Tag: cebola

Entenda o que são prebióticos, probióticos e polifenóis

Entenda o que são prebióticos, probióticos e polifenóis

Você sabe o que são, ou já ouviu falar em, prebióticos, probióticos e polifenóis?! Estes são grupos importantes para a saúde e equilíbrio do nosso corpo. Saber o que cada um representa e onde estão presentes é essencial para a manutenção e bom funcionamento do nosso organismo.

Os prebióticos são componentes alimentares (principalmente em tipos de carboidratos [e principalmente em fibras]) que induzem o crescimento de bactérias benéficas. As boas bactérias, no intestino, se alimentam dessa fibra.

Os probióticos são bactérias vivas encontradas em suplementos ou certos alimentos. Eles são ingeridos com o intuito de melhorar ou restaurar as bactérias do intestino.

Os polifenóis são uma categoria de produtos químicos que ocorrem naturalmente nas plantas. São micronutrientes que podem induzir a redução da pressão arterial, níveis de colesterol, estresse oxidativo e níveis de colesterol.

Então, como eles podem ajudar a diversificar e melhorar a saúde intestinal?

Estudos mostraram que os prebióticos podem ajudar a promover o crescimento de bactérias saudáveis. Certos alimentos com propriedades prebióticas podem neutralizar a superexpressão de alvos hospedeiros envolvidos no desenvolvimento de distúrbios metabólicos e inflamação.

E alguns prebióticos podem reduzir a insulina, os níveis de colesterol e os triglicérides em pessoas obesas. Em resumo, a promoção do crescimento de certas bactérias pode ajudar a reduzir as síndromes metabólicas. Cebola, alho-poró, alho, aspargos e bananas são todas boas opções de alimentos prebióticos.

Voltando nossa atenção para probióticos, estes são principalmente adquiridos através de suplementação. Eles não colonizam permanentemente os intestinos, mas podem ajudar a alterar a composição geral dos microbiomas intestinais e apoiar o metabolismo. Mas os dados estão misturados em sua eficácia. Os resultados mostraram menos impacto no microbioma intestinal de pessoas saudáveis; mas naqueles com certas doenças, alguns resultados foram mais promissores.

Os polifenóis, no entanto, são digeridos pelas bactérias intestinais. Algumas das moléculas maiores de polifenol não podem ser digeridas pelas células humanas, então elas chegam ao cólon quando são banqueteadas pelo microbioma intestinal. Os polifenóis também podem aumentar o número de bactérias boas; essas alterações podem estar associadas a níveis mais baixos de triglicérides e proteína C-reativa, ambos marcadores de inflamação (em um estudo feito com flavanóis derivados de cacau). As fontes de polifenóis parecem vir de algumas das melhores coisas da vida: o vinho tinto, o chocolate amargo, as amêndoas e os mirtilos.

Além de uma dieta diversificada, considere direcionar alimentos ou suplementos ricos em prebióticos, probióticos e polifenóis, claro, sempre, acompanhado(a) da orientação de um profissional em saúde e/ou nutrição.

Este artigo foi originalmente publicado pela HVMN.
Fotos Pixabay

Produtos da época

Refeições feitas com ingredientes sazonais parecem se adequar ao tempo. Faça da tarefa de comprar produtos sazonais algo constante o ano todo. Aproveite os ingredientes que se encontram baratos e em grande quantidade e congele-os. Você também pode preparar purês de frutas e legumes, congelá-los e usá-los quando precisar.

Saiba quais são as frutas, verduras e legumes deste mês de janeiro:

HORTI

Abóbora, abobrinha, alface, beterraba, cebola, cebolinha, couve-de-bruxelas, pimentão vermelho, quiabo, tomate e salsa

FRUTAS

Carambola, coco verde, figo, framboesa, fruta-do-conde, laranja-pera, mamão havaí, maracujá, melancia e uva rubi.

Receita: Risoto de Panela de Pressão

Está na correria das festas de fim de ano e não sabe muito bem o que fazer nas refeições ou o que levar para contribuir com a mesa da família?! Esta receita pode ser a salvação!

  • 3 colheres de sopa de azeite
  • 50g de bacon picado em cubos
  • 150g de linguiça calabresa defumada cortado em rodelas
  • 250g de peito de frango cortado em cubos
  • 1/2 cebola picada
  • 2 dentes de alho picados
  • 1 xícara de arroz arbóreo
  • 1/4 xícara de vinho branco
  • 1/2 litro de caldo de carne
  • 1 xícara de queijo minas padrão
  • 50g de manteiga sem sal
  • queijo parmesão
  • cheiro verde
  • sal e pimenta a gosto
Modo de Fazer:
  1. Refogue o bacon, cebola e o alho, até o bacon ficar bem douradinho.
  2. Adicione a calabresa e o frango. Continue mexendo até o frango dourar bem.
  3. Coloque o arroz e o vinho branco. Mexa delicadamente em fogo médio/baixo e deixe o álcool evaporar (aproximadamente 5 minutos).
  4. Despeje o caldo de carne, mexa e tampe a panela.
  5. Assim que pegar pressão conte 3 minutos.
  6. Tire a pressão.
  7. Adicione o queijo minas, queijo parmesão, manteiga e o cheiro verde, misture até ficar bem cremoso.
  8. É só servir e aproveitar!!

Receita: Yakissoba Low Carb

Yakissoba Low Carb

por Food Network BR

  • 2 cenouras raladas em forma de espaguete 
  • 2 colheres (sopa) de óleo de gergelim 
  • 2 colheres (sopa) azeite  
  • 300g de peito de frango picado 
  • Pimenta-do-reino a gosto 
  • 1 cebola picada 
  • Alho a gosto 
  • 1 couve-flor pequena cortada em buquê 
  • ½ maço de brócolis 
  • 1 abobrinha picada em cubinhos 
  • 1 pimentão vermelho 
  • 2 xícaras (chá) de repolho roxo picado 
  • 2 xícaras (chá) de molho shoyu 
  • Sal a gosto  
Modo de preparo:

Rale a cenoura no sentido do comprimento em um mandolim. Você também pode usar um ralador ou mesmo uma faca para cortar a cenoura em “fios” de espaguete.

Aqueça o azeite e o óleo de gergelim na panela  e adicione o peto de frango. Tempere com pimenta do reino a gosto, alho e cebola e deixe dourar. Quando o frango estiver pronto, adicione os legumes fatiados, o macarrão de cenoura, o molho shoyo e misture.

Cozinhe até os legumes ficarem al dente, cerca de 5 minutos. Coloque sal a gosto.

 

O poder antioxidante da casca da cebola

Conteúdo original Mais Equilíbrio

A casca da cebola tem muito mais utilidades do que se pensa. E é justamente a primeira coisa que jogamos fora quando vamos cortar esse ingrediente, não é mesmo? Entretanto, você pode usá-la para tratar feridas, melhorar sua saúde e até o seu cabelo.

Uma pesquisa realizada recentemente nos Estados Unidos comprovou que a quercetina, substância presente na casca, tem propriedades anti-inflamatórias, além de ser um poderoso antioxidante, contribuindo para a diminuição do colesterol ruim, pressão arterial, além de combater alergias, alguns tipos de câncer e depressão.

Compostos como a quercetina são comuns de se acumular em plantas com peles e cascas, uma vez que essas funcionam como uma armadura contra agressões ambientais. Veja abaixo como aproveitar melhor a quercetina, beneficiando-se com ela:

  • Adicione a sopas, ensopados e ao arroz enquanto o líquido dessas receitas estiver em ebulição. Pode ocorrer da água adquirir uma coloração marrom;

  • Para deixar o cabelo mais liso e macio, coloque as cascas em uma infusão em 2 copos de água quente por 15 minutos. Após lavar o cabelo, despeje essa mistura e deixe secar naturalmente. E o melhor de tudo, não fica cheiro de cebola!

