você sabe qual a função do psoas? Pouco se ouve falar sobre esse músculo, mas ele é de fundamental importância à nossa coluna vertebral. Para quem não sabe, o psoas é o músculo mais profundo do corpo humano! Ele é responsável não só pelo nosso equilíbrio como pela nossa integridade muscular, flexibilidade, força, amplitude de movimento, mobilidade articular e funcionamento dos órgãos.

Ele também é o único músculo que se conecta às pernas. Por estar diretamente relacionado ao cérebro reptiliano – parte mais primitiva e interior do tronco cerebral e da medula espinhal – ele estabiliza a coluna vertebral e fornece suporte através do tronco, formando uma prateleira para os órgãos abdominais vitais. Quem diria que tantas funções viessem de um só músculo!

Reprodução Minha Vida

Outra peculiaridade do psoas é que o músculo é intimamente envolvido com as reações físicas e emocionais básicas. Isso quer dizer que ele afeta tanto a nossa respiração quanto o reflexo do medo. Um psoas contraído, pronto para correr ou lutar, o psoas relaxado e liberado está pronto para alongar e abrir, para dançar. Interessante, não?

Devemos sempre cuidar da nossa estabilidade mental pois quando ficamos tensos ou estressados demais o músculo eventualmente começa a encurtar. Este reflexo acaba nos levando a uma série de condições dolorosas, incluindo dor lombar, dor sacroilíaca, ciática, problemas de disco, espondilose, escoliose, degeneração do quadril, dor no joelho, dores menstruais, infertilidade e problemas digestivos.

Atividades como o pilates e a yoga são capazes de ajudar no desenvolvimento de uma melhor performance do psoas, mantendo-o alinhado e saudável para a manutenção de uma coluna vertebral flexivel e sadia.

Posição para relaxamento do psoas:

  • Passo 1: deitado de costas, deixe a gravidade agir sobre seu corpo.

  • Passo 2: com os joelhos dobrados e pés paralelos, posicione os calcanhares distante cerca de dois palmos dos glúteos.

  • Passo 3: mantenha braços e ombros relaxados ao longo do tronco.

  • Passo 4: mantenha-se nesta posição, em repouso por cerca de 10 a 20 minutos.

Pronto! Aos poucos você vai sentindo a coluna alongando, enquanto relaxa. Vale a pena tentar em casa!

Dores causadas pela pressa: saiba quais são e como evitá-las

Conteúdo original Minha Vida

Quando nos vemos diante de um evento estressante, como uma mudança de trabalho, uma doença de parente ou uma viagem cansativa, é mais fácil perceber como o corpo sente. Mas fatores que enfrentamos no nosso cotidiano também influenciam.

Vivemos com pressa e esse corre-corre tem um preço. Ficamos tensos para acordar e não perder um compromisso, chegar ao trabalho na hora, entregar o trabalho a tempo e assim por diante. Tudo começa com um pequeno desconforto, depois vem uma dorzinha aqui e outra ali, dia sim e dia não até os sintomas se tornaram constantes e repetitivos.

Como o corpo reage à agitação diária

A pressa aciona o sistema nervoso simpático para que o corpo possa responder aos estímulos mais rapidamente. Para o cérebro, esse é o mesmo mecanismo que acionamos involuntariamente quando estamos em uma situação de perigo, preparando o corpo para fugir ou lutar, liberando cortisol e adrenalina pelas suprarrenais. São elas que aceleram batimentos cardíacos e respiração, aumentam a pressão arterial e contraem os músculos.

Essa é uma reação que deveria ser passageira, mas que acaba se tornando corriqueira pela agitação diária. Essa sobrecarga tem consequências que podem ser passageiras ou se tornarem crônicas se continuarmos com esse mecanismo ativo por muito tempo.

O excesso de hormônios acaba sendo tóxico. O cortisol, por exemplo, faz com que armazenemos triglicérides, gordura que altera a insulina e essa resistência pode levar ao diabetes. Você já viu quantas pessoas têm diabetes no mundo? E quantas vivem apressadamente?

