Tag: alimentar

Microbioma intestinal: como o intestino afeta a saúde geral

Microbioma intestinal: como o intestino afeta a saúde geral

O microbioma intestinal humano é uma coleção complexa de micro-organismos que vive dentro de nosso aparelho digestivo. Em termos de números puros e diversas espécies de bactérias, o grupo presente no estômago é o maior em qualquer outro lugar do corpo. Podemos transportar até 2kg de micróbios no intestino humano e, nesses trilhões de microrganismos, pode haver milhares de espécies com milhões de genes. Cerca de 2/3 da flora intestinal é destinada unicamente para esses indivíduos.

A maioria das pessoas acha que a linha de comunicação entre o intestino e o cérebro é uma via de mão única: da cabeça para baixo. Pense em todos as expressões associadas a essa parte do nosso corpo que não podemos realmente ver ou sentir: intestino, instinto, intuição etc. Engraçado, temos essas expressões antes mesmo de entendermos a conexão entre o intestino e o cérebro.

Em termos gerais, o intestino e o cérebro são conectados por um labirinto de neurônios, substâncias químicas e hormônios que constantemente se chocam, como supercomputadores. Acredita-se que muitos estados emocionais tenham começado na mente e sejam sentidos no estômago – mas podem ser gerados no estômago, em vez de apenas manifestados ali. Essa pode ser a maneira como o estômago é chamado de nosso “segundo cérebro”.

Então, onde estão todas as bactérias no intestino?

Tradicionalmente, os cientistas supunham que fomos colonizados por bactérias no nascimento. Mas alguns cientistas encontraram evidências de bactérias na placenta, no líquido amniótico e no mecônio, o que levou os pesquisadores a pensar que o microbioma poderia ser colonizado antes do nascimento. Independentemente de quando o microbioma humano é colonizado, isso acontece muito cedo, então as bactérias são uma parte crucial de quem somos.

Em suma, o microbioma intestinal é composto por trilhões de microrganismos (e seu material genético) que vivem dentro do trato intestinal. Muitos consideram essas bactérias essenciais para a saúde e o bem-estar humanos. Eles digerem comida. Eles ajudam a absorver e sintetizar nutrientes. Mas o alcance deles se estende muito além da barriga. Pesquisas crescentes sugerem que elas podem influenciar o metabolismo, o peso corporal, o sistema imunológico, as funções cerebrais e até mesmo o humor.

Como mencionado, as composições da microbiota intestinal humana são individuais. Mas como um tipo sanguíneo, existe uma teoria de que muitos de nós pertencemos a um certo enterotipo – essa é uma maneira de separar as pessoas com base nos tipos de bactérias que estão presentes em suas entranhas. Isso pode ser um pouco simplificado, mas é um começo para entender as diferenças e semelhanças nessa vasta gama de bactérias.

Bactérias são parte de nós. E assim como qualquer relacionamento com um organismo vivo, o modo como nos importamos com elas tem um impacto no resultado desse nosso relacionamento. É menos sobre o que nossas bactérias podem fazer por nós e mais o que podemos fazer por nossas bactérias, para nos manter saudáveis.

Coma fibras

Dizem que você é o que você come. E é definitivamente verdade quando se trata de saúde intestinal. Os micróbios no nosso intestino podem afetar a maneira como nossos corpos armazenam nutrientes, usam açúcar, controlam o apetite e regulam o peso.

Um exemplo interessante é a fibra. Algumas bactérias digerem fibras, resultando na produção de ácidos graxos de cadeia curta (como o butirato), que são fundamentais para a saúde intestinal. A fibra pode ser um fator importante na regulação do peso e pode até diminuir o colesterol. Há uma relação direta entre o que é consumido, mudanças resultantes no microbioma e os efeitos no peso, metabolismo e saúde.

Coma alimentos diversos

Geralmente, um microbioma intestinal diverso é considerado saudável. É como um jogo de números; quanto mais espécies de bactérias viverem no seu organismo, maior o potencial que elas têm para proporcionar benefícios à saúde. Como se obter um microbioma diverso? Seguindo uma dieta de alimentos diversificados.

Coma frutas, legumes, feijões e leguminosas. Experimente: alcachofras, grão de bico, mirtilos e brócolis. Grãos integrais também fazem parte de uma dieta diversificada, contendo grandes quantidades de fibras.

Saúde intestinal para uma melhor saúde geral

Novas descobertas estão sendo feitas o tempo todo e mostram que a funcionalidade saudável do intestino pode afetar a saúde e a função de todo o corpo. Mesmo que tenhamos feito grandes progressos, ainda há muito a aprender.

