Tag: cozinha criativa

Reaproveite as sobras do dia anterior; veja dicas de chefs

Conteúdo original Terra

 

Para muita gente, preparar um almoço ou um jantar é uma atividade bastante prazerosa. Mas, na maioria das vezes, a comida preparada sobra, fica na geladeira por alguns dias e, em seguida, vai parar no lixo.

Segundo um estudo realizado pela Organização para a Agricultura e Alimentação (FAO), da ONU, mais de um bilhão de toneladas de comida vira lixo todos os anos no mundo todo. No Brasil, estima-se que cerca de 30% dos alimentos produzidos vai para o lixo e sem nenhum tipo de reaproveitamento.

Isso acontece porque as pessoas não sabem como reaproveitar a comida do dia anterior e preparar novos pratos, o que pode ser ainda mais prático do que começar do zero. Para isso, basta um pouquinho de criatividade e boa vontade.

Fernanda Pitta e Bruno Pasquali Bortolotti deram algumas dicas de como reaproveitar os ingredientes mais comuns entre os brasileiros. “Podemos reaproveitar praticamente tudo o que sobra em nossa geladeira, transformando o prato do dia anterior em uma receita diferente”, afirmou Pasquali. Segundo o chef, a melhor maneira de fazer isso é abrir a sua cabeça para novas experiências gastronômicas.

Veja algumas dicas a seguir.

Feijão

Segundo Fernanda, o feijão do dia anterior vira um delicioso tutu de feijão no dia seguinte. “É só bater no liquidificador e refogá-lo novamente com alho, cebola, bacon picadinho. Se quiser pode incluir paio, acrescentar farinha de mandioca torrada para engrossar e couve picada. Não esqueça o azeite extra-virgem no final”, detalhou.

Além disso, o feijão pode virar um caldinho para os dias mais frios. É simples: bata no liquidificador, leve ao fogo novamente e coloque bacon frito e cebolinha verde. Pasquali deu uma dica diferente. “Se coado, o grão pode ser usado como acompanhamento para a salada”, afirmou.

Arroz

Este ingrediente pode virar um bolinho e servir como acompanhamento do prato principal no dia seguinte. “Podemos adicionar um novo ingrediente à receita tradicional como o espinafre, abobrinha, brócolis ou talos de vegetais – que às vezes jogamos no lixo – algum queijo que já esteja com os dias contados ou até mesmo alguns embutidos”, explicou Pasquali.

Além disso, para sair do óbvio, é possível mudar a cara desse arroz, preparando uma receita de forno. “Dá para fazer com ingredientes que temos enlatados, como milho, ervilha ou seleta de legumes. Misture esses ingredientes ao arroz e uma lata de creme de leite”, explicou Fernanda. “Depois é só montar a travessa, intercalando com camadas de presunto e mozzarela, e levar ao forno para gratinar.”

Frango

Aquele suculento frango assado do domingo pode completar panquecas na segunda-feira. “Pode usar as sobras desfiadas e criar um refogado com alho, cebola, tomate, requeijão e cheiro verde e fazer um belo recheio ou uma torta de frango”, explicou Fernanda. Outra opção é fazer um fricassé: basta desfiá-lo e misturar com catchup, mostarda, champignon, molho inglês e creme de leite.

Pasquali deu uma dica diferente: “se você tem um peito com a carcaça, pode aproveitá-la para fazer um caldo de frango. Junte com água e alguns legumes e vegetais, cenoura, cebola, salsão, alho poró, que com certeza será muito mais saboroso e saudável do que o caldo industrializado que costumamos usar”, explicou.

Carne

Que tal um chilli para comer com tacos? Se for carne moída, você pode misturar com a sobra de feijão. “É só amassar bem o feijão, misturar com a carne e colocar uma lata de molho de tomate, um pouco de bacon picado e frito, duas pimentas dedo-de-moça picadinhas e coentro picado”, explicou Fernanda. Se for carne de churrasco, você pode enriquecer as sopas ou cozinhar com o feijão.

A gordura da carne que geralmente vai para o lixo também pode ser aproveitada. “Ela rende um nutritivo e saboroso caldo, reaproveitado da mesma maneira que o caldo de frango. Reaproveite a gordura interna da carne, não a que reveste a peça”, explicou o chef.

Salada

Segundo Pasquali, se a salada estiver bem armazenada e ainda não tivertemperos, tem um tempo de vida maior. “As folhas devem ser guardadas secas e sem sal, em um recipiente fechado hermeticamente.”

“A rúcula fica deliciosa como recheio de panquecas e lasanhas. É só montá-las usando mozzarela e tomate seco”, destacou Fernanda. “O agrião fica perfeito colocado no final de um creme de batatas e também em uma rabada.”

Talos

Além disso, os talos que normalmente as pessoas jogam fora ao preparar uma salada também podem ser utilizados. “Talos de salada podem ser batidos com frutas, para um suco mais nutritivo, assim como talos de brócolis, cenoura, beterraba”, acrescentou Pasquali.

