Tag: evitar

Cólica menstrual: ioga pode ser alternativa para trazer alívio

Conteúdo original Boa Forma

Yoga Nidra ou “sono psíquico”. Mesmo que você nunca tenha ouvido falar nessa prática – antiga, mas pouco conhecida –, talvez queira experimentá-la em breve, muito provavelmente perto da data da sua próxima menstruação.

O que a ciência tem observado sobre o método interessa para a maioria das mulheres: ele pode ser uma terapia complementar eficiente para amenizar o impacto negativo dos distúrbios da TPM, tanto do ponto de vista físico quanto psicológico.

Mas será que funciona? Pesquisadores coreanos fizeram uma revisão de estudos relacionados ao assunto para sanar a dúvida. Eles selecionaram 250 indianas com idade média de 26 anos, que, no período menstrual, apresentavam queixas como cólicas, náuseas e dor de cabeça, além de irritação e ansiedade.

Todas as participantes receberam medicação, mas apenas aquelas do grupo que praticou Yoga Nidra de 30 a 35 minutos por dia, 5 dias na semana, durante 6 meses, apresentaram níveis de ansiedade e depressão significativamente menores.

Os pesquisadores acreditam que a prática aumenta a atividade do sistema nervoso parassimpático, o que diminui a intensidade dos sintomas psicológicos. Outro mecanismo seria a liberação de dopamina – neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar. Mas, para que ela seja realmente considerada uma terapia complementar aliada das mulheres, ainda são necessários mais estudos. Só nos resta meditar para que isso aconteça e os benefícios da prática sejam confirmados!

O QUE É YOGA NIDRA

É uma forma de meditação ou relaxamento – um meio termo entre o estado de vigília e o sono. O corpo relaxa, mas a mente trabalha em um nível mais profundo. Os efeitos são mais benéficos quando você pratica Yoga Nidra depois de exercitar – ter feito um pouco de exercícios de contração muscular. Assim, corpo e mente estarão calmos, sem stress e tensão.

Como praticar

Passo a passo da Arte de Viver para a prática de Yoga Nidra

  1. Deitada de costas, feche os olhos e relaxe. Inspire e expire lenta e profundamente. Se você sentir algum desconforto ou dor na lombar, ajuste a postura ou use uma almofada para elevar um pouco as pernas.

  2. Leve gentilmente sua atenção para o seu pé direito. Permaneça lá por alguns segundos e, então, mova sua atenção para o joelho direito, coxa e quadril (de novo por alguns segundos). Tente se conscientizar de toda sua perna direita. Repita com a perna esquerda.

  3. Faça o mesmo com todas as parte do corpo: área genital, região do umbigo, estômago, tórax, ombro direito e braço direito, seguido do ombro esquerdo e braço esquerdo, garganta, rosto e o topo da cabeça.

  4. Inspire profundamente, observe as sensações no seu corpo e relaxe por mais alguns minutos.

  5. Consciente do seu corpo e do ambiente a sua volta, vire para o lado direito e permaneça por alguns minutos.

  6. Sente-se lentamente e, quando se sentir confortável, abra os olhos devagar.

Refrigerante sem açúcar não ajuda a manter o peso

Conteúdo original Women’s Health Brasil 

lime-907124_960_720

Quem nunca ficou com vontade de tomar refrigerante e, para não boicotar a dieta, preferiu uma versão “diet”, “light” ou “zero”? Pois saiba que a bebida sem açúcar não oferece nenhuma vantagem em comparação à versão normal quando se trata da manutenção do peso. A afirmação vem de um artigo publicado na revista PLOS Medicine e que reuniu estudos feitos por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP), da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e do Imperial College of London.