Costuma-se dizer que você deve tratar seu corpo como um templo. Considere-o mais como um navio. Você está em uma jornada e as bactérias vivas no seu corpo são a tripulação que lhe ajuda a impulsionar a viagem.

Este artigo foi originalmente publicado pela HVMN.
Fotos HVMN e Unsplash

Em Santos/SP: Workshop Gratuito sobre Alimentação Inclusiva

Em Santos/SP: Workshop Gratuito sobre Alimentação Inclusiva

Se você é de Santos, SP, ou estará pela cidade neste final de semana, poderá assistir a um workshop gratuito sobre alimentação inclusiva, voltado às restrições alimentares e a maneira saudável de se alimentar. Além de toda a informação do tema, os participantes também terão uma aula que ensinará uma receita de pizza.

A responsável pelo compartilhamento das informações é a chef Vanessa Mello, do Sabor e Saúde. Dentre os tópicos, será abordada a não inserção de ingredientes e substâncias como o colesterol, glúten, a soja, corantes, açúcar branco, lactose e leite na totalidade na rotina alimentar.

A atividades é aberta ao público que busca a alimentação saudável como estilo de vida e, em especial, àqueles com restrições: alérgicos, celíacos, diabéticos e hipertensos.

O evento será no próximo sábado, dia 16/9, é gratuito e os interessados devem chegar com meia hora de antecedência, pois há limitação de lugares. O endereço é Rua Doutor Suplicy, 83, Gonzaga, Santos. Para maiores informações, entre em contato com a loja Terra Madre, sede do workshop, no telefone (13) 3321-6377.

Dicas para emagrecer depois dos 40 anos

Conteúdo original Minha Vida

Muitos já devem ter escutado a frase “antes tarde do que nunca”. O famoso dito popular se aplica a diversas situações, inclusive à vida saudável. Se você tem mais de 40 anos e pensa que é tarde para começar a se alimentar melhor ou exercitar, precisa repensar no assunto.

exercise-1838991_960_720

Em entrevista ao Daily Maily, o médico e professor de Oxford Ruir Gray revelou que se livrar de maus hábitos – mesmo depois dos 40 anos – pode ajudar a ter uma velhice mais saudável. Além disso, mostrou a importância de ter uma alimentação saudável, rica em frutas, verduras, legumes, oleaginosas, grãos e outros alimentos.

O professor falou também sobre os malefícios das comidas industrializadas, causando um aumento da obesidade mundial e podendo causar diversas doenças, como acidente vascular cerebral, diabetes tipo 2, doenças cardíacas, pressão alta e alguns tipos de câncer. Confira 12 dicas simples que ajudaram a perder peso após os 40 anos:

horizontal-162952_960_720

1. Verificar o peso um vez por semana, sempre no mesmo horário.

2. Praticar exercícios físicos e diminuir a quantidade de comida, aliando a dieta com atividades físicas simultaneamente.

3. Encontrar uma rede de apoio e incentivo, como programas de dieta e grupo de amigos que querem perder peso.

jogging-1509003_960_720

4. Dormir o suficiente todas as noites.

5. Sentar-se para fazer as principais refeições, mesmo se você estiver muito apressado.

6. Comer em pratos menores, eles garantem maior sensação de saciedade e afastam a ideia de privação.

7. Sentar-se e concentrar-se por um minuto antes de começar a comer.

pasta-1819782_960_720

8. Colocar a faca e garfo na mesa depois de levar o alimento à boca e fazer a mastigação com calma.

9. Não ler ou assistir TV enquanto está comendo, pois pode terminar com um prato vazio, mas sem lembrança de ter realmente consumido os alimentos.

10. Ficar menos tempo sentado durante o dia. Mesmo pessoas que trabalham diante de um computador ou precisam ficar em uma cadeira, faça pausas para se movimentar. Em casa, fale ao telefone e veja TV em pé.

red-cabbage-1224132_960_720

11. Comer mais alimentos roxos, pois são associados a uma vida mais longa e saudável por serem ricos em polifenóis. Então, invista em mirtilos, berinjela, repolho roxo, uvas, entre outros.

12. Recompensar com prazeres que não sejam associados à comida.

Café da Manhã para alérgicos

Conteúdo original Mais Equilíbrio

breakfast-1398259_960_720

O café da manhã tipicamente brasileiro costuma ser o tormento de muitos alérgicos: café preto ou achocolatado, leite, pão francês, manteiga, queijo minas e em alguns casos ovos mexidos. Embora seja o mais tradicional, não é o mais adequado nessa situação. Então, o que comer?