“Os talos de espinafre, brócolis e beterraba são nutritivos para cozinhar no arroz ou mesmo picadinhos e refogados. Pode misturar nos ensopados e caldos”, contou a chef.

Macarrão

O macarrão que ficou na geladeira pode virar uma bela salada no dia seguinte. “Basta acrescentar cenoura em tiras, mozzarela de búfala, tomate seco e rúcula”, disse Fernanda.

Pasquali explica que o mais importante é não deixar o macarrão cozinhar muito quando estiver sendo preparado da primeira vez. “É preciso esperar esfriar completamente antes de guardá-lo em um recipiente na geladeira, evitando assim que ele fique muito mole para reaproveitá-lo”, disse.

Peixe

É possível usar as sobras de peixe, como por exemplo, o salmão, para fazer uma salada com o peixe em lascas, abobrinha grelhada, tomate-cereja e molho pesto.

O peixe também pode ser desfiado e virar bolinho. “Basta acrescentar um pouco de farinha, ovo para dar liga, tempero a gosto, fazer bolinhas e colocar para assar. Também pode empanar as bolinhas e fritar”, acrescentou o chef.

Frios

“Os frios que sobram podem ser usados na massa que também sobrou para fazer um macarrão à moda pizzaiolo.” Segundo Fernanda, é só picá-los, misturar ao macarrão com tomates picados e levar ao forno.

“Embutidos podem ser misturados no arroz ou em uma omelete mais caprichada”, acrescentou Pasquali.

Pão

O pão velho pode virar um pudim de pão ou uma farinha de rosca temperada com tomilho e alecrim. “Você só precisa torrá-lo”, acrescentou Fernanda.

O pão-de-fôrma pode virar croutons se picados em cubos e assados com azeite, orégano e sal. “Fica uma delícia para colocar sobre as saladas de folhas”, explicou Fernanda.

Pasquali deu a dica de deixá-los como os de couvert de restaurantes: “passe manteiga, alho, azeite e ervas finas.”

Tomate

Tomates que estão muito maduros não precisam virar molho de tomate. “Você pode cortá-los ao meio, retirar as sementes e colocar em uma assadeira. Depois, temperar com alecrim, tomilho, sal e azeite e assá-los”, detalhou Fernanda.

Receita: panqueca salgada de aveia, sem farinha e sem óleo

DSC01796

Sabe quando bate aquela vontade de fazer um almoço diferente, uma receita gostosa, mas não tem todos os ingredientes em casa? Aí, sem querer desistir da gostosura, você sai procurando alternativas possíveis com o que você tem à mão?! Pois é! Foi exatamente isso que aconteceu aqui em casa e que, felizmente, me levou à essa massa de panqueca deliciosa a base de aveia.

É uma receita bem leve e supersaudável. Não leva nada nada de farinha de trigo, nem óleo, como a maioria das panquecas mais tradicionais. A grande vantagem, além de evitar a farinha branca, que é a grande vilã das dietas e de quem busca eliminar a barriguinha, é aliar as propriedades da aveia a um alimento versátil, prático, e ainda enganar o paladar de quem não é muito fã desse farináceo.

A alquimia original é do blog Menu Criativo, porém eu dei meu toque pessoal na combinação, acrescentando um dentinho de alho para saborizar. Isso porque tive receio de a aveia deixar um traço de sabor mais forte, o que seria bem estranho pra mim, pois costumo relacionar aveia a mingau e a preparações doces (mente limitada, talvez). Mas pode fazer sem medo, que com recheio e molho não tem nem como dizer que é de aveia, fica realmente muito gostoso.

Panqueca de Aveia

DSC01797

Rende 6 panquecas

  • 1 xícara de chá aveia em flocos (finos, grossos, pode ser farinha de aveia também)
  • 1 ovo
  • 1 xícara de chá leite (integral, desnatado ou vegetal)
  • 1 dente de alho (tamanho médio)
  • 1 pitada de sal

O básico: bata tudo no liquidificador por uns 2 ou 3 minutos, até que a veia esteja bem incorporada no leite e vire uma massinha líquida, porém grossinha, espessa. Prepare em frigideira aquecida antiaderente. Cada panqueca equivale a uma concha cheia de massa. Espalhe por completo na frigideira e deixe dourar em fogo baixo dos dois lados. Quando começar a aparecer bolhinhas ou estiver com uma aparência mais seca por cima, está na hora de virar.

DSC01795

O recheio e o molho ficam a sua escolha. As minhas foram frango desfiado bem temperadinho e molho vermelho simples. Você pode fazer com carne de vaca, de porco, com ricota, legumes, presunto e queijo, calabresa e acompanhar com molho rose, branco, de iogurte, agridoce… enfim, o que a criatividade permitir! É uma ótima pedida pro domingão, heim. E, pra melhorar, que tal servir com a batatinha palha caseira que já ensinamos AQUI?! Huuuummm… Bom apetite!