Hábitos naturais (e poderosos!) contra a queda de cabelo

Perdemos cabelo por vários motivos: stress, envelhecimento, falta de nutrientes, hormônios desequilibrados e até uma certa impaciência para cuidar dos fios como eles merecem. Alguns hábitos podem reverter o cenário.

1. Massagear o couro cabeludo

Além de viciante, a massagem terapêutica melhora a absorção de componentes nutritivos (como os presentes em tônicos). Se feita com regularidade, pode facilmente ser um antídoto para a queda de cabelo, já que promove aumento do fluxo sanguíneo. “Isso estimula a oxigenação e distribui os nutrientes no folículo capilar, mantendo-o ativo e saudável”, diz Renata Souza, do Spa Dios.

2. Pentear os fios do jeito certo

O segredo é pegar leve! Desembaraçar o cabelo ainda no banho, de forma delicada, com ajuda do condicionador ou da máscara, é a melhor forma de evitar a temível queda por tração. E não rola usar qualquer tipo de escova ou pente, ok? “Opte pela menos agressiva, preferencialmente com cerdas macias e naturais ou acessórios de madeira com dentes largos, que não atrapalham a passagem dos fios”, ensina Renata.

3. Suplementar corretamente

Proteína é a principal matéria-prima do cabelo. Quando o nutriente não é ingerido na quantidade correta — 0,8 gramas por quilograma de peso corporal —, os fios enfraquecem. Acontece com quem é vegano ou faz dietas muito restritivas. Nesse caso, a suplementação é obrigatória. “O BCAA é precursor da proteína e contribui bastante para quem sofre com queda; o whey protein dá um bom suporte para o couro cabeludo; já o trio biotina, cistina e cisteína pode prevenir o mal”, explica o dermatologista Alberto Cordeiro, de São Paulo. Antes de ir às compras, porém, consulte um médico.

4. Manter o corpo são e a mente sã

Há fortes indícios de que o stress seja uma possível causa de queda acentuada. Portanto, noites bem dormidas, exercícios regulares e meditação são algumas das formas (nada ruins, diga-se de passagem) de manter o bom nível hormonal, essencial para qualquer função do organismo. “Estas atividades promovem a produção satisfatória de GH e a manutenção do nível ideal de cortisol, o que faz com que o folículo capilar se mantenha ativo por mais tempo. Há ainda menos produção de radicais livres, ou seja, garantia de menor envelhecimento capilar”, conta Alberto Cordeiro.

5. Reeducar seus hábitos alimentares

Comer bem é regra número 1 para quem quer um look de sereia. Anote aí alguns dos nutrientes essenciais para o crescimento e desenvolvimento dos fios, segundo a nutricionista Mariéllen Emidio Figueroa, do Kurotel, de Gramado (RS):

  • vitamina A, presente no atum, no leite e na gema de ovo, que auxilia na produção de colágeno e protege o cabelo dos danos capilares oxidativos;

  • a vitamina C da acerola, kiwi, laranja e brócolis, que atua como excelente antioxidante combatendo os radicais livres;

  • as vitaminas do complexo B (cereais integrais, castanhas e banana), que agem como antioxidante e contribuem para a formação e crescimento de células novas;

  • zinco (frutos do mar e carnes vermelhas);

  • fontes de biotina: frango, gema de ovo, soja, amendoim, germe de trigo e levedura de cerveja.

6. Apostar em chás e infusões

Abra mão do café e invista mais em chás! Especialmente o verde e o de urtiga, que contém ingredientes que inibem a conversão de testosterona em dihidrotestosterona (DHT), um composto ligado à calvície. Já a tanchagem é rica em aucubina, uma substância com efeito anti-inflamatório e anti-microbiano, e alantoína, que ajuda na regeneração capilar.

O chapéu-de-couro é rico em minerais e antioxidantes, e ainda exerce função adstringente, o que minimiza a oleosidade e contribui na prevenção da queda de cabelo. Por fim, a alfavaca tem ação anti-fúngica. Eis uma receita infalível criada por Marcieli Pereira Bandeira, nutricionista do Lapinha Spa, no Paraná:

Misture uma colher de sobremesa de cada uma das seguintes ervas desidratadas: alfavaca, tanchagem e chapéu-de-couro. Coloque um litro de água para ferver. Assim que levantar ebulição, adicione as ervas à água. Desligue o fogo, deixe em infusão, espere que fique frio, coe e tome de duas a três xícaras por dia.