Todos já ouvimos pelo menos alguma vez na vida que o café da manhã é a refeição mais importante do dia. Igualmente ouvimos que muita gente acaba pulando essa refeição por falta de tempo, para poder dormir mais um pouquinho ou não sente vontade de comer pela manhã.

E se somado à alergia alimentar, essa refeição acaba ficando de lado mesmo. Mas para incentivar os alérgicos a investir nesse super parceiro, tornando-o um aliado para sua vida saudável, segue a receita do que é chamado de “café da manhã PEGH”.

cafe-da-manha-para-alergicos45-thumb-570

P = proteínas

O ovo é uma maravilhosa fonte de proteínas, mas para quem tem alergia, o grande lance é investir no grão de bico. Você pode, inclusive, usar junto com tahine nas receitas, assim você já tem uma excelente fonte de cálcio, para substituir o queijo e o leite.

Pasta de Grão de Bico

  • 2 xícaras (chá) de grão de bico cozida
  • 1 colher (sopa) de azeite
  • 1 dente de alho
  • ½ cebola pequena
  • 1 colher (chá) de suco de limão
  • 2 colheres (sopa) de tahine (opcional)

hummus-1058000_960_720

Bata tudo no processador. Se você gosta da sensação de mastigar, bata só o suficiente para unir os ingredientes ou até virar uma pasta. Pode congelar por 3 meses. Dica: divida em saquinhos de geladinho para consumo diário. Deixe na geladeira na noite anterior para descongelar.

E = energia

O pão francês é um vício nacional. Mas a tapioca já está tomando esse posto. Para quem gosta de recheios doces, pode bater frutas tipo: morango, manga, pêssego ou as frutas vermelhas no liquidificador com chia. Rende uma deliciosa e natural geleia.

strawberries-815057_960_720

Geleia de frutas

  • 4 xícaras (chá) de morango ou outra fruta
  • 4 tâmaras
  • ½ xícara (chá) de chia

Adicione os morangos e as tâmaras no processador e misture durante 1 a 2 minutos. Transfira para uma tigela e misture as sementes de chia. Leve à geladeira por duas horas para engrossar. Dura 5 dias na geladeira.

Outro substituto ao pão são os tubérculos: mandioca, cará, inhame e batata-doce. Eles podem ser congelados já cozidos, facilitando muito na correria da manhã, e ficam ótimos com a pasta de grão de bico.

G= gorduras

Para a cota diária de gordura pode-se adicionar ao cardápio o creme de castanha de caju, que pode ser usado doce ou salgado.

cashew-nut-1098177_960_720

Creme de castanha de caju

  • 1 xícara (chá) de castanha de caju crua
  • Até ½ xícara (chá) de água
  • Suco de 1 limão

Para versão doce, acrescente 2 colheres (sopa) de mel, melado ou xarope de bordo e para versão salgada, 2 colheres (sopa) de azeite e ½ colher (chá) de sal.

Coloque água quente nas castanhas e deixe de molho por 10 minutos. Bata tudo no processador. Vá colocando a água aos poucos até chegar na consistência de creme. Dura 10 dias na geladeira. Pode ser congelado por 3 meses, e enquanto você se arruma para sair, ou tira uma soneca de mais 5 minutos, ele pode ficar no forno aquecendo.

H= hidratação

O café preto não é um problema para os alérgicos, mas o açúcar pode ser. Muitos conseguem tomar café sem açúcar batendo com óleo de coco e manteiga ghee, mas em alguns casos, há necessidade de liberação do médico ou nutricionista para consumir a ghee.

coffee-1329298_960_720

Parece estranho mas é delicioso. Outras opções são chás de erva doce, camomila, capim cidreira puros ou em combinação com leite de amêndoas quente e canela. Para que tem dificuldade para comer pela manhã, as bebidas geladas e compostas com frutas, legumes e sementes são ótimas opções, ou ainda creme de frutas com granola para quem precisa mastigar para se sentir saciado.

Suco hidratante de melancia com gengibre e manjericão

watermelon-932748_960_720

  • 3 xícaras (chá) de melancia
  • ¼ xícara (chá) de manjericão
  • ½ colher (chá) de gengibre ralado

Bata tudo no liquidificador. Não é preciso acrescentar água. Pode ser congelado, mas sem os temperos. Para descongelar, deixe no liquidificador um pouco, e depois basta dar uma leve batida com os temperos para homogeneizar. Outra opção é congelar as frutas já descascadas e cortadas, e só bater pela manhã.