O mecanismo ainda diminui a função dos leucócitos, que são as células de defesa, podendo deixar a porta mais aberta para vírus e bactérias.

As liberações repetidas dos hormônios do estresse inibem a liberação de serotonina, substância que ativa os sentimentos de bem-estar. Outros efeitos podem estar associados como o aumento no risco de derrame, alta incidência de dor de cabeça, insônia, mais sensibilidade à tensão pré-menstrual, diminuição do desejo sexual e até impotência temporária.

Disfunções da tireoide, que podem causar variações de peso, problemas de pele, diminuição do desempenho cognitivo, problemas gastrointestinais e até desatenção, quem já não se pegou mais distraído por conta da pressa, não é mesmo? E com a distração surgem quedas e torções. Os ossos ficam mais fracos e os músculos se tornam mais rígidos. A dor nas costas mais comum, chamada de miofascial, ocorre com frequência em quem vive com a agenda lotada. Ou você nunca esbarrou com alguém que está se queixando de ter um nó muscular em uma área que acumulou tensão?

Se por longo prazo, o cérebro se acostuma a receber esses impulsos e, mesmo que o problema já tenha sido resolvido, a dor persiste, é preciso fazer um tratamento para desacostumar o cérebro da dor.

Mudança de hábitos

Mas você pode mudar esse processo e evitar as dores crônicas e os outros efeitos do corre-corre sobre o organismo. É preciso se conscientizar já nas primeiras reações do corpo.

Se desconfortos, como dores na coluna, na cervical e dor de cabeça, já estão mais frequentes é fundamental mudar hábitos para melhorar a qualidade de vida. Comece adotando medidas simples, mas que podem fazer muita diferença:

  • Diminua a ingestão de alimentos que excitam, como o café e o chocolate

  • Reserve um tempo todo dia para fazer uma atividade prazerosa, sem celular na mão, sem redes sociais conectadas

  • Planeje seu dia com intervalos maiores entre as atividades

  • Se tiver a oportunidade, tire uma soneca de 20 minutos, ou simplesmente relaxe o corpo, no meio do dia.

Viver melhor é viver sem dor!

Acúmulo de funções no trabalho e na vida doméstica está afetando a saúde das mulheres

Conteúdo original Pequenas Empresas & Grandes Negócios

Um m novo estudo publicado pela Universidade Nacional da Austrália aponta um aspecto perigoso para as profissionais do sexo feminino: sua saúde está sendo comprometida por conta de longas horas de trabalhos combinadas com as tarefas domésticas. A pesquisa mostra que, por conta do trabalho extra que têm de realizar em casa (na maior parte das vezes sem ajuda de seus companheiros), as mulheres deveriam trabalhar 34 horas por semana. Este, dizem os especialistas por trás do estudo, seria um limite saudável para as profissionais – enquanto o do homem seria de 47 horas.

A verdade, contudo, é que a maior parte dos empregos exigem muito mais do que 34 horas por semana. Dados de 8 mil adultos australianos apontaram que dois terços dos funcionários do país trabalham mais de 40 horas semanalmente.

“Os homens têm uma vantagem que as mulheres não têm. Trabalhar por muito tempo afeta a saúde psicológica e física de qualquer pessoa, porque deixa pouco ou nenhum tempo para que cuidem de si mesmos propriamente”, diz Dr. Huong Ding, líder da pesquisa. “Dada a extraordinária carga de demandas colocada sob os ombros das mulheres, é impossível que elas continuem mantendo uma rotina assim sem comprometer sua saúde.”

Dados da OECD (Organisation for Economic Co-operation and Development) apontam que uma mulher se dedica 4,5 horas às tarefas do lar, enquanto os homens contribuem com menos da metade desse tempo. A professora Lyndall Strazdins, coautor do estudo da universidade australiana, chama essa comparação de “desigualdade de tempo”. “Homens tem uma vantagem de tempo no mercado de trabalho que a mulher não tem”, diz.

