Tag: gergelim

Receita: Leite vegetal em 1 minuto

Dica valiosa da querida Flavia Machioni, do @LactoseNão

Para uma xícara de chá:

  • 1 a 2 colheres de sopa de pasta/manteiga de gergelim (tahine), de amendoim, amêndoas, coco, macadamia ou outra

  • 1 xícara de água quente
Modo de preparo:

Misture os ingredientes até ficar bem homogêneo. O ideal é usar um mixer de mão, liquidificador ou aqueles aeradores portáteis. A ação mecânica é que vai emulsionar a gordura com a água e deixar o leite cremoso e homogêneo. Na mão não dá o mesmo efeito. Bate e tá pronto!

Receita: Crackers de sementes e castanhas

  • 1/2 xícara de sementes de linhaça dourada
  • 1/2 xícara de sementes de chia
  • 2 xícaras de água

Deixe esses ingredientes  de molho de um dia para o outro. As sementes vão dobrar de tamanho e formar um gel.

Segundo passo:
    • 1 xícara de gergelins
    • 1 xícara de castanhas à sua escolha
    • 1 xícara de sementes de girassol
    • 2 colheres de sopa de azeite
    • 1 colher de sobremesa de sal
    • Temperos à gosto

Triture as castanhas e a semente de girassol até virar um farelo (se sobrar uns pedaços maiores não tem problema). Misture bem todos os ingredientes e tempere.

Pré aqueça o forno a 180 graus. Espalhe a massa em um tabuleiro forrado com papel manteiga até ficar fina (cuidado para não ficar buracos). Leve ao forno por cerca de uma hora, até ficar sequinha e crocante (fique de olho para não queimar). Corte em pedaços e tenha um snack delicioso 😋

Alimentos que podem substituir o feijão

Conteúdo original Minha Vida

O feijão é um dos principais alimentos consumidos pelos brasileiros. Não é a toa, ele é rico em nutrientes essenciais, como vitaminas ( a maior parte de complexo B ), ferro, cálcio, zinco, magnésio, que estão presentes em quantidades que podem substituir os produtos animais, de acordo com a nutricionista Andréa Marim, especialista em nutrição clínica.

Além disso, a mistura arroz com feijão traz uma combinação que une todos os aminoácidos essenciais, ou seja, aqueles que não produzimos em nosso organismo e precisamos obter na alimentação, como lembra a nutróloga Sandra Lúcia Fernandes, da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN).

Apesar de ser um alimento muito popular no Brasil e conter muitos nutrientes, é bem verdade que o preço do feijão não está dos mais convidativos. Por isso, selecionamos uma lista de alimentos com alto potencial nutricional para que você tenha outras opções para levar para a casa sem descuidar da saúde.

Alimentos parecidos com o feijão

As leguminosas estão entre as opções de alimentos que podem substituir o feijão. O grão-de-bico é um alimento rico em fibras, triptofano, substância que aumenta a produção de serotonina. Além disso, assim como o feijão o grão-de-bico é rico em ferro.

A lentilha também é uma boa escolha para substituir o feijão entre as leguminosas. ela é composta por carboidratos complexos, fibras, cálcio, ácido fólico, vitamina B6, magnésio, ferro, e triptofano.

No entanto, a nutróloga Sandra Fernandes lembra que misturar essas outras leguminosas com arroz não traz um casamento proteico tão completo como o feijão, mas a substituição ainda é válida.

Alimento com os nutrientes do feijão

Além das leguminosas, existem outras opções de alimentos que podem se assemelhar ao feijão em relação aos nutrientes.

Ferro

O ferro é um dos nutrientes carro-chefe do feijão, e pode ser encontrado em alguns alimentos estratégicos: “gema de ovo, cereais, lentilha, espinafre, carnes, peixes e vegetais verdes”, lista lembra a nutricionista funcional Regina Moraes Teixeira, especialista em reeducação alimentar.

O ferro é muito importante para a formação da hemoglobina, substância que dá a coloração avermelhada às hemácias e ajuda no transporte de células e oxigênio por todo o corpo, fazendo com que todo o organismo funcione corretamente. Sua ausência é a principal causa de anemia.

Proteínas vegetais

As proteínas vegetais não são encontradas apenas na mistura arroz com feijão. A soja e seus derivados, as oleaginosas (como amendoim, gergelim e castanhas), cereais integrais (como quinoa e aveia), vegetais (como brócolis, vegetais verde escuros, abacate, coco, batata), algas e cogumelos são alguns exemplos de alimentos que contém proteínas.

“Os cogumelos possuem quantidade de proteína e nutrientes que podem ser comparadas às da carne e do leite”, ressalta a nutricionista Andréa. Já algumas algas podem ter o dobro de proteínas do que alguns cortes de carne, como a alga nori.

Essas proteínas são importantes para a formação do organismo, já que servem como matéria prima para a construção de todas as estruturas do corpo.

Fibras

Alimentos de origem vegetal são ricos em fibras. “Frutas com bagaço, verduras, legumes, farinhas (como a de linhaça, banana verde, etc), chia, quinoa são os principais exemplos”, enumera Regina Teixeira.

As fibras ajudam a melhorar o trânsito intestinal e também desaceleram a digestão do açúcar e do colesterol nos alimentos, ajudando na prevenção de doenças como o diabetes e colesterol alto. Além disso, elas ajudam a ter mais saciedade.

Zinco

Existem diversos alimentos que contém tanto ou mais zinco do que o feijão: ostras, camarão, carne de vaca, frango e de peixe, fígado são alguns deles. Para quem prefere itens vegetais, o gérmen de trigo, grãos integrais, castanhas, cereais, legumes e tubérculos também contém boas quantidades do mineral.

O zinco atua em diversas frentes no corpo humano: “ele colabora para produção dos cabelos e também na defesa do corpo, já que os leucócitos precisam deste mineral”, explica a nutróloga Sandra. 

Magnésio

O magnésio está presente em diversos alimentos, como castanhas, semente de linhaça, banana, abacate, figo seco, milho, grãos integrais, cacau, soja e alcachofra. Mas de acordo com a nutricionista Regina, os mais ricos nesse nutriente e que chegam a superar o feijão são as sementes de abóbora e girassol e as frutas secas.

O magnésio é um nutriente importante para a contração e relaxamento muscular, produção e transporte de energia e produção de proteínas.

Ácido fólico (vitamina B9)
O ácido fólico está presente em diversos alimentos de origem animal e vegetal. Os destaques são as verduras verde escuras, como o espinafre e o brócolis, nozes e a carne do fígado.

A vitamina B9 é muito importante na gravidez, já que previne malformações do tubo neural do feto, principalmente quando consumida no primeiro trimestre. “O ácido fólico também é extremamente importante para formação do DNA e RNA, formação genética que serve como produção de células novas e na formação dos glóbulos vermelhos”, considera Regina.

3 tops sementes para consumir já

Se você quer emagrecer, dar um up no corpinho, engordar ou simplesmente cuidar da manutenção do seu bem-estar, deve saber que a chave do sucesso está no que você come, não é mesmo? Já demos algumas dicas aqui de pequenas alterações e inserções no cardápio cotidiano para te ajudar a turbinar a saúde. Por isso, nosso foco neste post são as sementes: 3 tops sugestões poderosas para potencializar sua alimentação.

Estamos falando do trio chia, linhaça e gergelim. Todas são pequenos grãos secos, fáceis de encontrar e com formas de ingestão bem semelhantes. Porém, cada uma é responsável por benefícios diferentes e podem ser combinadas, criando um único mix para ser utilizado diariamente [veja abaixo].

Inserir essas sementes na alimentação faz toda a diferença nos índices fisiológicos e, consequentemente na qualidade de vida.

chia-397076_640

Chia

A chia tem origem mexicana e pertence à família do linho e da sálvia. Apesar de pequenininha, ela é extremamente rica em propriedades nutricionais, como: ômega 3, magnésio, zinco, cálcio, ferro, vitaminas B1, B2 e B3.

Além disso, a chia auxilia a regular as taxas de colesterol no sangue, evita a formação das gordurinhas localizadas, previne e controla o diabetes, doenças cardiovasculares, tem efeito antioxidante e fortalece a imunidade. Também colabora com o emagrecimento, por conter muitas fibras e proteínas e aumentar a sensação de saciedade.

As propriedades são mantidas em todas as formas de consumo (crua, em gel, triturada e em óleo) e a indicação é de 25 gramas diárias, ou seja, duas colheres de sopa.

Como consumir: no suco, na vitamina, no iogurte, na tapioca, em receitas, shakes, massas, pestos etc.

sesame-316590_640

Linhaça

A linhaça é uma semente funcional, super aliada do emagrecimento, pela alta quantidade de fibras, que liberam glicose no sangue e inibem o acúmulo de gordura. Ela é benéfica ao coração, intestino e saúde dos ossos.

Também é rica em substâncias similares ao estrógeno, tendo relação com a proteção contra ao câncer de mama, atua no controle e prevenção de diabetes, tem ação anti-inflamatória e promove o equilíbrio entre o ômega 3 e 6.

Ela pode ser encontrada em duas versões, marrom e dourada, e em três formatos, grão, farinha e óleo. A porção diária recomendada é de uma colher de sopa (10 gramas).

Como consumir: em receitas, sucos, sobremesas, vitaminas, sopas, iogurtes, com frutas etc.

semente-de-gergelim_2986943

Gergelim

O gergelim vem de localidades entre a Ásia e a África e foi um dos primeiros alimentos cultivados pelo homem. Entre suas ações no organismo estão a lubrificação do intestino, controle de açúcar no sangue, combate dores e reumatismo, pois fortalece tendões e ossos, evita a queda dos cabelos e melhora a elasticidade da pele (graças ao poder antioxidante).

Ele também atua no fígado e rins, aumenta a saciedade e auxilia na eliminação e combate às gorduras ruins, prevenindo também a flacidez. É uma ótima fonte de proteínas e fibras, cálcio, fósforo, ferro e vitaminas do complexo B.

Seu consumo diário recomendado é de uma colher de sobremesa e sua melhor forma é em grão cru.

Como consumir: em saladas, na comida, em pratos salgados etc.

MIX de Sementes

“Normalmente as pessoas misturam grãos fontes de nutrientes diferentes, para atingir um benefício específico, nem sempre promovido por todos os grãos do mix. Com benefícios à saúde próximos ao da chia, temos a linhaça, o gergelim e o girassol. Mas não é recomendado consumir uma porção de cada uma deles por dia, devido à alta quantidade de calorias que essas sementes possuem. Sendo assim, uma solução pode ser fazer um mix destes grãos e consumir até 25g do mix ao dia.”

Fonte da citação: Minha Vida