Receita: Shake nutritivo e com poucas calorias

Conteúdo original de Slim360

Há sempre muita dúvida quando o assunto são suplementos alimentares, independente da sua natureza. Sejam cápsulas, bebidas ou shakes. No caso dos shakes, a promessa é sempre a de que iremos emagrecer ao tomá-lo porque ele pode substituir até duas refeições ao dia. Mas espera um minuto: Como assim substituir duas refeições de comida real por apenas um copo de shake? Pelo que é que eu estou trocando alimentos de verdade que garantem as minhas energias e vitaminas necessárias para o meu dia a dia?

breakfast-drink-642121_640

O shake correto deve cumprir a promessa de substituir até duas refeições diárias, mas não apenas colocando alguma coisa para simplesmente “ocupar” espaço em nosso organismo. O shake deve ser nutritivo, vitamínico e, acima de tudo, deve conter poucas calorias.

Shakes caseiros funcionam

Esses tipos de shake são feitos para ajudar a emagrecer ou eliminar aquela barriguinha e ajudam, sim, nessas tarefas. O que algumas marcas decidiram fazer foi auxiliar também a manter a saúde e a disposição em dia tornando-os mais nutritivos.

girl-959115_640

A questão é como conseguir, em uma tacada só, saciar o estômago e ainda nutrir o organismo com um shake, assim como fazem as indústrias especializadas?

Felizmente, esse não é um segredo guardado a sete chaves e os shakes caseiros não só dão conta do recado, como ainda são muito naturais e proporcionam maior sabor dos ingredientes utilizados quando feitos corretamente.

Separamos algumas receitas garantidas de shakes caseiros nutritivos e com poucas calorias. Olha só:

Shake de mamão

milkshake-275494_640

  • 200 ml de leite desnatado
  • 1 fatia de mamão
  • 1 colher de chá de semente de linhaça
  • 1 colher de sopa de farelo de trigo
  • Adoçante a gosto

Junte todos os ingredientes e bata no liquidificador.

Shake de melancia

smoothie-840638_640

  • 1 fatia grande e grossa de melancia com sementes
  • 1 colher de sopa de leite
  • 100 ml de iogurte natural
  • 1 pote de gelatina de framboesa light
  • 1 colher de sobremesa de mel.

Bata no liquidificador e pronto.

Shake misto

drink-722061_640

O shake misto é uma garantia de maior nutrição para a sua rotina, porém, com um pouco mais de calorias, mas nada que preocupe.

  • 1 banana
  • metade de um mamão
  • metade de uma maçã
  • 1 copo de leite de soja (pode ser outro)
  • 1 colher de sobremesa de linhaça
  • 1/2 colher de sobremesa de mel
  • 1 colher de sopa de aveia.

Junte tudo no liquidificador, espere misturar muito bem e beba em seguida.

Shake misto II

milk-shake-608919_640

  • 1 pêra
  • 4 morangos
  • 1 castanha-do-pará
  • 1 colher de folhas de hortelã
  • 200 ml de iogurte natural.

Adoce a gosto e bata no liquidificador.

Shake misto III

smoothie-729923_640

  • 1 cenoura pequena
  • 1 folha de couve
  • 1 punhado de espinafre
  • 1 punhado de salsinha
  • 1 colher de sopa de linhaça
  • 200 ml de água.

Adoce a gosto, bata bem no liquidificador até misturar tudo e sirva em seguida.

Café da manhã: a principal refeição do dia

Conteúdo original Mais Equilíbrio

A alimentação adequada é resultado do que é ingerido durante todo o dia. Assim, a soma dos alimentos que compõem as refeições irá fornecer – ou não – nutrientes na quantidade recomendada para que o organismo funcione adequadamente.

breakfast-186431_640

Os alimentos devem ser distribuídos em, pelo menos, cinco refeições por dia para que possa haver variedade alimentar e, com isso, maior quantidade de nutrientes, além de evitar a concentração de substâncias em poucas refeições o que prejudicaria a absorção das mesmas.

