Tag: academia

Saiba treinar em academias de condomínios

Conteúdo original Mais Equilíbrio

As academias dentro dos condomínios não param de crescer. Atualmente, cerca de 90% dos novos empreendimentos deverão contar com uma academia de ginástica. Até mesmo os prédios mais antigos estão conseguindo se adaptar para ter esse espaço de bem-estar. No entanto, será que todas as pessoas estão preparadas para usar estes espaços?

A preocupação com as academias em condomínios se deve ao fato de nestes locais existir um público heterogêneo, como adolescentes, adultos, pessoas na terceira idade ou mesmo com algum problema de saúde ou restrição médica. Além disso, no geral, os condomínios não possuem programa ou professor de educação física para dar a orientação necessária que envolve avaliação, prescrição e acompanhamento das atividades.

Essa tendência das academias em condomínios é alimentada pelas dificuldades ligadas à falta de tempo das pessoas em se dirigir a uma academia convencional – em geral, as pessoas que não gostam de academia, não têm tempo ou colega com quem deixar os filhos. O único obstáculo que não dá para alterar é a “preguiça”.

Para quem não tem um personal trainer exclusivo, a disciplina exige muito mais comprometimento do atleta. Geralmente, essas academias em condomínios contam com esteiras, bicicletas, elípticos, estações de musculação, pesos livres e outros acessórios, como bancos, anilhas, barras, bolas, etc. Existem algumas que são compatíveis com uma academia convencional, mas a maioria tem uma estrutura menor, o que não é impeditivo para a realização de um bom trabalho que proporciona os resultados esperados.

Todavia, para quem pretende começar a usar a academia dentro do seu condomínio, alguns cuidados básicos devem ser tomados.

1. Faça um bom check up médico

O aval de um especialista é indispensável. Naturalmente, não pode ser um simples exame de rotina, mas, sim, um laudo detalhado com eletrocardiograma, testes de esforço, nos quais serão observadas as alterações do coração e da pressão arterial de repouso, esforço e recuperação.

2. Use trajes adequados

Uma roupa inadequada pode limitar movimentos e causar acidentes. Por isso, não deixe de usar tênis e vestuário elástico.

3. Não se empolgue demais

A atividade física tem um caráter muito subjetivo. É bem comum as pessoas terem uma percepção de intensidade, mas o corpo responder de outra maneira. Isso acontece quando fazemos exercícios achando que a carga está muito leve e aumentamos o peso. Uma semana depois as dores no corpo evidenciam o erro. Por isso, para manter a segurança vá devagar e respeite seus limites.

4. Saiba usar a esteira

Toda esteira tem um dispositivo de segurança que deve ser fixado na camiseta do usuário. Se essa pessoa se afastar muito da zona de segurança o dispositivo será acionado e a esteira irá parar de funcionar automaticamente.

5. Evite treinar sozinho

Ao contrário de uma academia normal, que sempre tem gente, a do condomínio, às vezes, pode não ter. Por isso, por segurança procure treinar em horários que tenha pelo menos mais uma pessoa.

6. Se nunca treinou

Em casos de pessoas que nunca praticaram atividades físicas, não é recomendado se aventurar antes de consultar um personal trainer.

7. Hidratação

Observe se na academia há ou não bebedouro. Caso não haja, leve uma garrafa com água e se hidrate antes, durante e depois da atividade.

Confira dicas para seguir uma alimentação saudável no inverno

Conteúdo original Revista Suplementação

Com a chegada do inverno e, consequentemente, das temperaturas mais baixas do ano, o organismo gasta mais energia para aquecer o corpo e neutralizar a diferença climática. A consequência disso é que as pessoas sentem mais fome durante essa estação. Segundo Cyntia Maureen, nutricionista e consultora da Superbomempresa alimentícia especializada na fabricação de produtos saudáveis, deixar de consumir saladas e frutas, diminuir a ingestão de água e incluir ingredientes calóricos na alimentação, são algumas práticas erradas, porém comuns durante o período.

“O consumo excessivo de alimentos mais gordurosos por conta do frio pode aumentar o colesterol e o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, além de causar o aumento de peso”, alerta. A especialista ainda destaca que, pelo fato de serem frescas, muitos acabam deixando as frutas e verduras de lado. “As frutas e hortaliças são fontes de minerais e vitaminas, o que é importante para o bom funcionamento do sistema imunológico e prevenção da gripe, resfriado e problemas respiratórios, muito comuns na estação”. Uma dica da nutricionista é utilizar a criatividade como, por exemplo, colocar raspas de limão nas preparações.  “Já os legumes podem ser cozidos no vapor ou refogados e temperados com ervas frescas”, complementa.

