Tag: drenagem linfática

O que é ácido lático e qual a relação com a atividade física

O que é ácido lático e qual a relação com a atividade física

Você já sentiu aquela dorzinha ardida algumas horas após um bom treino muscular?! É uma sensação de queimação local que deixa a gente cauteloso nos movimentos e só passa após os próximos treinos. Sabe porquê isso acontece?! Vem do acúmulo de lactato nos músculos.

Também conhecido como ácido lático, o lactato pode ser produzido por todo o corpo naturalmente. Ele é um resultado da rápida queima de carboidratos quando a demanda por energia é alta e a disponibilidade de oxigênio é baixa, como durante os treinos de alta intensidade.

A glicose é o combustível mais prontamente disponível do corpo, facilmente transportado e quebrado para suportar explosões curtas de exercício intenso. A glicose é metabolizada por um processo chamado glicólise, resultando em piruvato. Existem dois usos possíveis para o piruvato: produção de energia anaeróbica ou aeróbica.

Quando há bastante oxigênio, o piruvato é transformado em energia na forma de ATP através da via aeróbica. Sem oxigênio suficiente presente, o piruvato tem outro destino: a conversão anaeróbica para lactato. Então, todo aquele bufar e ofegar durante o exercício intenso é usado (entre outras coisas) para alimentar as reações metabólicas que fazem nossos músculos funcionarem.

A maioria do lactato liberado no sangue é levado ao fígado, onde pode ser convertido novamente em glicose através de um processo chamado gliconeogênese, e então liberado de volta à circulação. Os níveis de lactato no sangue aumentam gradualmente à medida que nos exercitamos. Quanto mais difícil o exercício, mais alto ele sobe; Este é um indicador de uma mudança na nossa produção de energia de aeróbica (muito oxigênio) para anaeróbica (menos oxigênio). O acúmulo de lactato é resultado da rápida quebra anaeróbica do carboidrato.

O ácido láctico é o culpado pela dor muscular, mas a produção de lactato é um processo metabólico importante. Diferentes estratégias podem ajudar a minimizar o acúmulo de lactato durante o exercício.

O aquecimento é importante para reduzir o risco de lesões e minimizar o acúmulo potencial de lactato. Durante um aquecimento, a frequência cardíaca aumenta e os vasos sanguíneos se dilatam, o que significa que há mais fluxo de sangue e mais oxigênio chegando aos músculos.

Da mesma forma, desaquecer e alongar imediatamente após um treino é especialmente relevante. O exercício suave (corrida lenta ou bicicleta leve) ou o uso de um rolo de espuma podem ajudar a eliminar o acúmulo de ácido lático do músculo, estimulando o fluxo sanguíneo e a drenagem linfática.

Este artigo foi originalmente publicado pela HVMN.
Fotos Unsplash

Massagem modeladora para você mesma fazer

Essa é para as meninas. Quantas vezes você já se sentiu inchada e estufada? Mesmo fazendo dieta, comendo certinho e bebendo a quantidade recomendada de água, a retenção de líquidos te pega? Fique calma. Nós do Equilibre-se entendemos as suas necessidades e vamos compartilhar um passo-a-passo do M de Mulher que mescla técnicas de drenagem linfática e massagem modeladora para te deixar menos inchada e com a autoestima lá em cima.

Como funciona:

Essa massagem é totalmente feita apenas com as mãos, por meio de pressões leves nas áreas específicas para a ativação dos gânglios linfáticos. A linfa é um fluído rico em glóbulos brancos que circula pelo corpo, sob um princípio semelhante ao do sangue – uma rede de vasos distribuído por toda nossa estrutura.

A função da linfa é eliminar as impurezas produzidas durante o metabolismo celular. Essa “sujeira” é lançada no sangue e transportada pelo sistema circulatório até ser filtrada pelos rins e eliminada na urina.

Por isso, estimular o funcionamento dos gânglios linfáticos pela drenagem ajuda na eliminação de líquidos, toxinas e, consequentemente o inchaço e reduz o aspecto casca de laranja da celulite.

barriga
Imagem da Freepik – Link integrado

Essa técnica também ameniza os sintomas da TPM, pois melhora a circulação sanguínea e auxilia na normalização das taxas hormonais (que sofrem queda nesse período – o que explica nossas constantes alterações de humor e sensibilidade [abafa!]), aumentando a sensação de bem-estar.

Se você levar um estilo de vida mais saudável, essa massagem ainda pode ser uma forte aliada na redução de medidas e eliminação das indesejadas gordurinhas. É ou não é tudo de bom?

Quer aprender a fazer? É importante destacar que os movimentos são firmes, porém a pressão é leve! Não é para doer, nem deixar roxos na pele. Take it easy! (leia-se: Tenha calma!) Vamos ao passo a passo (explicações originais do M de Mulher/ fotos de Mari Queiroz e Luciana Cristhovam):

1. Com os ossinhos dos dedos, faça movimentos vigorosos de cima para baixo nos glúteos e na parte interna e externa das coxas. Repita o processo até surgir uma vermelhidão leve. Isso significa que a circulação foi ativada. Mas não exagere para não machucar a pele. Se quiser focar o culote, intensifique o movimento na lateral das coxas
2. Faça o movimento de amassamento nas coxas e no culote com os dedos e a palma das mãos (como se estivesse amassando uma massa de bolo)
3. Deslize a base das mãos nas coxas (na frente, atrás e dos lados) de cima para baixo, alternando-as com movimentos rítmicos. Não esqueça de fazer leve pressão durante a execução do movimento
4. Deslize as mãos em formato de “C” levando a linfa para os gânglios das virilhas, sempre de baixo para cima. Mas comece próximo da virilha, fazendo um caminho curto até o gânglio. Desça até o meio da coxa e “arraste” a linfa mais uma vez para a virilha. Vá fazendo isso, descendo aos poucos até chegar aos pés
5. Com as mãos abertas, faça o movimento de rodo na parte de trás das coxas e nos glúteos, sempre trazendo a linfa em direção aos gânglios localizados nas virilhas – nesse caso de trás para a frente
6. Faça movimentos vigorosos no abdômen de cima para baixo, usando os ossinhos dos dedos das duas mãos. Exerça pressão e mantenha o ritmo
7. Com as mãos abertas, faça o movimento de rodo na região do abdômen – aqui de cima para baixo ou em direção às virilhas. Comece a massagem logo abaixo do umbigo e repita o processo até chegar abaixo dos seios
8. Com a palma das mãos posicionada na região da cintura, repita o movimento de rodo, levando a linfa em direção aos gânglios localizados nas axilas. Lembre-se de que o movimento deve ser suave, mas exercer leve pressão

Atenção grávidas!

esboco-da-mulher-gravida