Na média, os homens australianos trabalham 41 horas por semana, enquanto as mulheres somam 36 horas. O que a professora acredita, contudo, é que eles conseguem ficar essas horas a mais no escritório porque podem, porque têm menos responsabilidades na vida doméstica.

A diferença de tempo entre a carga de trabalho de um homem e uma mulher pode chegar, então, a 100 horas por ano. A questão é complicada porque pode virar uma faca de dois gumes. Se nós encorajarmos mulheres a compensarem essa diferença de horas, nós basicamente estamos convencendo-as a trocar sua saúde por igualdade de gênero”, diz Lyndall.

A solução, a pesquisadora acredita, é conseguir reduzir a carga horária de homens no trabalho e torna-los mais atuantes na vida doméstica e familiar. “É um processo demorado e difícil porque representa uma grande mudança social.”

“Eu era sedentária até os 35 anos, quando virei o jogo”

Conteúdo original Women’s Health Brasil

Foto: arquivo pessoal

“Não é preciso ser atleta desde criança para competir e ganhar troféus. É só perguntar para Gabriela Giamoniano. Depois de seguir uma vida sedentária por 35 anos, a designer têxtil de São Paulo largou o sofá e passou a se dedicar ao duathlon (modalidade que une corrida e ciclismo). A mudança de hábito gerou tantos comentários das amigas que ela decidiu criar uma página no Facebook para postar suas conquistas, tirar dúvidas e estimular outras mulheres a fazerem o mesmo. “A ‘Atleta Depois dos 35’ é a forma que encontrei de incentivar as outras a, mesmo com a vida agitada do trabalho, encontrar tempo para treinar e se dedicar a um esporte”, diz ela.

Jovem e acomodada

Antes de conhecer o duathlon, Gabi não fazia qualquer tipo de exercício. “Eu era completamente sedentária até os 35 anos – quando virei o jogo! Eu acordava e dormia tarde e me alimentava de qualquer maneira”, relembra. Quem fez ela conhecer o esporte foi seu namorado, Fábio, que usava a bicicleta para se movimentar pela cidade. “Ele foi me ensinando a pedalar – eu não sabia nem trocar as marchas – e fui me arriscando mais, perdendo o medo de andar na rua. Até que passei a usar a bike como meio de transporte.”

Dos passeios na rua, Gabi migrou para as provas. “Como sou muito competitiva, comecei a perceber o quanto era legal ultrapassar outras pessoas, mostrar minha força. Mas meu condicionamento físico não ajudava em nada.” A partir daí, ela decidiu iniciar um treinamento com profissionais para melhorar seu fôlego e ter condições de competir.

Na época, ela sentia o questionamento das amigas. “Sempre falavam: ‘Nossa, você é louca, vai começar a treinar agora, com 35 anos?’ ou então ‘Eu não teria coragem nem tempo, minha vida é muito corrida’. Percebi que as minhas dúvidas eram as mesmas de muitas mulheres que levam uma vida sedentária. Às vezes elas nem imaginam que podem começar a treinar, competir, praticar um esporte”.

Foto: arquivo pessoal

Causa e consequência

O que estimulou Gabi a criar o projeto do blog não foi apenas o estilo de vida das amigas. “Quando encontrei uma pesquisa do Diesporte, percebi que minha voz poderia fazer alguma diferença”, afirma. Ela se refere ao estudo que diz que a maior causa para o sedentarismo no Brasil é a falta de tempo e outras prioridades (estudo, trabalho, família).

“De acordo com o IBOPE Repucom, quando as mulheres são questionadas sobre os motivos que as impedem de praticar atividades físicas, elas citam barreiras emocionais, como medo do fracasso e vergonha. Então decidi montar a página para mostrar o meu dia a dia, mesmo sendo tímida – o que também se tornou um desafio diário.”