Os refrigerantes sem açúcar recebem adoçantes artificiais e, segundo os pesquisadores, não há comprovação científica de que eles previnam a obesidade. O consumo dessas versões equivale a ¼ da ingestão global de bebidas doces, mas elas não são taxadas ou reguladas com a mesma rigidez que as bebidas com açúcar.

drink-341489_960_720

Segundo os especialistas, apesar de conter poucas calorias, as bebidas “diet”, “light” ou “zero”  podem desencadear consumo compensatório de comida por estimular os receptores do sabor doce. E o fato de as pessoas terem a impressão de que estão consumindo um produto saudável, com poucas calorias, também é capaz de contribuir para a pessoa se sentir liberada para comer outros alimentos em maior quantidade.

Conclusão: Refrigerantes (no geral) não são saudáveis.

Como reconhecer um AVC

 

Você sabe cozinhar corretamente?

Conteúdo original Mais Equilíbrio

frog-1290527_960_720

Saber cozinhar, antes de mais nada, é uma questão de sobrevivência. Mas é também uma forma de demonstrar carinho pelas pessoas que amamos. Alguns já nascem com um talento nato para tal, enquanto outros parecem perdidos na cozinha. Mas mesmo sendo um expert em gastronomia, às vezes é comum cometer erros. E se esse é o seu caso, não se preocupe; para saber se você sabe cozinhar corretamente, listamos algumas dicas para que você se torne o melhor chef em sua casa.

Não desperdice qualquer alimento

Se é comestível, não jogue as sobras fora! Especialmente em tempos de crise, os alimentos não devem ser desperdiçados de modo algum. Trabalhe com o conceito de aproveitamento de alimentos em sua integralidade. Por exemplo, com as cascas das batatas é possível fazer chips salgados. Com as hastes da maioria dos vegetais, tais como brócolis, couve-flor ou salsa, dá para preparar saladas, sopas e tortas. Ou seja, tudo é reaproveitável!

red-417104_960_720

Cuidado com tempero

O uso de ervas e especiarias é o que dá um toque a mais de sabor em certas refeições. Mas cuidado com os exageros! Além de fazer mal para o organismo, os excesso de tempero sobrecarrega o sabor, ficando quase que impossível experimentar a comida com prazer. Além disso, algumas especiarias são boas para sua saúde, mas há aquelas que podem ser prejudiciais se consumidas em grandes quantidades. Então, moderação é a chave.

Controle a temperatura de cozimento

Dica de mestre: antes de colocar os alimentos na panela, frigideira ou grelha, verifique o ponto da temperatura ideal do fogo. Se a temperatura estiver acima do satisfatório, você corre o risco de queimar os alimentos e isso faz com que eles percam vitaminas e minerais importantes para a sua saúde, além de perder o sabor. Portanto, encontrar a temperatura certa é crucial para uma refeição perfeita.

olive-oil-968657_960_720

Escolha o tipo de óleo para o cozimento

Existem muitos tipos de gorduras e óleos para cozinhar, como óleo de soja, de canola, de girassol, óleo de coco, entre outros. E todos eles têm algo em comum: o chamado “ponto de fumaça”. Isto representa a temperatura com a qual o óleo começa a queimar. Sendo assim, gorduras e óleos com um ponto de fumaça elevado, como manteiga ou gordura animal, são melhores para fritar ou cozinhar, enquanto aqueles com um ponto de fumaça menor, incluindo azeite ou óleo de girassol, são perfeitos para temperar saladas e molhos. Vale a pena notar que o excesso de gordura não é saudável, mas cortá-la completamente de sua dieta também não é boa ideia. Cabe lembrar que a ingestão de gordura insuficiente poderia diminuir a produção natural de testosterona, tanto em homens quanto em mulheres.

Com estas dicas de culinária, levando em conta algumas mudanças simples na maneira como você prepara sua comida, é possível ter alimentos altamente saudáveis, saborosos e com o mínimo de desperdício.