Conteúdo Boa Forma

Anúncios

Receita: Pão de batata de frigideira

  • 500g de batata cozida e amassada
  • 1 ovo
  • 1 colher de sopa de óleo
  • Sal e pimenta
  • 1 xícara de farinha de trigo
  • Frango desfiado e temperado
  • Catupiry ou requeijão cremoso para o recheio

MODO DE PREPARO:
  1. Cozinhe e amasse as batatas sem casaca.
  2. Adicione o ovo, o óleo, o sal, a pimenta e a farinha de trigo. 
Misture bem, até ficar uma massa homogênea.
  3. Faça uma bolinha e abra um pouco e coloque o recheio: o frango e o catupiry.
  4. 
Para mexer na massa passe um pouco de óleo, azeite e ou manteiga nas mãos.
Feche bem.
  5. Em uma frigideira quente com azeite, coloque o pão de batata e deixe dourar em fogo médio.
  6. Vire e deixe dourar do outro lado.
 Tire e sirva!

Receita de Food Makers

Receita: Coxinha de Abóbora

Autoria de Nathália Araujo, do Cozinha Fit e Fat
  • 500g abóbora cozida sem casca
  • 1 ovo
  • 1 xícara de farinha de aveia
  • Sal rosa e ervas finas a gosto
  • 1 xícara de frango cozido desfiado e temperado
  • Farinha de linhaça para empanar
Foto reprodução

 

  1. Amasse a abóbora cozida e misture-a com o ovo e a farinha de aveia.
  2. Transfira para uma panela, tempere com sal e ervas finas a gosto.
  3. Cozinhe em fogo baixo até que a massa desgrude da panela.
  4. Transfira para uma tigela e reserve na geladeira por 1 hora.
  5. Besunte as mãos com azeite de oliva, pegue uma porção de massa de abóbora e recheie com uma porção de frango desfiado. Feche e modele em formato de coxinha.
  6. Obs: o tamanho da coxinha e a quantidade do recheio é a gosto.
  7. Empane na farinha de linhaça e leve para assar em forno médio por 35 minutos.
  8. Conserve na geladeira por 5 dias.
Rendimento: 8 coxinhas

Reaproveite as sobras do dia anterior; veja dicas de chefs

Conteúdo original Terra

 

Para muita gente, preparar um almoço ou um jantar é uma atividade bastante prazerosa. Mas, na maioria das vezes, a comida preparada sobra, fica na geladeira por alguns dias e, em seguida, vai parar no lixo.

Segundo um estudo realizado pela Organização para a Agricultura e Alimentação (FAO), da ONU, mais de um bilhão de toneladas de comida vira lixo todos os anos no mundo todo. No Brasil, estima-se que cerca de 30% dos alimentos produzidos vai para o lixo e sem nenhum tipo de reaproveitamento.

Isso acontece porque as pessoas não sabem como reaproveitar a comida do dia anterior e preparar novos pratos, o que pode ser ainda mais prático do que começar do zero. Para isso, basta um pouquinho de criatividade e boa vontade.

Fernanda Pitta e Bruno Pasquali Bortolotti deram algumas dicas de como reaproveitar os ingredientes mais comuns entre os brasileiros. “Podemos reaproveitar praticamente tudo o que sobra em nossa geladeira, transformando o prato do dia anterior em uma receita diferente”, afirmou Pasquali. Segundo o chef, a melhor maneira de fazer isso é abrir a sua cabeça para novas experiências gastronômicas.

Veja algumas dicas a seguir.

Feijão

Segundo Fernanda, o feijão do dia anterior vira um delicioso tutu de feijão no dia seguinte. “É só bater no liquidificador e refogá-lo novamente com alho, cebola, bacon picadinho. Se quiser pode incluir paio, acrescentar farinha de mandioca torrada para engrossar e couve picada. Não esqueça o azeite extra-virgem no final”, detalhou.

Além disso, o feijão pode virar um caldinho para os dias mais frios. É simples: bata no liquidificador, leve ao fogo novamente e coloque bacon frito e cebolinha verde. Pasquali deu uma dica diferente. “Se coado, o grão pode ser usado como acompanhamento para a salada”, afirmou.

Arroz

Este ingrediente pode virar um bolinho e servir como acompanhamento do prato principal no dia seguinte. “Podemos adicionar um novo ingrediente à receita tradicional como o espinafre, abobrinha, brócolis ou talos de vegetais – que às vezes jogamos no lixo – algum queijo que já esteja com os dias contados ou até mesmo alguns embutidos”, explicou Pasquali.