Além de incentivar a prática esportiva, Gabi ainda quer mostrar que participar de provas também é saudável. “Competir, ganhar e sentir o orgulho de levar para casa um troféu não é um sonho restrito a quem treina desde a infância. Mesmo depois dos 35 anos, a disciplina e a força de vontade podem render boas medalhas e até mesmo melhorar o desempenho profissional”, conta ela. “E isso em conjunto com o trabalho e os estudos.”

Vida nova e ativa

Hoje a paulistana treina corrida e ciclismo três vezes por semana e, a cada 15 dias, faz um treino técnico de mountain bike nas trilhas. A nova vida ativa influenciou muitas de suas amigas a começarem a olhar a bicicleta como meio de transporte, a investirem na corrida ou na caminhada. “Eu achei tudo isso muito incrível. Senti que estava servindo de exemplo e inspiração para alguém”, diz Gabi. “Tenho uma amiga de Guarulhos (SP) que adora ver minhas fotos, porque assim ela tem vontade de treinar também. Nós mal conversamos, mas estou presente nos dias dela de alguma forma.”

“Hoje me sinto muito mais disposta, me preocupo mais com a alimentação e com horas de sono mais definidas. Fora o fato de ter muito mais fôlego e me sentir mais feliz”, conta. Se notou alguma diferença no corpo? “Sou magrela desde sempre, mas agora minhas coxas estão mais torneadas e minha gordurinha abdominal desapareceu. Está tudo no lugar.”

Antes de abrir espaço em sua rotina para os exercícios físicos, a designer também tinha problemas de ansiedade, como síndrome do pânico, e a prática de esportes a ajudou a tomar as rédeas de sua mente. “Preciso seguir um ritmo para aguentar até o final do exercício, esperar um pouco para a ultrapassagem, treinar com afinco para as provas. Tudo isso exige paciência”, conta. E sempre que ela termina o treino, sente-se muito mais competente e forte por ter conseguido se superar mais um dia. “Quando não treino, me sinto irresponsável, porque eu mesma coloquei as metas e me esforço para conseguir finalizá-las.” E agora não existe mais a história de “não ter tempo pra nada”. “Sinto que basta eu querer algo para arrumar tempo e disposição pra fazê-lo. A idade é apenas um número.”

5 dicas de Gabi para quem quer começar um esporte

  • “Escolha um esporte com o qual você realmente se identifique para sentir-se motivada a fazê-lo com frequência”

  • “Leve em consideração o valor que seria necessário investir para iniciar os treinos. Existem bicicletas bem caras, mas comecei com uma baratinha. E também escolhi a corrida, já que o investimento seria apenas em um bom tênis”

  • “Inicie o esporte com a ajuda de um profissional, porque podem ocorrer lesões sérias se você exagerar ou fizer os exercícios de forma incorreta”

  • “Participe de provas para se manter motivada”

  • “Conheça pessoas que pratiquem o mesmo esporte para tirar dúvidas e estimular você a ir aos treinos”

Carregando seu transporte

“Eu utilizo uma bicicleta dobrável, porque ela pode entrar no metrô e também cabe no porta-malas do táxi. Se eu me cansar ou o pneu furar, é fácil voltar pra casa. Na hora de pedalar, prefira os caminhos com ciclovia e use os equipamentos de segurança, como capacete e lanternas. Faça amizade com outros ciclistas que percorrem o mesmo caminho que você – juntos somos mais fortes. Outra dica: sempre leve uma trava para bicicleta para proteger seu meio de transporte.”

Pular corda como atividade física

Por aqui é a atividade preferida! Confere muita eficiência num curto espaço de tempo, além de ser dinâmica e permitir que nós aproveitemos aquela playlist animadora que levanta qualquer astral! #amamos

Quer aprender também?! Dá uma olhada nas dicas e comece já!

Fonte: Minha Vida

Vale a pena ler de novo: Manter o corpo hidratado é importante (e possível), sim!

“Mudaram as estações, nada mudou, mas eu sei que alguma coisa aconteceu…” Você também sabe o que acontece quando muda a estação, nesse quase meio de ano? Ressecamento! As temperaturas abaixam, a gente se esconde sob camadas de roupa e esquece de passar hidratante, pomada, balm e até de beber o mínimo de água indicado, o que é essencial, mais do que para a estética, para a saúde do nosso corpo.

