Tag: congelamento

Congelar mantém tudo fresquinho e a mão. Aprenda técnica para hortaliças

Com a correria e a loucura do dia-a-dia, fica difícil variar o cardápio e a gente acaba comendo o que tem de preparo mais fácil e rápido. Tem o trabalho, as crianças na escola, os compromissos e o cansaço. Para evitar o estresse e manter a geladeira abastecida por um bom tempo, congelar os alimentos pode ser uma saída prática e amistosa.

O congelamento é um caminho para a economia, uma vez que te possibilita comprar grandes quantidades dos produtos da estação (já viu nosso post sobre a lógica sazonal? Veja AQUI) pagando barato e conservando no freezer para quando precisar.

No entanto, congelar ainda é uma técnica que intriga muita gente. Seja por uma experiência que não deu certo, seja pelo medo do desconhecido. Mas, calma. A maioria congela bem, de frutas a molhos e massas. O segredo está no cuidado especial para cada tipo de alimento.

Hortaliças

Por serem mais sensíveis às altas temperaturas, as hortaliças exigem um tratamento específico antes do congelamento para preservar a cor, o sabor e a textura. É o chamado branqueamento.

Branqueamento é um processo de conservação que consiste na imersão dos alimentos por um determinado tempo em água fervente, uma espécie de pré-cozimento curtinho. Ele serve para inativar as enzimas que podem estragar os alimentos, protegendo-os.

Além das hortaliças, também é muito comum branquear frutas e carnes que se pretende congelar. O procedimento é simples:

Use 3 litros de água fervente com 2 colheres de chá de sal para cada 500 gramas de hortaliça.

Modo de preparo: Apare as pontas da hortaliça e corte-as em pedaços pequenos. Mergulhe-as na água fervente já salgada. Deixe a água voltar ao ponto de fervura e aí sim comece a contar o tempo de cozimento. Depois escorra as hortaliças e passe em água fria, para cortar o cozimento e evitar que passem do ponto. Embale-as em sacos ou recipientes e congele.

O tempo de cozimento é variável de acordo com a hortaliça. Veja na tabela abaixo qual a preparação e tempo necessários para cada uma:

tabela

Dicas

  • Para evitar desperdício, congele os alimentos em porções, de modo que você descongele apenas o que precisar.
  • Congele rapidamente, mas descongele os alimentos devagar.
  • Nunca volte a congelar um alimento já descongelado.
  • Ao comprar carne ou peixe par congelar, verifique se já não foi congelado antes.
  • Utilize etiquetas nos recipientes com o conteúdo e a data do congelamento. Arrume os alimentos para que os mais antigos fiquem na frente do congelador, para serem usados primeiro.
  • Use os alimentos até 2 ou 3 meses depois de congelar.

Molho de tomate caseiro rápido e fácil

Amanhã é domingo, dia oficial do almoço caprichado (e Dia das Mães!), da massa e nada mais justo do que compartilhar uma receita fácil, rápida (6 min no fogo) e saudável de molho de tomate fresco caseiro para fazer a alegria da sua refeição. Afinal, o segredo de uma boa massa, é um bom molho!

tomatoes-646645_640

Essa receita chama atenção por ser muito prática. Até então nunca tive conhecimento de uma receita de molho que não ficasse horas apurando no fogão e ainda passasse por outros processos demoraaaados. Dava até desgosto pensar em ter tanto trabalho para um resultado caro e pouco rentável.

Porém, com esse molho é diferente. Sabor é seu nome e praticidade é o sobrenome. Aproveita que hoje é sábado, tem feira livre, sacolão e promoção no supermercado em várias cidades, e já faz a comprinha do tomate e dos temperos para preparar um molho bem gostoso para servir um almoço especial para sua mãe amanhã.

tomato-498721_640

Dica: Mesmo com as altas nos preços, as feiras livres e sacolões sempre ofertam produtos mais baratos. Geralmente, nesses lugares, há opções de bacias e pacotes pré-selecionados com tomates não tão bonitos, mais maduros e amassadinhos, que podem não servir para uma salada, mas são excelentes para um molho caseiro. Procure por eles e economize! O importante é estarem bons, não importa a aparência.

A receita original é da Rita Lobo, do programa Cozinha Prática, do canal GNT. A Rita propõe o uso de uma lata de tomate pelado em cubos, o que deixa o custo total mais alto, visto que esse tipo de produto é caro. Para tornar a receita mais em conta e acessível, a nossa proposta é fazer uma substituição por extrato de tomate, do mais baratinho, já que o seu papel na receita é encorpar e ajudar a dar cor. Ok?!

tomatoes-675877_640

As ervas e temperos também são substituíveis, de acordo com o gosto de cada um. A Rita fez um molho de paladar bem tradicional italiano, com manjericão, mas quem não é fã pode adaptar como preferir. Você vai precisar de:

  • 4 tomates italianos (ou débora ou o que tiver) maduros
  • 1 lata ou sachê de extrato de tomate
  • ¼ de xícara de água
  • 10 folhas de manjericão
  • 3 colheres (sopa) de azeite
  • 2 colheres (sopa) de manteiga (ou azeite)
  • ½ cebola descascada
  • 1 pitada generosa de açúcar
  • 1 colher (chá) de sal
  • 1 pitada de pimenta-do-reino moída (opcional)

  1. Numa tábua, corte os tomates em pedaços e transfira para o copo do liquidificador (se quiser, retire e descarte as sementes). Junte o extrato de tomate e bata tudo até ficar liso.
  2. Corte ao meio e descasque uma metade da cebola. Guarde a outra metade, só vamos usar uma. Lave e seque as folhas de manjericão.
  3. Coloque três colheres (sopa) de azeite numa frigideira ou panela grande e leve para aquecer em fogo médio. Junte metade do manjericão e deixe fritar por apenas dois minutos.
  4. Acrescente o tomate batido, tempere com o sal, a pimenta-do-reino e o açúcar e misture. Junte a cebola (sem picar) e deixe cozinhar por seis minutos.
  5. Desligue o fogo, acrescente o restante do manjericão e a manteiga – ela deixa o molho ainda mais aveludado, mas também pode ser o azeite – e misture até derreter. Sirva a seguir.

Difícil?! Não, né?! Liquidificador, panela, não precisa picar, nada muito elaborado, porém com um resultado maravilhoso.

Para retirar a acidez, você pode acrescentar uma colher de chá de fermento em pó junto aos tomates, antes de bater.

beef-17040_640

Esse molho dura até três dias na geladeira e pode ser congelado. A Rita deu uma super dica ensinando a congelar em sacos com fechamento ziplock (aquele abre e fecha): você enche até a metade do saquinho, fecha e leva ao congelador sobre uma forma ou algum apoio plano. Depois de congelado, fica como se fosse uma “folha”, o que facilita o armazenamento, ocupa pouco espaço, além de permitir o uso sem sacrifícios: basta quebrar lascas e usar conforme o desejado.

E se você ainda está em dúvida se vale a pena fazer ou não essa receita, veja AQUI quais são os benefícios do tomate e o que você está deixando de absorver consumindo molhos industrializados.