7 maneiras (fáceis!) de desinchar em apenas 1 dia

Conteúdo original M de Mulher

Sabe quando você acorda achando que engordou 2 quilos da noite para o dia? Sim, esse tipo de pânico é comum e você não está sozinha. A maior de nós já passou pela situação nada agradável. A boa notícia é que na maioria das vezes o problema não passa por um inchaço temporário e que você pode resolver com alguns ajustes simples na alimentação. Veja o que fazer:

belly-2473_960_720

1. Troque todas as bebidas por água

Pode até parecer contraditório, mas ingerir muita água não vai te fazer inchar. O seu corpo muitas vezes armazena água de modo a não ficar desidratado, mas se você está constantemente ingerindo o líquido, o seu corpo expulsa um pouco do estoque. Resultado: corpo mais enxuto e sem retenção de líquidos, acredite.

2. Evite alimentos com ‘álcoois de açúcar’

Os alimentos que são compostos de álcoois de açúcar, um tipo de adoçante de baixa caloria, podem contribuir para o seu inchaço. Eles causam alterações no seu trato gastrointestinal e podem levar a gases, cólicas, inchaço, e até mesmo a diarreia se você ingerir muito. Esses sintomas desagradáveis ​​são um indício de que é difícil para o seu corpo quebrar totalmente esses adoçantes durante o processo digestivo. Há também o fato de que eles tendem a estar presentes em alimentos altamente processados, o que só agrava o problema digestão.

3. Preste atenção à sua ingestão de fibra

appetite-1238252_960_720

Ela mantém o seu sistema digestivo funcionando e ajuda você a se sentir saciado por mais tempo, o que é uma vantagem se você quer perder peso. Porém, se não estiver acostumada a consumir fibra e começar a ingerir altas quantidades em um curto período de tempo, isso pode te deixar inchada. O recomendável é entre 20 e 25 gramas por dia e tomar muita água junto com qualquer alimento fibroso para ajudar seu corpo digeri-lo mais facilmente,

4. Escolha suas frutas e vegetais com sabedoria

Frutas como cerejas, pêssegos, uvas e mangas podem inchar você mesmo tendo uma abundância de benefícios nutricionais impressionantes. Apesar de saudáveis, estas frutas contém grande quantidade de álcoois de açúcar ou açúcar. Se você está tentando desinchar, fique com amoras, morangos, melão e laranja, que têm menor teor de açúcar e grande quantidade de água.

Quanto aos vegetais, os crucíferos, como couve de bruxelas, brócolis e couve-flor são carregados de rafinose, o mesmo composto que produz gases quando você come feijão. Para acertar nas escolhas, aposte nos que possuem grande quantidade de água, como pepino e abobrinha.

5. Fique livre dos carboidratos

cake-74206_960_720

O carboidrato refinado, presente em produtos elaborados com a farinha branca, como pães, bolos, pizzas, podem favorecer o inchaço. Algumas pessoas têm intolerância a esses alimentos e em alguns casos apresentam alergias associadas a seu consumo.

6. Mastigue, mastigue, mastigue

Às vezes, a culpa não é do que você come, mas como você come. Se você gosta de conversar  enquanto realiza suas refeições ou tem o hábito de mastigar muito rápido, o seu estômago está recebendo, juntamente com a comida, uma grande quantidade de ar. O resultado você já pode imaginar, né? Barriga inchadinha e digestão lenta. A gente também já falou por aqui que mastigar pode ser a chave para você controlar a gula e manter a balança sob controle, lembra

7. Corte os alimentos salgados

Se, de repente, o seu sutiã apertou e você está se sentindo como se estivesse com um espartilho, fique longe dos alimentos ricos em sódio. Quando você exagera no componente, seu corpo retém mais água para tentar manter o equilíbrio adequado em sua corrente sanguínea. Se possível, fique com uma inferior a 2.400 miligramas de sódio por dia e, novamente, a água todo o tempo é fundamental para diminuir o problema.

Especial de Natal: Comer bem e com saúde

Conteúdo original Mais Equilíbrio

christmas-dinner-1003539_960_720

Geralmente, nesta época do ano, as pessoas exageram na alimentação. Comem tudo aquilo que sentem vontade. Mas assim como em todos os outros dias do ano, é importante ter moderação, ou seja, comer de tudo mas sem exageros. Para ter uma ceia equilibrada, é fundamental saber equilibrar a sua refeição.