0009762162Z-565x849

Às vezes a gente é meio relapso com informações importantes, como lembrar que a pele também é órgão do corpo – o maior deles. E que cuidar dela também é uma questão de saúde.

O fato de ela estar por fora, revestindo todos nós, dá ainda mais relevância às suas funções. Isso porque ela atua, noite e dia, sem descanso, como uma espécie de escudo, que nos protege de doenças, contágios e infecções bacterianas e fúngicas.

Manter a pele hidrata permite que essa barreira cutânea mantenha-se sempre íntegra, sem fissuras ou descamações (que a gente enxerga como o aspecto ressecado), impedindo a entrada de micro-organismos e enfermidades indesejados.

E olha que o cuidado tem que ser caprichado, viu?! Porque cada parte da nossa pele exige um tipo de manuseio, produto e procedimento. Mas não se desespere, estamos aqui para te ajudar a hidratar-se por completo e mostrar como fazer tudo isso sem sofrimento.

Vale ressaltar que estas são indicações para pessoas que não sofrem de nenhuma irregularidade na pele. Se você tem pele sensível, restrições médicas ou algum tipo de histórico relacionado a questões dermatológicas, consulte um dermatologista antes de sair experimentando qualquer produto. Lembre-se: cuidar da pele também e cuidar da saúde!

Corpo

naked-459711_640

Começaremos pela parte mais extensa. Hidratar a pele do corpo é tarefa obrigatória e também das mais chatas. Isso porque a gente vive apressado, esquece, quando lembra que tinha que passar o hidratante já vestiu a roupa, uma loucura.

Fora que nos dias mais frios é uma tortura sair do banho quentinho e encarar um besunte de hidratante gelado (quem nunca?). Já verão é pavoroso ficar melecado e grudento, com o produto se misturando com o suor; dá vontade de tomar banho de novo e ficar lá até o tempo refrescar.

Graças à tecnologia, hoje há produtos que resolvem o problema nas altas e baixas temperaturas e ainda mantém a umidade da pele sem perrengue: os hidratantes de banho.

0006611819R-565x849

No mercado há diversas marcas, com preços diversos e acessíveis. Não tem mistério: você deixa no banheiro perto do sabonete, toma seu banho como de costume e, depois do enxágue, aplica delicadamente o hidratante do pescoço aos pés, deixa agir pelo tempo indicado na embalagem e lave. Está feito! Corpinho hidratado, sem dificuldades.

Para quem tem pele normal a oleosa, esses produtos funcionam muito bem. Porém, para peles secas ou ressecadas, o ideal é complementar essa hidratação com um produto tradicional, que deve ser usado no corpo seco, de acordo com o tipo e a necessidade da pele. Aqui tem uma seleção bem bacana.

Rosto

0008210534H-849x565

A pele do rosto pede um carinho a parte. Normalmente ela é mais sensível e fica mais exposta do que o resto do corpo, protegido pelas roupas. Ela exige atenção durante o ano todo, afinal, mesmo nos dias mais nublados, a radiação solar está presente.

Muita gente não se preocupa com a hidratação do rosto, mas ela tem o seu valor. Isso porque a exposição do rosto ao ambiente, faz com que a pele seja bombardeada por todo o tipo de coisa (poluição, efeito solar, ar seco etc.). E com o tempo, a tendência é que a pele perca sua umidade natural e a elasticidade, o que a deixa com uma aparência mais enrijecida e marcada.

0006358930R-849x565

Quem maquia a pele diariamente pode se aproveitar dos benefícios dos produtos multifuncionais, como os BB, CC e DD Creams, que hidratam, protegem e disfarçam as imperfeições.

Às que preferem a cara limpa, não é difícil encontrar cremes, gel e loções para essa área. O importante é evitar os produtos com álcool (que tendem a ressecar e sensibilizar) e buscar aqueles específicos para o seu tipo de pele. Se faltar tempo, ou paciência, para esse procedimento durante o dia, as versões noturnas podem ser as ideais.