Além disso, para sair do óbvio, é possível mudar a cara desse arroz, preparando uma receita de forno. “Dá para fazer com ingredientes que temos enlatados, como milho, ervilha ou seleta de legumes. Misture esses ingredientes ao arroz e uma lata de creme de leite”, explicou Fernanda. “Depois é só montar a travessa, intercalando com camadas de presunto e mozzarela, e levar ao forno para gratinar.”

Frango

Aquele suculento frango assado do domingo pode completar panquecas na segunda-feira. “Pode usar as sobras desfiadas e criar um refogado com alho, cebola, tomate, requeijão e cheiro verde e fazer um belo recheio ou uma torta de frango”, explicou Fernanda. Outra opção é fazer um fricassé: basta desfiá-lo e misturar com catchup, mostarda, champignon, molho inglês e creme de leite.

Pasquali deu uma dica diferente: “se você tem um peito com a carcaça, pode aproveitá-la para fazer um caldo de frango. Junte com água e alguns legumes e vegetais, cenoura, cebola, salsão, alho poró, que com certeza será muito mais saboroso e saudável do que o caldo industrializado que costumamos usar”, explicou.

Carne

Que tal um chilli para comer com tacos? Se for carne moída, você pode misturar com a sobra de feijão. “É só amassar bem o feijão, misturar com a carne e colocar uma lata de molho de tomate, um pouco de bacon picado e frito, duas pimentas dedo-de-moça picadinhas e coentro picado”, explicou Fernanda. Se for carne de churrasco, você pode enriquecer as sopas ou cozinhar com o feijão.

A gordura da carne que geralmente vai para o lixo também pode ser aproveitada. “Ela rende um nutritivo e saboroso caldo, reaproveitado da mesma maneira que o caldo de frango. Reaproveite a gordura interna da carne, não a que reveste a peça”, explicou o chef.

Salada

Segundo Pasquali, se a salada estiver bem armazenada e ainda não tivertemperos, tem um tempo de vida maior. “As folhas devem ser guardadas secas e sem sal, em um recipiente fechado hermeticamente.”

“A rúcula fica deliciosa como recheio de panquecas e lasanhas. É só montá-las usando mozzarela e tomate seco”, destacou Fernanda. “O agrião fica perfeito colocado no final de um creme de batatas e também em uma rabada.”

Talos

Além disso, os talos que normalmente as pessoas jogam fora ao preparar uma salada também podem ser utilizados. “Talos de salada podem ser batidos com frutas, para um suco mais nutritivo, assim como talos de brócolis, cenoura, beterraba”, acrescentou Pasquali.

“Os talos de espinafre, brócolis e beterraba são nutritivos para cozinhar no arroz ou mesmo picadinhos e refogados. Pode misturar nos ensopados e caldos”, contou a chef.

Macarrão

O macarrão que ficou na geladeira pode virar uma bela salada no dia seguinte. “Basta acrescentar cenoura em tiras, mozzarela de búfala, tomate seco e rúcula”, disse Fernanda.

Pasquali explica que o mais importante é não deixar o macarrão cozinhar muito quando estiver sendo preparado da primeira vez. “É preciso esperar esfriar completamente antes de guardá-lo em um recipiente na geladeira, evitando assim que ele fique muito mole para reaproveitá-lo”, disse.

Peixe

É possível usar as sobras de peixe, como por exemplo, o salmão, para fazer uma salada com o peixe em lascas, abobrinha grelhada, tomate-cereja e molho pesto.

O peixe também pode ser desfiado e virar bolinho. “Basta acrescentar um pouco de farinha, ovo para dar liga, tempero a gosto, fazer bolinhas e colocar para assar. Também pode empanar as bolinhas e fritar”, acrescentou o chef.

Frios

“Os frios que sobram podem ser usados na massa que também sobrou para fazer um macarrão à moda pizzaiolo.” Segundo Fernanda, é só picá-los, misturar ao macarrão com tomates picados e levar ao forno.

“Embutidos podem ser misturados no arroz ou em uma omelete mais caprichada”, acrescentou Pasquali.

Pão

O pão velho pode virar um pudim de pão ou uma farinha de rosca temperada com tomilho e alecrim. “Você só precisa torrá-lo”, acrescentou Fernanda.

O pão-de-fôrma pode virar croutons se picados em cubos e assados com azeite, orégano e sal. “Fica uma delícia para colocar sobre as saladas de folhas”, explicou Fernanda.

