Tag: funcionalidade

Microbioma intestinal: como o intestino afeta a saúde geral

Microbioma intestinal: como o intestino afeta a saúde geral

O microbioma intestinal humano é uma coleção complexa de micro-organismos que vive dentro de nosso aparelho digestivo. Em termos de números puros e diversas espécies de bactérias, o grupo presente no estômago é o maior em qualquer outro lugar do corpo. Podemos transportar até 2kg de micróbios no intestino humano e, nesses trilhões de microrganismos, pode haver milhares de espécies com milhões de genes. Cerca de 2/3 da flora intestinal é destinada unicamente para esses indivíduos.

A maioria das pessoas acha que a linha de comunicação entre o intestino e o cérebro é uma via de mão única: da cabeça para baixo. Pense em todos as expressões associadas a essa parte do nosso corpo que não podemos realmente ver ou sentir: intestino, instinto, intuição etc. Engraçado, temos essas expressões antes mesmo de entendermos a conexão entre o intestino e o cérebro.

Em termos gerais, o intestino e o cérebro são conectados por um labirinto de neurônios, substâncias químicas e hormônios que constantemente se chocam, como supercomputadores. Acredita-se que muitos estados emocionais tenham começado na mente e sejam sentidos no estômago – mas podem ser gerados no estômago, em vez de apenas manifestados ali. Essa pode ser a maneira como o estômago é chamado de nosso “segundo cérebro”.

Então, onde estão todas as bactérias no intestino?

Tradicionalmente, os cientistas supunham que fomos colonizados por bactérias no nascimento. Mas alguns cientistas encontraram evidências de bactérias na placenta, no líquido amniótico e no mecônio, o que levou os pesquisadores a pensar que o microbioma poderia ser colonizado antes do nascimento. Independentemente de quando o microbioma humano é colonizado, isso acontece muito cedo, então as bactérias são uma parte crucial de quem somos.

Em suma, o microbioma intestinal é composto por trilhões de microrganismos (e seu material genético) que vivem dentro do trato intestinal. Muitos consideram essas bactérias essenciais para a saúde e o bem-estar humanos. Eles digerem comida. Eles ajudam a absorver e sintetizar nutrientes. Mas o alcance deles se estende muito além da barriga. Pesquisas crescentes sugerem que elas podem influenciar o metabolismo, o peso corporal, o sistema imunológico, as funções cerebrais e até mesmo o humor.

Como mencionado, as composições da microbiota intestinal humana são individuais. Mas como um tipo sanguíneo, existe uma teoria de que muitos de nós pertencemos a um certo enterotipo – essa é uma maneira de separar as pessoas com base nos tipos de bactérias que estão presentes em suas entranhas. Isso pode ser um pouco simplificado, mas é um começo para entender as diferenças e semelhanças nessa vasta gama de bactérias.

Bactérias são parte de nós. E assim como qualquer relacionamento com um organismo vivo, o modo como nos importamos com elas tem um impacto no resultado desse nosso relacionamento. É menos sobre o que nossas bactérias podem fazer por nós e mais o que podemos fazer por nossas bactérias, para nos manter saudáveis.

Coma fibras

Dizem que você é o que você come. E é definitivamente verdade quando se trata de saúde intestinal. Os micróbios no nosso intestino podem afetar a maneira como nossos corpos armazenam nutrientes, usam açúcar, controlam o apetite e regulam o peso.

Um exemplo interessante é a fibra. Algumas bactérias digerem fibras, resultando na produção de ácidos graxos de cadeia curta (como o butirato), que são fundamentais para a saúde intestinal. A fibra pode ser um fator importante na regulação do peso e pode até diminuir o colesterol. Há uma relação direta entre o que é consumido, mudanças resultantes no microbioma e os efeitos no peso, metabolismo e saúde.

Coma alimentos diversos

Geralmente, um microbioma intestinal diverso é considerado saudável. É como um jogo de números; quanto mais espécies de bactérias viverem no seu organismo, maior o potencial que elas têm para proporcionar benefícios à saúde. Como se obter um microbioma diverso? Seguindo uma dieta de alimentos diversificados.

Coma frutas, legumes, feijões e leguminosas. Experimente: alcachofras, grão de bico, mirtilos e brócolis. Grãos integrais também fazem parte de uma dieta diversificada, contendo grandes quantidades de fibras.

Saúde intestinal para uma melhor saúde geral

Novas descobertas estão sendo feitas o tempo todo e mostram que a funcionalidade saudável do intestino pode afetar a saúde e a função de todo o corpo. Mesmo que tenhamos feito grandes progressos, ainda há muito a aprender.

Costuma-se dizer que você deve tratar seu corpo como um templo. Considere-o mais como um navio. Você está em uma jornada e as bactérias vivas no seu corpo são a tripulação que lhe ajuda a impulsionar a viagem.

Este artigo foi originalmente publicado pela HVMN.
Fotos HVMN e Unsplash

Tisana: bebida para todas as horas

tea-cup-828255_640

Sabe aquele “chazinho” de camomila para acalmar os nervos que sua mãe ou avó já deve ter feito algum dia? E aquele de hortelã ou erva-cidreira para minimizar os efeitos de uma gripe ou resfriado? Pois bem. Essas bebidas caseiras que citamos, assim como outras parecidas que costumamos chamar de chás, na verdade, são denominadas de tisanas.

A nomenclatura “chá de ervas” é frequentemente utilizada para designar todas as infusões feitas a partir de diferentes partes de plantas (não necessariamente ervas – casca, folhas, flores, etc). No entanto, essas infusões são tisanas e não rigorosamente chás, uma vez que o termo chá designa única e exclusivamente a bebida preparada através da infusão de folhas, flores ou raízes da planta Camellia sinensis, como o chá verde e o branco, por exemplo.

lemon-tea-937245_640

A tisana consiste em adicionar ervas em água e deixar ferver durante cinco ou seis minutos num recipiente tampado. Após esse tempo retira-se o recipiente do fogo, deixando descansar (ainda tampado) por até 15 minutos.

Além de ajudar na desintoxicação e redução do estresse, a tisana pode ser uma aliada na redução de medidas. Isto porque é feita com diversas plantas que, combinadas entre si, aumentam os benefícios da bebida. A infusão não contém cafeína e pode ser tomada principalmente nos meses após o inverno, já que no frio tendemos a consumir mais gorduras e sobrecarregamos a função do fígado e dos rins.

Para preparar a tisana, você deve escolher uma planta principal. O dente-de-leão e a ulmeira são duas plantas que têm efeito depurativo, preferidas de celebridades como Madonna. Outra bastante usada é o ginseng, que devolve o equilíbrio ao organismo, e a passiflora, que ajuda no sono.

Aprenda algumas combinações de ervas que você pode preparar em casa:

Tisana anti-insônia

Age diretamente no sistema nervoso, diminuindo as tensões nervosas e musculares.

chamomile-829220_640

  • 1 col. (sopa) de casca de maracujá
  • 1 col. (sopa) de capim-cidreira
  • 1 col. (sopa) de camomila

Tisana para boa digestão

Combinação de ervas capaz de melhorar a digestão dos alimentos, evitando que eles fiquem parados nas paredes do intestino e acumulem toxinas.

cup-681678_640

  • 1 col. (sopa) de camomila
  • 1 col. (sopa) de hortelã
  • 1 col. (sopa) de espinheira-santa

Tisana termogênica

Aumenta a queima de calorias e reduz o colesterol.

sugar-791798_640

  • 1 col. (sopa) de hibisco
  • 3 cm de gengibre
  • 1 pedaço de canela em rama (3 cm)
  • 1 col. (sopa) de laranja amarga

Fontes: Chá Benefícios, Mais Equilíbrio e Wikipedia