Os homens também podem se beneficiar com os efeitos de produtos direcionados e mesmo com os prés e pós-barba, que têm, cada vez mais, se atentado à importância e necessidade de cuidados com a pele masculina.

Lábios

É na temporada de outono-inverno que eles gritam mais. E manter os lábios hidratados nessa época pode ser um desafio, ainda mais com a onda dos batons matte para a mulherada (que tendem a ser mais secos).

Aqui o segredo é ter disciplina. Lembrar de aplicar, e reaplicar, um produto hidratante e, muito importante, remover o batom dos lábios antes de dormir – dá preguiça, mas manter resíduos de batom impede que a pele do lábio respire e pode causar uma série de reações, desde alergias a graves descamações e rachaduras.

A grande maioria dos batons, principalmente os cremosos, e glosses possuem efeito hidratante de fábrica, alguns até com um plus de proteção solar. Então, nesse caso, cabe a você eleger um preferido e manter o uso constante, tomando os devidos cuidados de remoção.

Mesmo quem não gosta de cor encontra várias opções de balms, incolores ou que dão uma leve nuance de cor, com a função de hidratação e proteção. Além das queridas e eternas manteigas (de cacau ou não), que servem muito bem a homens e mulheres – homem também tem que cuidar dos lábios!

Mãos e Pés

0009281478D-565x849

Você sabia que as cutículas também são portas de entradas para bactérias, fungos e outros minúsculos organismos nocivos à saúde?! Pois é! E isso pode ser evitado com a hidratação regular das mãos (além das precauções na manicure), que evitam as fissuras, descamações e rachaduras nessa região.

Com os pés a história não é diferente. E não é porque ele tende a ficar escondido nos sapatos fechados, e ninguém está vendo, que deve ser deixado de lado. Eles também precisam de hidratação e proteção.

feet-657207_640

Para nossa alegria e facilidade, há no mercado algumas marcas, não caras, direcionadas à hidratação de ambas as partes, pés e mãos, num mesmo produto. Isso é muito prático, em capital e espaço, e ainda pode te ajudar a não esquecer de cuidar nem de um nem de outro.

Comprar produtos separados em kits é uma boa para quem busca eficiência e economia. Empresas como a Natura, Avon e Boticário, por exemplo, produzem hidratantes para pés e mãos de excelente qualidade e, quando comprados juntos, fazem a diferença no bolso.

Hidratação interna

E, para arrematar a hidratação com chave de ouro, não podia faltar a substância mestra: a ÁGUA. Não adianta, gente, tem que beber água! Você pode fazer todos os tratamentos estéticos, mergulhar em produtos incríveis, mas, se não beber água, os resultados podem não sair como o esperado.

E isso tem uma explicação óbvia: nosso corpo externo, a aparência, é o resultado do que acontece por dentro, no interior. Então não tem como manter a pele bonita sem beber água, o cabelo bonito sem beber água, as unhas fortes sem beber água.

O nosso corpo precisa de água, é composto por água, e não tem discussão. Nem desculpas. Até aquele esfarrapada do gosto (que eu sinceramente não consigo entender) tem solução. A internet está bombada de receitas e métodos de saborizar a água com frutas e ervas, assim como aplicativos, como esse, para derrubar qualquer motivo contra a hidratação.

É hiper importante, é essencial, é a sua saúde em jogo.