  • Contra a coceira causada por sarna e outras infecções, lave o local com um chá da casca da cebola: ferva as cascas com 1 xícara de água por 10 minutos e coe. Você também pode tomá-lo para benefícios à saúde até três vezes ao dia, adoçado com mel ou açúcar mascavo.

 

Receita: Farofa de Cenoura

Amo farofa! Quem mais é farofeiro?! Gente, como na xícara, de colher. Ainda mais quando sai quentinha, tomando a casa todo com aquele cheirinho… Sentiu daí?! Bom demais, não é?! E o compartilhamento de hoje é uma opção para quem não consome carne ou não tem afinidade com os ingredientes tradicionais levados na farofa, pois é feita de cenoura!🥕🥕🥕

É mais uma sugestão para fechar o cardápio de Páscoa! Já mostramos como preparar o peixe, a sobremesa e agora este acompanhamento delicioso e democrático, já que atende aos vegetarianos, econômico e fácil de fazer!

Farofa de Cenoura

Receita do Amando Cozinhar

  • Meia cenoura (média) ralada
  • Meia cebola (média) ralada
  • 400g de farinha de mandioca
  • 2 colheres cheias de margarina

🥕Em uma panela ou frigideira, derreta as duas colheres de margarina e refogue a cebola por alguns minutos, em seguida acrescente a cenoura ralada e refoque por mais 2 minutos. Vá acrescentando a farinha aos poucos e continue mexendo por cerca de 5 minutos. Está pronta para servir!😋🍴

Como usar os temperos? Aprenda a combinar as ervas aromáticas

spices-541974_640

Conteúdo original Blog Bololo

Na cozinha, tão importante quanto escolher bem os ingredientes é saber combiná-los na medida certa. E, quando falamos em combinações e medidas nas refeições, entram em cena os queridinhos da culinária: os temperos ou condimentos.

Tecnicamente, podemos chamar de condimento (ou tempero) qualquer substância que é usada para dar sabor, aroma ou realçar o paladar de um prato. Entre os temperos mais utilizados estão as ervas, as especiarias, os legumes, o sal, entre outros.

spices-627182_640

Em meio ao universo dos temperos, alho, sal e cebola são a trilogia básica usada para dar sabor aos alimentos. Porém, na hora de preparar uma refeição especial, o básico já não serve. Para aguçar ainda mais o paladar, é preciso inovar, trazer à tona novos sabores, incitar novas sensações. Para isso, é importante conhecer uma gama variada de temperos e saber quando usá-los e como combiná-los.

Como combinar?

O verbo temperar vem do Latim temperare, que significa “misturar corretamente, moderar, regular”. Na cozinha, escolher as combinações e quantidades corretas dos condimentos para cada tipo de alimento pode ser um verdadeiro desafio para o cozinheiro inexperiente.

plants-789657_640

Por isso, antes de sair misturando tudo por aí, vale a pena conferir algumas dicas sobre quais temperos combinam com o tipo de comida que você pretende preparar. Com o tempo e a vivência na culinária, você desenvolve um paladar aguçado e adquire o chamado “bom-senso” na cozinha. Com essa habilidade, sem ter lido nada antes, você vai saber se um tempero combina com determinado alimento só de cheirar e provar. E a partir daí você mesmo acaba criando suas combinações, como um Chef profissional!

Para quem ainda não chegou nesse estágio, preparamos um guia básico de como usar as ervas aromáticas na cozinha. Pode se aventurar no mundo dos temperos sem perigo de errar!

O quê combina com o quê?

Hortelã: Seu aroma transmite frescura. É perfeita dar sabor e enfeitar sobremesas e bebidas de verão. Em carnes de cordeiro, peixes, aves e sopas de legumes acrescenta um sabor especial.

plunger-317748_640

Cebolinha: Seus talos são muito usados em pratos com ovos como omeletes e preparações com batatas em geral. Fica uma delícia polvilhada no arroz. A erva ainda dá um sabor especial ao queijo minas e ricota para sanduíches e canapés. Serve também como ingrediente base para os molhos verde e tártaro.