Entre essas refeições que compõem a alimentação, qual é o papel e importância do café da manhã?

eating-breakfast-846365_640

Entre a última refeição do dia e a primeira (desjejum), há um longo período de jejum. Isso significa que o organismo, depois de esgotada a principal fonte de energia, a glicose, passa a utilizar o glicogênio estocado, principalmente, no fígado. Durante o sono, o organismo continua trabalhando, em um ritmo menor, mas ele mantém as funções básicas como respirar, o funcionamento cardíaco, circulação, entre outros. Todas essas funções precisam de energia para serem realizadas.

Pela manhã, ao acordar, é necessário fornecer energia para que sejam realizadas as tarefas do dia. Isso significa, que o café da manhã fornecerá, entre outros nutrientes, carboidratos para que possam ser realizados os trabalhos do dia a dia, influindo no rendimento diário.

breakfast-508760_640

Para quem deseja emagrecer, é bom ficar atento! Realizar o café da manhã está associado à diminuição da fome nas refeições seguintes o que reduz o risco de comer excessivamente no meio do dia. Além disso, pessoas que costumam fazer o desjejum logo que acordam têm mais chances de manter ou controlar o peso.

Os carboidratos não são os únicos nutrientes fornecidos, principalmente, pelos alimentos que compõem o café da manhã. Veja na tabela abaixo mais motivos para torná-lo uma das principais, senão a principal, refeições do dia.

tabelacafe
Reprodução Mais Equilíbrio

A combinação desses alimentos fornecem uma refeição importante para iniciar o dia. Não se deve pular nenhuma refeição, principalmente o café da manhã que deve ser feito logo após acordar.

Texto por Roberta dos Santos Silva, nutricionista do site Cyber Diet e especialista em Atendimento Nutricional.

Receita: Caldos de feijão e mandioquinha

Quem mora no interior já sabe que quando o tempo começa a esfriar é um sinal de que está aberta a temporada dos caldos. É uma opção gostosa e simples para espantar o frio e manter o corpo quente. Para quem não sabe a diferença, o caldo é um preparo que fica entre o creme e a sopa. Na prática, não tem mistério, como mostraremos nessas receitas com feijão e mandioquinha.

São dois pratos bem tradicionais e com gostinho de comida caseira. Não são lights e, no caso do feijão, leva carnes gordas. Mas, você pode incluir ou retirar ingredientes conforme seu paladar.

Caldo de Feijão

0002344881WW-849x565

  • ½ kg de feijão tipo carioquinha
  • 1 gomo de linguiça calabresa defumada
  • 125 gramas de bacon
  • 1 tablete de caldo sabor feijoada
  • ½ envelope de tempero tipo sazon vermelho ou 1 colher de sopa de colorau
  • ½ cebola média picada
  • ½ maço de cebolinha picada
  • ½ maço de salsinha picada
  • 2 dentes de alhos picados
  • Sal e pimenta a gosto

Cozinhe o feijão na panela de pressão até ficar macio. Depois de cozido, bata-o ainda morno no liquidificador até que vire um creme homogêneo. Em uma panela funda, coloque o bacon e deixe fritar. Retire e reserve em uma vasilha. Com a gordura que soltou do bacon, refogue as linguiças calabresas e reserve junto ao bacon. Feito isso, refogue o alho e depois junte a cebola e deixe dourar. Então, acrescente o caldo sabor feijoada, o sazón ou o coloral, o feijão batido e misture bem. Por último, coloque a linguiça e o bacon. Caso fique muito grosso, adicione um pouco de água e mexa até chegar ao ponto certo. Se achar necessário, acerte o sal e coloque pimenta a gosto. Sirva com a cebolinha e a salsinha salpicadas sobre o caldo.

Creme de Mandioquinha (receita do Edu Guedes)

0002352951XX-849x565

  • 1 colher de sopa de azeite
  • 1 xícara de chá de cebola
  • 2 xícaras de chá de mandioquinha
  • 1 colher de sopa de gengibre ralado
  • ½ xícara de chá de creme de leite (o equivalente a 8 colheres de sopa)
  • 1 tablete de caldo de legumes
  • ½ xícara de chá de queijo minas padrão (opcional)
  • 2 colheres de sopa de cebolinha picada
  • 2 xícaras de chá de água
  • Sal a gosto

Em uma panela, cozinhe a mandioquinha na água com sal. Em outra panela, aqueça o azeite e refogue a cebola até dourar. Reserve. No liquidificador, coloque a mandioquinha cozida, a cebola, o creme de leite e o gengibre. Bata até que fique homogêneo. Coloque os ingredientes do liquidificador em uma panela, em fogo baixo. Se quiser, acrescente o queijo e deixe engrossar. Acerte o sal, se necessário. Decore com a cebolinha.