Dicas

Depois de tudo isso exposto, cabe a você aí fazer a lição de casa e cuidar desse órgão tão precioso que é a pele. E, para te salvar da confusão mental de tanta informação, aqui vão algumas dicas na hora de fazer as suas escolhas:

  • Os produtos que hidratam são aqueles que contém óleos vegetais, manteigas vegetais, ácido hialurônico, ceramidas e ureia – substâncias que impedem a perda excessiva de água através da pele, deixando-a sempre hidratada;
  • Áreas com mais pelos, como por exemplo, o rosto, braços e o couro cabeludo, geralmente são mais oleosas – mas, por outro lado, áreas mais enrugadas como joelhos e cotovelos são costumam ser mais ressecadas. Nesses casos, a pessoa pode recorrer a hidratantes, vaselina ou até manteiga corporal, mas sempre de acordo com sua pele e situação;
  • Ao tomar banho, evite ficar muito tempo debaixo do chuveiro, evite água muito quente e também o uso da bucha ou sabonete em excesso, que pode tirar a gordura que protege a pele;
  • Use sempre protetor solar: no corpo e um específico para o rosto, sem esquecer de também contemplar o pescoço e o colo.

Fonte das Dicas: Bem Estar

Dicas para conviver melhor com a menopausa

Conteúdo original Mais Equilíbrio

A menopausa é um acontecimento inevitável para mulheres entre 35 e 55 anos, por conta do fim dos ciclos ovulatórios. Vale lembrar que menopausa é o nome dado à última menstruação, e após esse fato, o período que se segue chama-se climatério.

É justamente nessa fase que surgem diversos sintomas, os quais para algumas mulheres acabam interferindo bastante no dia a dia, como calores ou fogachos, distúrbios do sono, alterações de humor, memória fraca, dificuldade de concentração, queda de cabelo, entre outros.

Entretanto, algumas dicas são muito importantes para a manutenção da saúde hormonal, ajudando assim a conviver melhor com a menopausa.

Vitamina D

Baixos níveis de vitamina D estão ligados a um maior risco de fraturas após a menopausa. Nosso corpo produz esse nutriente quando exposto ao sol pelo menos 40 minutos ao dia; porém sabemos que nem sempre isso é possível. Portanto, vale procurar um suplemento de boa qualidade.

Água

A desidratação pode afetar o sistema nervoso, o que provoca as ondas de calor. Por isso o organismo precisa de água para ajudar no seu processo de desintoxicação dos rins, fígados e sangue. Outra dica: se estiver com fome, beba água. Muitas vezes o que entendemos por vontade de comer é apenas nosso corpo pedindo por hidratação.

Controle de peso

Cerca de 90% das mulheres ganham peso no climatério por causa das mudanças hormonais, ligadas ao aumento do cortisol e diminuição do estrógeno, progesterona e testosterona. Por isso, faça exames periódicos e mantenha o peso em uma faixa saudável.

Coma para se sentir bem

Uma alimentação balanceada em carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais é crucial para uma boa saúde, e consequentemente, para o peso em dia também. Adicione ao cardápio fitoestrógenos também, presentes em alimentos como a soja, lentilha e broto de alfafa.

Reposição hormonal

Os principais hormônios alterados após a menopausa (estrogênio, progesterona e testosterona) são importantes na proteção do cérebro, coração, ossos, bem como desejo sexual. Por isso, fazer a reposição desses é como dar uma renovada na vida, e se puder optar por produtos naturais, melhor ainda.

Exercícios

Praticar atividade física é bom para todos e em todas as idades; após a menopausa ajuda a manter o peso, além dos níveis de insulina e estrogênio. Fora que a endorfina produzida durante os exercícios ajuda no humor e sensação de bem estar.

Plástico

Evite recipientes de plástico ao cozinhar e armazenar alimentos, pois alguns podem conter substâncias semelhantes ao estrogênio sintético, o que acaba atrapalhando o sistema endócrino.

Xô stress

Trabalho, família e questões financeiras causam estresse, o que pode neutralizar a produção de hormônios. Por isso, tire um tempo pra você, tome um banho quente, faça uma massagem e durma o suficiente para aliviar qualquer sentimento de ansiedade.

Comece a se cuidar cedo

Está longe de entrar na menopausa? Não tem problema, comece a fazer hoje várias mudanças na sua vida, que mais tarde você vai agradecer a si mesma. Seja gentil com seu corpo: coma alimentos naturais, movimente-se, descanse e principalmente, sorria muito. (: