Saiba como o corpo funciona em jejum

Pular a “refeição mais importante do dia” ainda é um assunto polêmico. Descubra como o hábito influencia estes aspectos da sua saúde.

Performance física

  • Graças ao jejum durante o sono, os níveis de glicose nos seus músculos chegam ao mínimo quando você acorda. Vá para a academia antes do café da manhã, já que pesquisas recentes mostram que, assim, seu corpo queima melhor a reserva que ainda resta de gordura.

  • Se a perda de peso não é o seu objetivo, pular o desjejum trará problemas. Um estudo da Loughborough University (Inglaterra) mostrou que aqueles que não comem ao acordar não possuem um bom desempenho nos treinos à tarde ou à noite.

Peso

  • Um estudo publicado no periódico internacional Journal of Nutritional Science descobriu que aqueles que já estão com quilinhos a mais e pulam o café perdem mais gordura, mas também possuem níveis mais elevados de colesterol, em comparação àqueles que se alimentam com equilíbrio de manhã.

  • A ideia de que comer logo ao acordar vai acelerar o seu metabolismo, já que ele não vai se acostumar com jejuns tão longos, é falsa. Na verdade, é a qualidade das calorias que você ingere que interfere nisso. Prefira um “café das campeãs” cheio de proteína, incluindo ovos, aveia ou iogurte.

Comportamento

  • Uma pesquisa recente mostrou que quem pula o café da manhã tem mais tendência a cair nos maus hábitos como fumar, beber demais e se exercitar de menos.

  • Apesar de a queima de gordura quando você malha ser maior antes de comer, a ligação entre magreza e tomar ou não café da manhã é mais comportamental do que realmente culpa do organismo. Pessoas que comem de manhã tendem a ter uma dieta mais balanceada.

  • Já acordou com a ideia de que o dia será horrível? Coma às 8h da manhã. Esse é o horário em que os níveis de cortisol – hormônio do estresse – estão no máximo, e uma refeição balanceada vai acalmar os ânimos.

Fontes: nutricionista Emer Delaney e preparador físico David Kingsbury, ambos da Inglaterra, e pesquisas das Loughborough University (Inglaterra), Helsinki University (Finlândia) e University of Missouri Columbia (EUA)

Conteúdo Women’s Health Brasil

Anúncios

Nefrologista do HCor fala sobre a relação entre obesidade e doenças renais

Conteúdo original Revista Suplementação

Estudos epidemiológicos têm demonstrado o aumento da prevalência da obesidade, doença considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como epidemia global do século XXI. No Brasil, mais de 50% da população está acima do peso. Estima-se que, até 2025, 18% dos homens e 21% das mulheres de todo o mundo serão obesos. Números como estes reforçam a maior causa de morte no País: as doenças crônicas não transmissíveis, responsáveis por 70% dos óbitos.

Diversos estudos e revisões da literatura médica mostram que a obesidade é importante fator de risco para diversas doenças graves. Problemas cardíacos, diabetes, hipertensão, colesterol elevado, apneia obstrutiva do sono, doenças da vesícula, cânceres e, não menos importante, porém pouco difundida, está a doença renal crônica (DRC).

Afinal, qual a relação entre a obesidade e a doença renal? “A função dos rins é filtrar o sangue de toxinas e líquidos em excesso. Em uma pessoa obesa, o aumento do tecido gorduroso comprime os rins e altera a sua estrutura, aumentando o seu trabalho de filtração e ativando sistemas que podem causar hipertensão arterial. Essa doença, denominada glomerulopatia da obesidade, pode determinar perda de proteína na urina e causar prejuízo significativo da função renal”, explica a nefrologista Leda Lotaif, chefe de diálise do HCor – Hospital do Coração de São Paulo.

Um em cada 10 adultos, segundo Dra. Leda, sofre de doença renal crônica. A maioria deles não sabe ser portador da doença. Isso ocorre porque, na maioria dos casos, quando descoberta, a DRC já está em estágio avançado, pois não há sintomas. A melhor forma de prevenir é investir na educação desde a infância. “Conscientizar as pessoas quanto aos fatores de risco da doença renal e a importância de ter hábitos saudáveis, como manter uma dieta balanceada e praticar atividade física regularmente é crucial para combater o aumento da incidência da doença”, orienta.

Regras de ouro

Para prevenir a Doença Renal Crônica (DRC), vale seguir estas dicas da nefrologista do HCor:

  • Pratique atividade física regularmente;
  • Mantenha uma alimentação saudável;
  • Mantenha-se hidratado;
  • Controle o nível de açúcar no sangue;
  • Monitore a pressão arterial;
  • Visite um médico regularmente;
  • Abandone o cigarro e o álcool em excesso;
  • Evite a automedicação.

Fonte: HCor

Como encontrar o equilíbrio? Os caminhos para uma vida saudável

Conteúdo original Revista Suplementação

Não é de hoje que as pessoas procuram por soluções rápidas e fáceis para emagrecer. Seja excluindo algum alimento, comprando o produto do momento ou apostando em dietas milagrosas. Porém, é necessário entender que manter-se saudável depende de diversos fatores.

breakfast-1235367_960_720

“O segredo para obter resultado é permanecer na dieta por mais tempo, então a dica é encontrar maneiras que você goste, experimente novos temperos, novas maneiras de preparar os alimentos, ou então sobremesas que possam matar a sua vontade de comer doces, como essa que eu adoro, que está 100% dentro da dieta” – Carol Saraiva.

Segundo o endocrinologista e responsável pelo Grupo de Obesidade e Síndrome Metabólica do Hospital das Clínicas da USP, Dr. Marcio Mancini é fácil culpar determinados alimentos por problemas de saúde, como é o caso do açúcar e a obesidade.

stacking-stones-667432_960_720

Outros mitos sobre o ingrediente e sobre alimentação saudável circulam em diversos canais, porém, é necessário ter em mente a importância do equilíbrio. “Muita gente perdeu o contato com o ato de comer, pois vigora um olhar ‘funcional’ que desumaniza a comida e enxerga os alimentos somente como fonte de nutrientes. A alimentação é muito mais que isso”, explica o médico.

De acordo com o especialista “sem os carboidratos, o corpo fica mais cansado, pois não está recebendo sua principal fonte de energia, a glicose, responsável também pela liberação do neurotransmissor serotonina que traz a sensação de bem-estar. Já a restrição da ingestão de gorduras pode interferir na reserva energética que protege o corpo das alterações de temperatura, na produção hormonal e das membranas celulares”.

balance-1107484_960_720

Para manter o corpo e a mente saudáveis o ideal, seja para emagrecer ou manter o peso é a reeducação e o equilíbrio alimentar, junto à prática de exercícios físicos e um sono adequado. Segundo o Dr. Daniel Magnoni, cardiologista e nutrólogo do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, é possível abarcar tudo dentro de uma dieta saudável, seja um doce, uma batata frita ou uma cerveja.

O importante é não sentir culpa e lembrar de manter o equilíbrio e se exercitar sempre. “As pessoas precisam resgatar o prazer de comer. Mais importante do que seguir dietas da moda é conhecer o próprio corpo e suas necessidades, suprindo-as de maneira adequada e equilibrando sempre as calorias ingeridas e as gastas”, indica o nutrólogo.

Especial de Natal: Comer bem e com saúde

Conteúdo original Mais Equilíbrio

christmas-dinner-1003539_960_720

Geralmente, nesta época do ano, as pessoas exageram na alimentação. Comem tudo aquilo que sentem vontade. Mas assim como em todos os outros dias do ano, é importante ter moderação, ou seja, comer de tudo mas sem exageros. Para ter uma ceia equilibrada, é fundamental saber equilibrar a sua refeição.

No prato, deve constar um alimento de cada grupo: cereais (arroz, massas, batata, mandioca, etc.); carnes (carnes em geral), hortaliças (verduras e legumes, neste grupo você poderá ter mais de uma preparação), leguminosas (soja, feijão, ervilha e lentilha) e frutas.

goose-1064406_960_720

Uma dica interessante para que o seu prato esteja repleto de diferentes tipos de vitaminas e minerais é que ele esteja colorido, porque assim há o fornecimento de nutrientes diferentes.