No prato, deve constar um alimento de cada grupo: cereais (arroz, massas, batata, mandioca, etc.); carnes (carnes em geral), hortaliças (verduras e legumes, neste grupo você poderá ter mais de uma preparação), leguminosas (soja, feijão, ervilha e lentilha) e frutas.

goose-1064406_960_720

Uma dica interessante para que o seu prato esteja repleto de diferentes tipos de vitaminas e minerais é que ele esteja colorido, porque assim há o fornecimento de nutrientes diferentes.

Outro ponto importante é a quantidade. Para que você não adquira uns quilinhos a mais após as festas, não exagerar nas quantidade é fundamental. Comer de tudo mas em quantidades pequenas é o segredo para saborear todas as delícias, sem culpas.

white-791099_960_720

Pronto, agora que você já sabe todos os itens importantes para compor sua ceia para que ela esteja balanceada, vamos dar algumas dicas sobre como deve ser sua alimentação neste dias de festas:

  • Como a ceia é somente à noite, não fique o dia inteiro sem comer. Faça as refeições durante o dia normalmente, optando por consumir preparações leves.
  • Enquanto você elabora os pratos, evite ficar beliscando ou experimentando as preparações.
  • Durante a ceia, faça apenas 1 prato. Não fique repetindo.
  • Use e abuse das frutas e de sucos de frutas naturais.

christmas-stollen-1084954_960_720

  • Muito cuidado com a bebida alcoólica. Escolha apenas um tipo de bebida para consumir durante à noite e beba com moderação.
  • Quanto às sobremesas, dê preferência pelas frutas ou doces à base de frutas, como mousses, gelatinas e pudins, ao invés de doces muitos elaborados como pavês, tortas e etc. Evite repetir.

Seguindo as dicas e tendo uma ceia balanceada, conforme explicamos acima, você vai saborear de tudo, com saúde, sem ter que ficar preocupada em adquirir quilinhos extras.

Alimentos que restauram a flora intestinal

Ultimamente ouvimos muita coisa sobre o microbioma – os trilhões de bactérias probióticas que vivem entre a gente e dentro da gente. Como os estudos confirmam, esses bichinhos contribuem para a nossa saúde de inúmeras formas, como nunca antes foi imaginado.

koli-bacteria-123081_640

As bactérias benéficas em nossos intestinos, por exemplo, ajudam a digestão, na fabricação dos nutrientes, protegem contra agentes patogênicos de origem alimentar e até mesmo parecem desempenhar um papel na regulação do peso corporal.

No entanto, essas criaturas podem ser dizimadas por antibióticos e outras terapias medicamentosas e, inclusive, em quadros mais sérios de diarreia. Quando isso acontece, você deve restaurar a flora intestinal, buscando recuperar essa população benéfica o mais rápido possível.

Os alimentos que você come logo nos primeiros dias após a mudança da sua rotina, que levou à desestabilização do ambiente intestinal, terão um grande impacto sobre o quão rápido e bem as bactérias intestinais irão se recuperar. Esse processo com mais cautela alimentar dura cerca de 15 dias. Veja quais os três grupos de alimentos você precisa priorizar e quais os que deve tentar evitar:

Alimentos que AJUDAM A REPOR as bactérias do intestino

Grupo 1: Fermentados e cultivados

Kefir, iogurte, missô, kimchi, natto, chucrute (conserva de repolho fermentado) e outros vegetais em conserva, pois, naturalmente, cada um contém diferentes tipos de bactérias probióticas.

A ciência está apenas começando com a enorme tarefa de catalogar todas as diferentes bactérias presentes no intestino humano e descobrir o que elas fazem. Por isso, é muito cedo para declarar certos alimentos probióticos ou bactérias como melhores do que outros.