Pasquali deu a dica de deixá-los como os de couvert de restaurantes: “passe manteiga, alho, azeite e ervas finas.”

Tomate

Tomates que estão muito maduros não precisam virar molho de tomate. “Você pode cortá-los ao meio, retirar as sementes e colocar em uma assadeira. Depois, temperar com alecrim, tomilho, sal e azeite e assá-los”, detalhou Fernanda.

Veja como identificar se a carne que você consome está estragada

Conteúdo original Minha Vida

Ficou difícil sentir segurança para comprar carne depois da nova operação da Polícia Federal. Denominada “Carne Fraca”, a ação trouxe à tona a venda e distribuição de carnes estragadas por parte de grandes frigoríficos e companhias.

Segundo as investigações as carnes podres recebiam substâncias capazes de disfarçar a cor e a aparência do produto vencido, que depois era reembalado. Também estavam entre as irregularidades produtos contaminados por bactérias. Alguns produtos também apresentavam excesso de água para aumentar o peso – e consequentemente o preço.

De acordo com a nutricionista Andréa Marim, o momento pede atenção. “O cenário é preocupante e é necessário ficar em alerta, pois as carnes contaminadas podem causar infecções gastrointestinais sérias, como a salmonela, que em pessoas com um sistema imunológico mais delicado, como crianças, idosos e gestantes pode trazer sérios danos à saúde”, conta.

Fatores como embalagem, data de validade, aparência, cheiro, textura e até mesmo preço devem ser levados em consideração. “Se o valor do produto estiver muito barato, é sinal de que a carne pode não estar em boas condições”, afirma a nutricionista.

Veja a seguir como identificar se a carne está estragada:

Carne de boi e porco

No caso das carnes de boi e de porco, quando estão estragadas apresentam coloração cinza e manchas esverdeadas. Elas também podem exalar odores fortes e apresentar textura viscosa e rançosa.

Carne de frango

 

Já no caso da carne de frango, o diferencial é o odor azedo que remete ao amoníaco. No aspecto visual, apresenta-se descolorado e com textura viscosa. Em relação à cor, pode apresentar nuances amarelas e esverdeadas. “Muitas vezes a carne de frango está com uma aparência bonita e um gosto bom”, explica Andrea. Esse “disfarce” torna mais difícil a identificação da carne estragada, por isso é sempre importante se atentar ao cheiro e sempre consumir a carne bem passada.

Carne de peixe

O mesmo acontece com a carne do peixe, que quando estragada, remete ao cheiro de amônia. Além disso, ele normalmente apresenta alguma descoloração – amarronzado, amarelado ou acinzentado – ou mesmo cor opaca. Em relação ao aspecto, se o peixe não estiver duro e começar a descamar também é um sinal de que está estragado.

Poder do cheiro

Mesmo com a tentativa de algumas empresas de maquiar o aspecto da carne com conservantes, Andrea explica que essas substâncias não são capazes de disfarçar o cheiro. “Independente do conservante que tenha sido usado, o cheiro sempre denuncia, por isso é tão importante prestar atenção nesse aspecto”.

Armazenamento

As carnes de modo geral são altamente perecíveis, pois ficam suscetíveis à contaminação microbiológica. Portanto, no momento de escolher a carne certifique-se de que ela está armazenada em freezers e geladeiras em temperatura de 0º C a 2°C.

Caso você compre uma carne congelada e deseje mantê-la nessa temperatura, o ideal é colocá-la diretamente no freezer. De acordo com Andréa a carne pode ficar no freezer até seis meses, dependendo do tipo de carne. Bifes, independentemente de serem de carne ou frango, podem ficar congelados por até seis meses. Já a carne moída tem prazo de validade de até três meses.

Se a pessoa descongelou a carne, cozinhou e guardou o resto na geladeira, ela pode ser consumida por até três ou quatro dias.

Caso a carne tenha sido comprada fresca e o intuito é congelar, o ideal é temperar o alimento e depois guardar no freezer por até seis meses.

No entanto, no momento de preparo é sempre importante observar o estado da carne e jogar o produto fora se houver qualquer suspeita em relação à procedência. “Isso porque alguns fabricantes podem alterar a data de validade do produto e o consumidor só percebe que adquiriu uma carne com data de validade menor do que esperado no momento do preparo”, ressalta.

O que vem pela frente

Em declaração à imprensa, o secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Pesca e Agropecuária, Eumar Novacki disse que os casos de irregularidades apontados na operação Carne Fraca são específicos e não apresentam risco à saúde pública. No entanto, é importante atenção na hora de comprar a carne e, especialmente no momento de consumir.