Outro ponto importante é a quantidade. Para que você não adquira uns quilinhos a mais após as festas, não exagerar nas quantidade é fundamental. Comer de tudo mas em quantidades pequenas é o segredo para saborear todas as delícias, sem culpas.

white-791099_960_720

Pronto, agora que você já sabe todos os itens importantes para compor sua ceia para que ela esteja balanceada, vamos dar algumas dicas sobre como deve ser sua alimentação neste dias de festas:

  • Como a ceia é somente à noite, não fique o dia inteiro sem comer. Faça as refeições durante o dia normalmente, optando por consumir preparações leves.
  • Enquanto você elabora os pratos, evite ficar beliscando ou experimentando as preparações.
  • Durante a ceia, faça apenas 1 prato. Não fique repetindo.
  • Use e abuse das frutas e de sucos de frutas naturais.

christmas-stollen-1084954_960_720

  • Muito cuidado com a bebida alcoólica. Escolha apenas um tipo de bebida para consumir durante à noite e beba com moderação.
  • Quanto às sobremesas, dê preferência pelas frutas ou doces à base de frutas, como mousses, gelatinas e pudins, ao invés de doces muitos elaborados como pavês, tortas e etc. Evite repetir.

Seguindo as dicas e tendo uma ceia balanceada, conforme explicamos acima, você vai saborear de tudo, com saúde, sem ter que ficar preocupada em adquirir quilinhos extras.

O que acontece se você não dormir nada?

Conteúdo original El País

O que aconteceria se uma pessoa não dormisse nada?, perguntava um usuário do Quora, uma rede social de perguntas e respostas: “Não apenas uma noite ou duas, mas sempre”. “Enlouqueceria?”. “Morreria?”.

boy-828850_640

Chris Morrison resumia os possíveis sintomas que poderia sentir, que também estão explicados neste vídeo da Asap Science (com legendas em espanhol) sobre o sono, com link em uma das respostas.

Depois de uma primeira noite sem dormir, o sistema mesolímbico é estimulado e a dopamina é liberada, por isso nos sentimos com mais energia, motivação, otimismo e desejo sexual. Mas, claro, essa sensação positiva é enganosa, já que a partir daí tudo vai ladeira abaixo.

Pouco a pouco, o cérebro começa a desativar as regiões que se encarregam de planejar e avaliar decisões, o que resulta em um comportamento mais impulsivo. O esgotamento provoca, além disso, uma lentidão no tempo de reação e uma piora das funções perceptivas e cognitivas.

sleeping-child-812181_640

Depois de um ou dois dias, o corpo deixa de metabolizar a glicose de forma adequada, e o sistema imunológico começa a falhar. Como lembra Morrison, a partir do segundo dia também pode haver uma piora geral da memória. Três dias sem dormir provocaram alucinações em alguns casos.

O recorde (documentado cientificamente) é de Randy Gardner, que passou 264 horas (11 dias) sem dormir e sem ajuda de estimulantes. O feito ocorreu em 1964, quando tinha 17 anos, e foi acompanhado pelo médico especialista em sono da Universidade Stanford, William Dement. Como outros que se submeteram a testes semelhantes, Gardner não apresentou efeitos negativos em sua saúde a longo prazo.

airport-205758_640

Isso não quer dizer que ficar sem dormir não possa levar à morte. Os ratos conseguem ficar sem dormir entre duas e quatro semanas. Depois morrem, embora não esteja claro se por falta de dormir (e o hipermetabolismo que isso provoca) ou pelo estresse de serem despertados constantemente.

Em relação aos seres humanos, passar tanto tempo acordado está associado apenas a distúrbios estranhos, como a insônia familiar fatal: essa doença genética (e muito rara) do cérebro causa insônia, alucinações, demência e, depois de 18 meses, a morte.

sleeping-340277_640

Outro caso é o mencionado pela Scientific American: um jovem de 27 anos com síndrome de Morvan, que praticamente não dormiu durante vários meses, sem se sentir sonolento nem cansado e sem demonstrar problemas de humor e de memória. Mas, quase todas as noites, entre 21h e 23h, passava entre 20 e 60 minutos sofrendo alucinações auditivas, visuais, olfativas e táteis, além de dor nos dedos das mãos e pés.