Na verdade, parece que a diversidade das bactérias no intestino pode ser mais importante do que qualquer origem individual. Portanto, para esse fim, procure comer alimentos fermentados e cultivados os mais diferentes quanto possível como parte do programa de repovoamento.

Grupo 2: Alimentos prebióticos

No processo de restauração da flora também é importante criar um ambiente rico em alimento às bactérias, para que elas se sintam em casa e inclinadas a permanecer. Isso significa ingerir uma abundância de alimentos ricos em fibras. Em particular, os que são ricos em fibras solúveis, como a linhaça e sementes de chia, feijão e legumes, maçãs, aveia e farelo de aveia.

Grupo 3: Vegetais crus

Frutas frescas e vegetais também são boas fontes de fibra. E quando você os come crus, tem mais chances de absorver alguns dos micróbios que vivem no solo onde são cultivados. (Parece nojento, mas é importante. E o nosso corpo está cheio de cada coisa… que é melhor nem parar para pensar.)

Para aproveitar todas as fibras, você deve consumir alface, espinafre, rabanete e cebolinha, por exemplo. Higienize-os para se livrar das sujeiras e coma-os crus.

Alimentos que DEVEM SER EVITADOS para restaurar as bactérias do intestino

Há algumas coisas que devem ser evitadas, porque tendem a promover o crescimento das bactérias não desejáveis.

AÇÚCAR

Você deve limitar ao máximo o consumo de açúcares a não mais do que 25 gramas por dia (o que dá, aproximadamente, duas colheres e meia de sopa). Isso porque as bactérias que prosperam em açúcares refinados não são tão benéficas na reposição.

As contidas nos alimentos descritos acima são mais essenciais de proliferação nesse momento. A mesma recomendação vale em dobro para adoçantes artificiais. Por isso, controle-se.

Carne vermelha

As pessoas que comem muita carne vermelha (uma ou mais porções por dia) têm maior risco de doença, em parte, porque essa ingestão leva a uma mudança desfavorável em suas bactérias intestinais.

Esta não deve ser uma preocupação para quem come pequenas quantidades de carne vermelha (não mais do que uma ou duas vezes por semana). Em todo caso, adie a carne vermelha por uns dias, enquanto está repovoamento as bactérias do intestino.

Ovos ou frutos do mar mal cozidos

Se você é fã de ovo mole ou ostras, fique atento! Comer esses alimentos sempre traz uma certa dose de risco. Mas, para cultivar uma população robusta de bactérias amigas do intestino, você deve ser resistente e não ingerir esses tipos de alimentos.

Menu para o intestino saudável

Em resumo, não há hambúrgueres, sorvetes, ostras ou molho holandês por alguns dias. Porém, isso não significa ficar com fome! A lista de alimentos que são permitidos comer é bem maior do que a de alimentos que precisam ser evitados.

Você pode desfrutar de smoothies verdes, que levam espinafre cru e linhaça. Também é possível preparar mingaus com aveia e até overnight oats, feito com com iogurte, frutas e aveia em flocos. (Se você quiser aprender como preparar overnight oats, clique AQUI.)

Há ainda opção de saladas frescas, lentilhas ou omelete com legumes. Para manter o doce, abuse de maçãs e frutas da estação.

Se tudo isso soa bem para você, não há nenhuma razão para esperar para a sua próxima rodada de antibióticos ou procedimento médico. Por que não alimentar bem seus micróbios essa semana?

Referências

Blaut M, Clavel T. Metabolic diversity of the intestinal microbiota: implications for health and disease. J Nutr. 2007 Mar;137(3 Suppl 2):751S-5S.

Gorkiewicz G, Thallinger GG, et al. (2013) Alterations in the Colonic Microbiota in Response to Osmotic Diarrhea. PLoS ONE 2013; 8(2): e55817.

Lozupone CA, Stombaugh JI, et al. Diversity, stability and resilience of the human gut microbiota. Nature. 2012;489(7415):220-230. doi:10.1038/nature11550.

Fonte Quick na Dirty Tips
Tradução livre de autoria do blog