Publicado em Saúde e Bem-estar

Dores causadas pela pressa: saiba quais são e como evitá-las

Conteúdo original Minha Vida

Quando nos vemos diante de um evento estressante, como uma mudança de trabalho, uma doença de parente ou uma viagem cansativa, é mais fácil perceber como o corpo sente. Mas fatores que enfrentamos no nosso cotidiano também influenciam.

Vivemos com pressa e esse corre-corre tem um preço. Ficamos tensos para acordar e não perder um compromisso, chegar ao trabalho na hora, entregar o trabalho a tempo e assim por diante. Tudo começa com um pequeno desconforto, depois vem uma dorzinha aqui e outra ali, dia sim e dia não até os sintomas se tornaram constantes e repetitivos.

Como o corpo reage à agitação diária

A pressa aciona o sistema nervoso simpático para que o corpo possa responder aos estímulos mais rapidamente. Para o cérebro, esse é o mesmo mecanismo que acionamos involuntariamente quando estamos em uma situação de perigo, preparando o corpo para fugir ou lutar, liberando cortisol e adrenalina pelas suprarrenais. São elas que aceleram batimentos cardíacos e respiração, aumentam a pressão arterial e contraem os músculos.

Essa é uma reação que deveria ser passageira, mas que acaba se tornando corriqueira pela agitação diária. Essa sobrecarga tem consequências que podem ser passageiras ou se tornarem crônicas se continuarmos com esse mecanismo ativo por muito tempo.

O excesso de hormônios acaba sendo tóxico. O cortisol, por exemplo, faz com que armazenemos triglicérides, gordura que altera a insulina e essa resistência pode levar ao diabetes. Você já viu quantas pessoas têm diabetes no mundo? E quantas vivem apressadamente?

O mecanismo ainda diminui a função dos leucócitos, que são as células de defesa, podendo deixar a porta mais aberta para vírus e bactérias.

As liberações repetidas dos hormônios do estresse inibem a liberação de serotonina, substância que ativa os sentimentos de bem-estar. Outros efeitos podem estar associados como o aumento no risco de derrame, alta incidência de dor de cabeça, insônia, mais sensibilidade à tensão pré-menstrual, diminuição do desejo sexual e até impotência temporária.

Disfunções da tireoide, que podem causar variações de peso, problemas de pele, diminuição do desempenho cognitivo, problemas gastrointestinais e até desatenção, quem já não se pegou mais distraído por conta da pressa, não é mesmo? E com a distração surgem quedas e torções. Os ossos ficam mais fracos e os músculos se tornam mais rígidos. A dor nas costas mais comum, chamada de miofascial, ocorre com frequência em quem vive com a agenda lotada. Ou você nunca esbarrou com alguém que está se queixando de ter um nó muscular em uma área que acumulou tensão?

Se por longo prazo, o cérebro se acostuma a receber esses impulsos e, mesmo que o problema já tenha sido resolvido, a dor persiste, é preciso fazer um tratamento para desacostumar o cérebro da dor.

Mudança de hábitos

Mas você pode mudar esse processo e evitar as dores crônicas e os outros efeitos do corre-corre sobre o organismo. É preciso se conscientizar já nas primeiras reações do corpo.

Se desconfortos, como dores na coluna, na cervical e dor de cabeça, já estão mais frequentes é fundamental mudar hábitos para melhorar a qualidade de vida. Comece adotando medidas simples, mas que podem fazer muita diferença:

  • Diminua a ingestão de alimentos que excitam, como o café e o chocolate

  • Reserve um tempo todo dia para fazer uma atividade prazerosa, sem celular na mão, sem redes sociais conectadas

  • Planeje seu dia com intervalos maiores entre as atividades

  • Se tiver a oportunidade, tire uma soneca de 20 minutos, ou simplesmente relaxe o corpo, no meio do dia.

Viver melhor é viver sem dor!

Anúncios
Publicado em Equilibrando

39 pequenas felicidades que (talvez) você não preste atenção

Esse post é para descontrair. Relaxar nessa semana que já está quase chegando ao fim. Veja se você se identifica com alguma dessas situações…

“1. Fazer xixi quando você está muito apertada.