Não deixe um chefe ruim arruinar a sua carreira

Há inúmeras evidências que apontam que chefes tóxicos podem destruir o moral, bloquear o trabalho em equipe e arruinar a carreira de um indivíduo. É possível sobreviver e trabalhar para um patrão assim?

Primeiro, você precisa saber o que é um chefe tóxico. Ele tem aquele perfil no qual:

  • é rápido, e afiado, para criticar e morto para elogiar;
  • remete-se aos colaboradores com a intenção de humilhar, em vez de treinar e orientar;
  • leva todo o crédito por bom trabalho em equipe, mas a culpa quando há qualquer fracasso;
  • mantém alta rotatividade de funcionários;
  • promove a hostilidade dentro da equipe.

Se todas essas características lhe soam familiar, então você pode estar imerso em uma situação tóxica. Casos assim podem acontecer, fazem parte do dinamismo da vida, mas o importante é não permitir que toda essa negatividade arruine sua carreira. Como? Aqui estão algumas dicas:

1 Faça um trabalho excelente

businessman-598033_640

Certamente você será distraído pelo chefe venenoso e, neste caso, é criticamente importante continuar concentrando-se em fazer o seu trabalho dando o melhor de suas habilidades. Não deixe que um chefe ruim derrube seus padrões. Continue satisfazendo as necessidades da empresa, cumpra prazos, documente ideias e mantenha um bom relacionamento com seus colegas de trabalho e clientes.

Se alguém lhe agradecer pelo seu trabalho, pergunte se ele estaria disposto a documentar a sua satisfação. Procure outras formas para obter feedback positivo, uma vez que você não o receberá de seu gerente. A ideia é fazer com que todos, dentro e fora da empresa, vejam o trabalho excelente que você realiza, fazendo com que a negatividade de seu chefe tenha pouco efeito quando comparada com a experiência positiva de todos os outros.

Em essência, o conselho é ignorar o chefe e marchar com integridade e competência. Se você esperar tempo o suficiente, pode ter sorte e seu chefe tóxico sair do seu pé!

2 Encontre outro emprego

0010036042O-849x565

No entanto, se você esperou tanto tempo quanto pode e não foi capaz de gerir o stress do ambiente de trabalho hostil, pode ser a hora de seguir em frente e tentar algo novo.

Estudos têm mostrado que trabalhar para um chefe ruim pode dobrar o risco de ter um ataque cardíaco. É preciso um pouco de esforço para uma procura ativa de emprego, – especialmente se você está saindo de uma experiência com um chefe tóxico – mas tenha em mente o quanto melhor você estará em uma nova posição.

Se você está desatualizado, recomenda-se ativar seus contatos de imediato. No mínimo, tornar público que você está aberto a novas oportunidades, tanto interna quanto externamente. Só tome cuidado para não mencionar que a razão pela qual você quer mudar é livrar-se do seu chefe tóxico. Você deve ser diplomático e não queimar todas as pontes. Basta dizer que está pronto para novos desafios.

3 Converse com seu chefe

0010396533Y-849x565

E se você não pode tolerar seu chefe tóxico, mas mudar de emprego também não é uma opção? Digamos que você tenha um trabalho que realmente ama e o único problema seja seu chefe.

Se você quiser salvar o seu trabalho atual, pode querer arriscar e conversar com seu gerente, para que ele ou ela saiba que o seu comportamento é prejudicial e humilhante. Tente ser o mais neutro possível ao descrever a situação.

A ideia não é acusar seu chefe, mas trazer à tona os comportamentos e as possíveis consequências. Nunca se sabe, os chefes podem simplesmente não ter conhecimento do comportamento e do efeito que têm sobre você.

Se seu gerente reagir mal ao confronto ou se o comportamento persistir ou piorar, agende uma reunião com o superior ou com os recursos humanos. Contudo, tenha em mente que você pode não obter o apoio que precisa e deve estar pronto para sair, se necessário. É lamentável, mas pode ser a única opção possível.

0010396050Y-849x565

E não importa qual opção você escolha para a sua situação particular, apenas certifique-se de :

Documentar todas as conversas. Sempre que tiver uma conversa difícil no trabalho, documente o que aconteceu. Depois de qualquer reunião com o seu gerente, envie um e-mail em seguida para recapitular a discussão. Mantenha-se profissional.