Para a prevenção de doenças, Cyntia lembra que o mel pode contribuir para elevar a imunidade. “O mel, além de combinar com o inverno, é um dos produtos que fortalecem o sistema imunológico e a resistência do organismo, além de fornecer energia ao corpo. Ainda é um excelente antisséptico e antibiótico”. A consultora da Superbom também destaca que, por motivos óbvios, o consumo de bebidas quentes aumenta no  inverno. O café é consumido em grande quantidade. Porém, as pessoas nem sempre conhecem os malefícios que a bebida pode trazer à saúde. “O café é um estimulante que pode causar dependência similar à de drogas. O produto ainda agrava problemas de saúde como a gastrite, especialmente em pessoas idosas. Por conta disso, recomendamos o consumo de produtos alternativos, como a cevada, que tem um sabor semelhante, mas sem nenhuma contraindicação”.

Para a nutricionista, as sopas podem ser ingeridas sem medo contanto que sejam feitas com legumes. Os caldos também são boas opções, mas para incorporar o alimento, a orientação é utilizar inhame, batata doce ou mandioca em detrimento  da batata. “Eles são digeridos mais lentamente pelo organismo e isso traz várias vantagens, como não elevar tanto os índices glicêmicos e dar sensação de saciedade por mais tempo”.

Por fim, mas não menos importante, está a realização de atividades físicas, em conjunto com os hábitos alimentares adequados e saudáveis.  “O frio potencializa a vontade de ficar em casa em baixo do cobertor em vez de ir à academia. Portanto, tenha foco, força de vontade e estabeleça uma rotina de exercícios para que o metabolismo do corpo não desacelere. Assim, os indesejados quilinhos a mais podem ser evitados durante o inverno”, conclui Cyntia.

Fonte: Cyntia Maureen

App: BTFit é gratuito, dinâmico e eficiente

BTFIT

Fazia tempo que não rolava resenha de aplicativo por aqui, não é mesmo?! O lado bom, é que, nesse período de ausência, surgiram alguns apps que valem muito a pena serem compartilhados e que, de fato, vieram para somar e facilitar nossas vidas. Um exemplo disso é o BTFit, uma ferramenta para treinamento funcional gratuito que pode ser executado em qualquer lugar.

Para quem já está fazendo conexões mentais, nós sanamos as dúvidas. Sim, a sigla BT é uma contração, para não dizer marca registrada, da rede Body Tech de academias, mega conhecida e frequentada pelo país inteiro, incluído celebridades e personalidades da mídia/ redes sociais, como as musas fitness Gabriela Pugliesi  e Juju Norremose e a jornalista global Varuska Donato.

Veruska Donato e Gabriela Pugliesi - Reprodução Instagram
Veruska Donato e Gabriela Pugliesi – Reprodução Instagram

Mas, não se desespere. A grande sacada do BTFit é que você não precisa ser aluno da academia para usar. Ele dá acesso gratuito a aulas coletivas diariamente, que ficam disponível até às 23h59 de cada dia. Todos os dias o aplicativo disponibiliza novas aulas, sem necessidade de atualização, em  quatro categorias de exercício: Abdominal, 20 Minute Workout, Dança e Mat Pilates.

Aulas coletivas

As aulas coletivas nada mais são do que vídeos de aulas gravadas em estúdio, com o personal do dia, são vários que se alternam dentro das categorias, e auxiliares, que acompanham e executam os movimentos como alunos. São abertas a todos os usuários do aplicativo e duram cerca de 20 minutos.

BTFIT Coletivas

Os vídeos são muito bem produzidos e a gente se sente como se estivesse mesmo em uma aula presencial de academia. Isso porque os profissionais são super atenciosos e têm total domínio do programa. Explicando melhor: eles dão dicas durante todo o treino de postura, respiração, como adaptar o exercício de acordo com a sua dificuldade (como fazer se está difícil ou como potencializar quando está fácil demais). Além de nos incentivarem a não abandonar o treino ou desistir do movimento.

Foi um formato tão bem pensado e usa profissionais realmente preparados, que, às vezes, você tem a sensação de que está sendo assistido. Os professores sabem o momento que você arrega e lhe dá aquela chamada pra voltar, sabe quando você começa a entortar e fazer errado e lhe corrige. Eu, como usuária, fiquei surpresa e virei fã. Quebra aquela distância e monotonia de interagir com o celular ou tablet e torna a experiência mais humana e real.