2. A última mordida no hambúrguer.

3. Cheiro de papel novinho.

4. Quando o ônibus chega na mesma hora que você.

5. Encontrar o celular na bolsa depois de quase ter um infarto pensando que perdeu.

6. Um abraço depois de um dia difícil.

7. Quando a encomenda chega antes do prazo.

8. Dormir sem tirar a maquiagem.

9. O primeiro gole de cerveja depois de muito tempo sem.

10. O momento glorioso de tirar os cílios postiços.

11. Quando você acorda no meio da noite e percebe que tem mais horas para dormir.

12. Pagar barato numa roupa que estava 7 vezes mais cara um dia atrás.

13. Tirar o sutiã.

14. Cheiro de café.

Pão fresco e pipoca também! 🙂

15. Quando aquela roupa serve perfeitamente em você.

16. Quando chega aquela mensagem que você estava esperando.

17. Quando sua música preferida toca no rádio.

18. Dormir à tarde.

19. Não ter hora pra acordar.

20. OPEN BAR.

21. Balançar a foto polaroid.

22. Quando o shuffle acerta e coloca uma música que define o momento da sua vida.

23. Estourar uma espinha. Mas fique claro: é um prazer da lista dos proibidos, tá?! 🙂

24. Fazer a sobrancelha.

25. Quando você acorda e seu cabelo está ótimo.

26. Tirar o esmalte.

27. E fazer a unha também.

28. Pés na areia.

29. Dormir com chuva.

30. Colocar a cabeça pra fora do carro.

31. Cantar na rua quando não tem ninguém por perto.

32. Tirar o salto.

33. Achar dinheiro no bolso da calça.

34. E achar dinheiro na rua.

35. Abrir o congelador e encontrar a forma cheia de gelo.

36. Amostras grátis! ❤

37. Quando um estranho sorri gentilmente pra você.

38. Encher a mão de cola, esperar secar e descascar.

39. Esta fantasia:”

Conteúdo original M de Mulher
Publicado em Equilibrando

Entre o bom e o ruim há mais do que se imagina

Conteúdo original World of Dance

girl-990585_640

“Há pessoas que dão a impressão de terem nascido com um humor privilegiado, uma capacidade maior de superar obstáculos, uma resistência especial para enfrentar quaisquer circunstâncias. Sem contar que nunca parecem cansadas, estão sempre sorridentes, arrumadas e perfumadas, prontas para a próxima festa. Outras parecem caminhar pela vida acompanhadas por uma nuvem negra. Para estas, o copo está constantemente meio vazio, e lembram a hiena do desenho Lippy e Hardy, sempre repetindo: “Ó dia, ó vida, ó azar, eu disse que não ia dar certo.”

Mas tanto a percepção de indivíduos que parecem ter saído de um comercial de margarina quanto a dos eternos pessimistas não correspondem à verdade. Todo mundo reage a estímulos externos e está sujeito a oscilações de humor.

people-932069_640

O que diferencia as pessoas é a forma como pensam e sentem as adversidades. Todos têm seu dia ruim, quando nada parece dar certo, mas é a intensidade e a frequência das respostas emocionais que vão definir os comportamentos das pessoas e sua qualidade de vida.

Se os contratempos se repetem, as frustrações se avolumam e a balança do cotidiano parece pender com mais constância para o lado negativo, a resistência a tais dificuldades pode sobrecarregar o indivíduo, atrapalhar suas noites de sono, modificar seus hábitos alimentares, causando-lhe estresse, ansiedade e depressão.

girl-358771_640

Ele fica mais vulnerável às dificuldades e passa a dar um peso exagerado a tudo, desde problemas no trabalho e de relacionamento a aborrecimentos comuns no dia a dia, como engarrafamentos, atrasos, telefonemas inúteis para operadoras de telefonia. Irrita-se e sofre por qualquer motivo e olha tudo com lentes de aumento, supervalorizando defeitos e pequenos deslizes em si mesmo e nos outros.

Quando se é dominado por longo tempo pela sensação de desvalor, de ser inadequado, falho e indigno de afeto; por insegurança, medo, dúvidas, tristezas e pensamentos repetitivos de culpa e ressentimento que, em vez de refletir a realidade, a distorcem, deve-se considerar a possibilidade de haver desenvolvido um transtorno e ser indicado procurar tratamento psicológico.

girl-925410_640

Segundo Epicteto (filósofo grego, século 1 d.C.), “O que perturba o ser humano não são os eventos, mas a interpretação que se faz deles.” Já ia me esquecendo. Sobre as pessoas referidas no início do texto, que veem tudo em cor-de-rosa, como Pollyanna, personagem símbolo de superação e otimismo, que nunca reclamam nem se indignam com injustiças e maldades dirigidas a elas, também podem se beneficiar de psicoterapia. Afinal, quanta raiva e insatisfação estarão escondidas pelo eterno sorriso de anúncio de creme dental?”

Publicado em Saúde e Bem-estar

Tenha um dia-a-dia mais relaxado

Texto de Jessica Moraes, em Mais Equilíbrio

A semana começou tensa? Então pare tudo que está fazendo e confira o que você pode fazer para relaxar e ter uma semana mais calma seja em casa ou no trabalho. Se o estresse faz parte constante da sua rotina, está na hora de reverter esse quadro para que isso não afete a sua saúde e o seu bem estar.

stress-543658_640

Recorrer a pequenas pausas ao longo do dia ajuda muito. Caminhe, saia da sua mesa de trabalho para beber um copo d’água, respire fundo, alongue-se, se possível. Diversificar a rotina ajuda a manter a calma e ter boas noites de sono.

Uma alimentação balanceada também é uma alternativa para trazer mais paz e relaxamento no seu dia a dia. Uma pessoa que evita a ingestão de alimentos energéticos, como café, açúcares e gorduras, tem humor mais leve.

00-52-29-429_640

O ideal é tirar proveito dos alimentos e bebidas que agem no sistema nervoso central, melhorando o seu funcionamento e produzindo substâncias calmantes. Itens ricos em vitaminas do complexo B, selênio, magnésio, potássio e zinco agem no sistema nervoso central, estimulando a produção de hormônios que melhoram o humor (serotonina) e o sono (melatonina).

Alguns exemplos: castanhas, banana, grão-de-bico, cereais integrais, aveia e folhas verde-escuras. Chás, como de maracujá, erva-cidreira e valeriana, também são tranquilizantes naturais.

Evite: o consumo exagerado de cafeína (café, chocolate, bebidas energéticas, refrigerantes) e de açúcar, sal e gorduras, que aumentam a produção do hormônio cortisol. “Essa substância libera adrenalina no corpo, que leva ao nervosismo”, explica a nutricionista.

planting-783342_640

A prática de atividades físicas que sejam prazerosas, como caminhar, cuidar do jardim ou jogar tênis, por exemplo, alivia a sensação de opressão e relaxa os músculos.

Um exercício para relaxar nesse exato momento: sentada, com as costas retas e os pés no chão, expire soltando a coluna para a frente. Depois inspire, alinhando-a. Após cinco respirações você já vai sentir a diferença. Relaxe!

nature-768458_640