Em segundo lugar, para seus próprios registros, documente todas as discussões que tiver com o seu gerente, sejam boas ou ruins. Registre a linguagem utilizada. Documente datas, horários e quem mais estava presente durante a interação. Você pode, eventualmente, precisar mostrar essa documentação para os superiores, caso se torne necessário.

Não deixe que um chefe tóxico lhe jogue para escanteio! Se você pode encontrar uma situação melhor, siga em frente. Se optar por ficar, faça o seu melhor trabalho e levante-se para si mesmo. Você pode, sim, ter uma carreira bem sucedida apesar de trabalhar para um chefe ruim.

A importância da mente sã para a conquista do corpo são

Hoje em dia é muito comum conhecer casos de pessoas que sabem que precisam cuidar mais do corpo e da saúde, perder peso, entrar em forma, mas não fazem nada para que esse plano mental vire realidade e se estabeleça na vida. Você conhece alguém assim? Você é assim? Esse comportamento vem se repetindo e multiplicando por causa de um fator essencial na conquista do equilíbrio: controle psicológico.

E não se trata de loucura ou disparate ocasional não. A saúde psicológica interfere diretamente na saúde física, passando intimamente pelo comportamento alimentar, auto-estima e auto-imagem.

brain-coral-200792_640

Uma pessoa que não é feliz com o seu corpo ou com a sua vida, de uma forma geral, tende a descontar suas perdas e insatisfações na comida. Pode ser que isso gere problemas maiores, como a obesidade ou problemas relacionados ao ganho excessivo de peso como colesterol ou diabetes, ou menos graves, mas ainda assim preocupantes, como isolamento social, tristeza profunda e introspecção emocional.

A nossa mente é um ambiente muito peculiar e propício a diversas situações. E essa capacidade enorme de funcionamento pode pesar ao lado positivo, negativo ou ao equilíbrio, que é o estado ideal.

Sempre falamos sobre isso aqui e por aí é o que mais se vê ou ouve: o sucesso do emagrecimento e da saúde física está em aliar uma alimentação saudável à prática de atividade física. No entanto, a peça chave que fica implícita nesse processo é o equilíbrio psicológico.

woman-254133_640

A gente começa a emagrecer no cérebro. É a partir daquilo a que você se determina no íntimo que as peças do lado de fora, na vida, começam a se movimentar. Vem da nossa capacidade de planejamento e objetivação dos planos. Você primeiro estrutura suas ações no cérebro e depois as executa. Acontece todos os dias e a todo o momento.

Mas porque quando se trata de emagrecimento, você não consegue levar adiante? Isso acontece pela falta de start. Pela ausência de uma consciência, que é difícil de explicar, mas que se configura no momento em que você realmente se determina a fazer acontecer.

Por isso é tão difícil que certas pessoas comecem e mantenham um plano de reeducação alimentar e de exercícios físicos. Cada um tem seu tempo e suas necessidades. E por isso também é tão surpreendente ver pessoas que conquistam o corpo dos sonhos, e reconquistam a saúde, batalhando diariamente dentro do máximo possível, mesmo sem dinheiro pra pagar academia.

physiotherapy-595529_640

O seu estado psicológico determina os rumos da sua vida, sim! Pode ser os relacionamentos que não vão pra frente, os planos que não dão certo, o emprego que está ruim, o dinheiro que não rende, desentendimentos familiares etc… Enquanto seu sua mente está mergulhada em problemas e rolos que tomam o tempo e a sugam as energias, todo o resto, que também é importante, fica para depois, num segundo plano que acaba sendo negligenciado e nunca colocado em prática.

Para dar certo, você precisa manter-se bem, em estado de equilíbrio, valorizando suas conquistas, e derrotas (claro! por que não?), e consciente de que você é importante e também merece ocupar o primeiro lugar. Dê-se tempo, todos os dias. Um tempo para cuidar de si e lembrar do que realmente importa. Ninguém precisa perder por isso (nem marido, nem filhos), pois estar bem para si é estar bem para os outros.

pregnant-422982_640

Devemos nos lembrar sempre: a vida começa de dentro para fora.