Como funciona

Como são vídeos, há todo aquele inconveniente de carregar e baixar o arquivo. O positivo aqui é que o vídeo fica hospedado no próprio aplicativo e, uma vez baixado, fica lá. Caso a aula venha a se repetir, você já terá o vídeo baixado e aula disponível, sem perda de tempo.

BTFIT perfil

A proposta do aplicativo é servir como um personal online mesmo. Então, além das aulas, você pode preencher seu perfil, com seus dados pessoais e medidas e ir atualizando e acompanhando seu progresso durante o uso. As aulas também são contabilizadas no seu perfil, que tem um medidor diário, em minutos e calorias. Como incentivo, o aplicativo lhe oferece conquistas, medalhas e estrelas a cada evolução que você faz, como completar algumas aulas, manter a periodicidade, gastar mais calorias etc.

O chato é que para as aulas serem válidas no seu perfil, é preciso baixar os vídeos das aulas, não somente carregar e assistir, e participar da pesquisa de dificuldade no final do treino, que pode ser fácil, na medida, ou difícil. Digo que é chato, porque você acaba dependente do plano de dados, da velocidade da internet e de outras adversidades. Cada vídeo tem, em média, 70mb. Por isso, dependendo de como é a sua relação com a internet, é bom se planejar para que a malhação não seja um aborrecimento.

Personal Trainer Online

 

Para quem quer um treinamento exclusivo, pensado para você, de acordo com as suas necessidades e objetivos, além das aulas coletivas, há a possibilidade de usar o Personal Trainer Online. É mais uma ferramenta dentro do aplicativo, paga, em planos semanais (R$14,99) ou mensais (R$95,99), onde um profissional do grupo Body Tech monta uma grade de treino e faz o acompanhamento da sua evolução.

Se você tem dúvidas se vale ou não a pena pagar pelo serviço, pode experimentar gratuitamente por 30 dias. Não sei se nessas condições há alguma contrapartida que obrigue algum pagamento condicional posterior, tipo usar os 30 dias e ter que assinar pelo menos uma semana. Não testei essa ferramenta, então, como a Glória Pires, não sou capaz de opinar. 😛

BTFIT Personal

Os Treinos

Venho usando o BTFit como complemente ao meu treino por, mais ou menos, um mês. Sou aluna regular do 20 Minute Workout e fiz algumas aulas de Dança. Ainda quero experimentar as duas outras categorias. A minha impressão do que testei até agora é bastante positiva. Com exceção da Dança que, para mim, é mais leve, não tem uma aula em que eu não termine pingando de suor.

Sinto bastante intensidade, apesar da curta duração. São 20 minutos matadores. Em geral, eu considero as aulas moderadas, porque, mesmo exigindo bastante, não é nada que eu não consiga fazer. E tem efeito, gente. No dia seguinte, tudo fica dolorido, como se tivesse ido para musculação mesmo.

O bacana é que não é repetitivo, ainda que se trabalhem os mesmos grupos musculares, os movimentos são diferentes a cada aula. Para quem não gosta de malhar ou está começando, as aulas de Dança são bem interessantes. Já quem curte uma vibe mais zen, tem o Mat Pilates, que ainda não fiz, mas já dei uma olhada e parece ser bem efetivo. É legal porque você pode variar, combinar mais de uma aula, intercalar com a academia, fazer no final de semana, enfim.

Aula de workout da professora Fernanda Manhães
Aula de workout da professora Fernanda Manhães

Eu gosto muito, virou um queridinho e já faz parte da minha rotina. Não exige equipamentos, a não ser um colchonete, água e toalhinha. Recomendo super. Se você não tem tempo, não curte o ambiente da academia, tem vergonha ou não sabe por onde começar, o BTFit resolve seus problemas. Não tem mais desculpas.

Claro que a indicação é que você procure um médico para indicar se está apto ou não para fazer atividades físicas. O próprio BTFit, ao primeiro acesso, possui um formulário rápido de triagem a fim de reconhecer se você deve ou não utilizar o aplicativo sem riscos a sua saúde. É um app gratuito e está disponível para dispositivos Android e iOS. 

Experimente e venha contar o que achou! Vale ressaltar que este post não é publicidade, é uma opinião de usuária, livre de qualquer interferência. 😉