Coentro: Combina com refogados, peixes, mariscos, camarão, sopas e saladas.

Estragão: Possui um sabor muito parecido com o do anis, pela suas propriedades refrescantes. Fica ótimo em pratos à base de ovos, no frango, em saladas e batata.

Cominho: Muito usada em preparações com carnes, aves, sopas, queijos, pães e molhos. Combina com couve, arroz e recheios de legumes.

rosemary-74365_640

Alecrim: Tanto o ramo quanto suas folhas podem ser adicionadas aos pratos. É um excelente tempero para carnes, como cordeiro, frango assado, vitela, porco, carne vermelha e peixes. Combina com preparações à base de batatas e molhos.

Manjericão: Muito presente na culinária italiana, mediterrânea e tailandesa. Combina perfeitamente com preparações que levam tomates, como saladas, molhos, sopas e sanduíches. Legumes como abobrinha, berinjela, abóbora e batata também ganham um toque especial com a erva. Alho, azeite e limão são condimentos que formam uma parceria incrível com o manjericão.

Louro: Muito versátil, combina com quase tudo. Suas folhas dão aroma ao feijão, caldos, molhos, batatas, cenouras, assados e refogados de carnes de porco, aves e peixes. Diferentemente de outros temperos, podem cozinhar por um tempo prolongado sem perder suas propriedades.

laurel-272961_640

Salsão: Muito popular na culinária asiática fica ótimo em saladas e aves.

Salsinha: Uma das ervas mais versáteis da culinária, a salsinha combina com tudo (mesmo). Se for a única erva que você tem na geladeira, não hesite em adicionar ao prato que você estiver preparando.

Sálvia: Combina bem com carnes mais gordurosas como porco, pato, ganso e vitela. Harmoniza muito bem com aves leves como peru e frango (na canja fica uma delícia!), carboidratos (pães, batatas, panquecas, polentas e massas) e queijos frescos.

Tomilho: De sabor acentuado é ideal para fugir da rotina. Combina com carnes de sabor forte. Dá um toque único em patês de carne e molhos que levam alcaparras, tomates, pimentão e anchovas.

basil-791782_640

Orégano: Vai muito além da pizza! Dá um sabor especial a massas, molhos, vegetais assados, saladas e sopas. Tem muita afinidade com ovos, berinjela, champignons, pimentões, batatas e queijos (ricota, queijo minas e mussarela). Ainda tempera carnes, peixes e aves refogados.

Erva doce: Dá um sabor inusitado ao salmão e recheio de massas, além de ser muito usada no preparo de sobremesas.

Composições de ervas

Algumas combinações de ervas muito usadas na culinária são renomadas por harmonizarem perfeitamente. Vamos a elas:

herbs-167725_640

Cheiro-verde: Salsinha e cebolinha.

Bouquet Garni: Tomilho, louro, salsa, salsão e alecrim.

Ervas finas: manjericão, orégano, sálvia, tomilho, manjerona e alecrim.

Ervas de Provence: manjericão, manjerona, alecrim, segurelha, tomilho, flores de lavanda e louro em proporções diversas.

Dicas gerais:

– A maioria das ervas devem ser retiradas do prato no momento de servir.

– Sempre prefira a versão fresca das ervas ao invés da desidratada.

-Não compre em grandes quantidades, pois as ervas estragam rapidamente, perdendo sua cor e o sabor.

eggplant-838314_640

– A maioria das ervas não deve ser cozida por muito tempo. É sempre recomendado acrescentá-las nos momentos finais da preparação dos pratos.

– Quando falamos de ervas e temperos em geral, menos é sempre mais. Um pouquinho do tempero já cumpre o papel de dar sabor e aromatizar o prato.