Até o momento, a Polícia Federal identificou que 40 empresas do setor de alimentos cometeram irregularidades. Segundo o Ministério da Agricultura, três unidades foram fechadas: duas do frigorífico Peccin, em Jaraguá do Sul (SC) e em Curitiba (PR), e uma da BRF, em Goiás. Outras 21 estão sob investigação.

Receitas: Hambúrguer de frango com aveia

Assim como compartilhamos uma receita de massa de pizza, super fácil e gostosa, o hambúrguer também pode fazer parte da alimentação saudável, de uma dieta equilibrada, desde que preparado da maneira correta. E é muito mais fácil do que você imagina. Além de ser uma forma diferente de consumir o frango, que pode se tornar repetitivo e sem graça.

A receita foi compartilhada pelo insta Receitas da Di:

Hambúrguer de Frango com Aveia

Reprodução Instagram
Reprodução Instagram
  • 400 gramas de peito de frango moído
  • 1 cebola ralada
  • 1 ovo
  • 1/2 xícara (chá) de aveia em flocos finos
  • sal a gosto
  • salsa (ou salsinha) picada a gosto

Misture bem o frango moído, a cebola, o ovo, a aveia, o sal e a salsa. Modele os hambúrgueres e leve à geladeira por 30 minutos. Unte uma grelha com um pouco de azeite e doure os hambúrgueres dos dois lados.

Receita: Embutido saudável caseiro

ham-74197_640

Uma das grandes preocupações de quem assume um estilo de vida mais saudável é a redução do consumo de sódio. E o grande barato, como já dissemos outras vezes por aqui, é que na busca por substituições menos prejudiciais, constantemente surgem novas receitas alternativas acessíveis a todos nós e que, realmente, contribuem à saúde. É o caso dos embutidos, que muita gente adora colocar no pão e em preparos rápidos. O seu peito de peru pode ser transformado em algo saudável, sabia?! E você mesmo pode produzir em casa.

“Pão integral e peito de peru (…) pode parecer ideal para aqueles que buscam a perda de peso através de alimentos nutritivos e de baixa caloria. Seria, não fosse (…) o excesso de sódio na composição do peito de peru. ‘Em algumas marcas o nível pode superar 1.000mg a cada quatro fatias, ou seja, mais de 1g de sal. A OMS (Organização Mundial de Saúde) recomenda o consumo de 5g/dia de sal’, afirma Marco Jafet, da Jafet Nutrição.

wurstplatte-668676_640

Os embutidos, como são chamados esta categoria de alimentos, levam em sua composição um aditivo chamado Nitrato, que no estômago pode se converter em nitritos. Esses, por sua vez, se transformam em nitrosaminas, que são os são agentes carcinogênicos, substância que pode causar o câncer, explica Jafet.

Outro ponto a ser levado em consideração, é que o elevado consumo de sódio pode causar hipertensão arterial, favorecendo o risco de AVC (acidente vascular cerebral). Além disso, em dietas de perda de peso, o excesso de sal promove retenção hídrica, inchaço e perda da definição muscular.” Fonte Webrun

ham-653836_640

Em outras palavras, aquilo que a gente consome pensando ser inofensivo pode, na verdade, fazer um mal danado ao nosso organismo. Por isso, manter-se informado e buscar conhecer bem as propriedades do alimento que ingerimos é essencial.

Essa receita de embutido saudável de frango foi compartilhada pela querida Mônica Wagner, do Cozinhe com Saúde, uma apaixonada pela cozinha e pela culinária saudável e fitness. É bem simples de fazer e vale a pena, por termos a certeza daquilo que estamos comendo e de que forma foi preparo. Olha só:

Embutido saudável de frango

Reprodução Cozinhe com Saúde
  • 1 peito de frango inteiro
  • 1/4 cebola
  • 2 dentes de alho
  • Um punhado de cebolinha
  • Sal e temperos a gosto
Reprodução Cozinhe com Saúde
Reprodução Cozinhe com Saúde

Tempere o frango com sal e temperos de sua preferência. Depois, coloque no processador com os demais ingredientes. Processe até que vire uma pasta. Coloque sobre papel alumínio e molde como um embutido. Embrulhe bem e coloque para assar no forno a 190ºC, por 50 minutos. Depois é só deixar esfriar e colocar na geladeira. Fatie depois de frio.