Tag: leve

MeditAR: projeto que inspira o autoconhecimento e a leveza

Se você tem interesse por medição ou vem sentindo a necessidade de desacelerar e trilhar um caminho com mais tranquilidade e consciência e não sabe por onde começar, esse texto é para você. A Andreza Frasseto, do Inspire Leveza, está orientando um percurso chamado MeditAR, de reflexão, rituais e, claro, meditação guiada.

Os encontros ocorrem online, pelo canal da Andreza no Youtube, todas as terças-feiras, por volta das 20/21 horas. A duração é de cerca de uma hora e é possível interagir, tirar dúvidas, solicitar orientação sobre rituais, mantras e práticas para o despertar da consciência, saúde e equilíbrio, por exemplo. Além de poder trocar ideias com a Andreza sobre as experiências e aprendizados adquiridos durante a jornada dela nessa vida de descobertas e autoaceitação.

A Andreza é instrutora de meditação e mora na Itália, com rotina e trabalho (em restaurante), como a maior parte das pessoas. Então, não pense que viver de forma mais leve e equilibrada é impossível para você. Se realmente quiser e tiver vontade, separe uma horinha da sua noite (hoje mesmo!) e embarque nesse percurso você também! Pode ser uma boa forma de relaxar depois do trabalho e dormir mais tranquilamente. Experimente!

Anote aí:

Percurso MeditAr
Todas as terças-feiras à noite, ao vivo, pelo Youtube.

Para saber o horário exato da transmissão, acompanhe a Andreza nas redes sociais: ela faz posts e vídeos relembrando e confirmando o horário do encontro. Tornar-se seguidor é também uma excelente oportunidade para conhecer melhor o trabalho dela.

Vale a pena! Quem começar, volta aqui para contar a experiência! 😉

Só precisa ser boa

Receita: “Queijo” vegano de mandioca

Receita de Cozinha Fit e Fat

  • 200g de mandioca cozida
  • 2 colheres (sopa) de água mineral
  • 1 xícara de polvilho doce
  • 1 xícara de polvilho azedo
  • 1 colher (chá) de fermento biológico (para pão)
  • ½ colher (café) de açafrão ou cúrcuma
  • Sal rosa e pimenta preta a gosto
  • 3 colheres (sopa) de azeite de oliva
  • 1 colher (sobremesa) de orégano
  • ½ suco de limão
Reprodução Cozinha Fit e Fat

Preparo:

  1. Em uma tigela, prepare o purê da mandioca, amassando-a e adicionando a primeira quantidade de água.
  2. Em uma tigela grande, despeje todos os ingredientes (inclusive o purê) e misture.
  3. Vá adicionando a água para dar o ponto do queijo, pouco a pouco. O ponto ideal é uma massa levemente elástica e que desgruda das mãos.
  4. Obs: é importante lembrar que a quantidade de água para dar o ponto ideal varia de acordo com o tipo de vegetal e com a consistência do purê.
  5. Unte com azeite uma tigela (ou tigelas pequenas), coloque a massa e molde. Cubra com plástico filme (pvc) e reserve na geladeira, por no mínimo, 2 horas antes de servir.

Receita: Sopa Detox

Receita Food Network Brasil
Rende 6 pratos

  • 1/2 unidade de repolho branco
  • 1 tomates
  • 500g peitos de frango
  • 4 ramos de couve-flor
  • 1 cenoura média
  • 1 dentes de alho
  • 1/4 maço de alho-poró
  • 1/2 cebola crua
  • 1/2 talo de salsão
  • Salsinha picada a gosto
  • Cebolinha picada a gosto
  • azeite a gosto
  • sal a gosto
  • 1,5ml de água

Modo de preparo:

Higienize todos os ingredientes. Depois, pique todos em pequenos pedaços  e coloque-os em uma panela média. Cubra a mistura  com os   quatro copos de água – se você preferir que a sopa fique mais líquida, pode colocar mais água. Adicione, então, o sal.

Cozinhe bem, até que os legumes fiquem levemente macios. Regue com o azeite e acrescente a salsinha e a cebolinha picada. Sirva em seguida.

Vai correr? Médico tira as dúvidas comuns entre mulheres sobre a corrida

Conteúdo original Vogue

runner-888016_960_720

Esporte com número cada vez maior de adeptos, a corrida tem sido uma das atividades mais procuradas pelas mulheres nos últimos anos. Seja pelo alto gasto calórico, pela diversão, pelos benefícios ao organismo ou pela simples realização pessoal, fato é que, quem corre, se apaixona rapidamente pela modalidade.

Em entrevista à Vogue Brasil, o Dr. Sérgio Maurício, médico ortopedista, maratonista e Membro Titular da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte e Exercício, esclarece todas as dúvidas mais frequentes entre mulheres sobre a corrida. Run, baby, run!

VOGUE: TODAS AS MULHERE PODEM CORRER? SE NÃO, QUAIS AS CONTRAINDICAÇÕES?
SM: “Toda mulher pode correr, desde que sua saúde esteja em dia. No entanto, mulheres devem dar atenção especial ao metabolismo do cálcio nos ossos, principalmente aquelas acima de 40 anos. A redução dos minerais ósseos, leva à osteopenia e osteoporose, doenças que reduzem a qualidade óssea,  predispondo a fraturas por estresse repetitivo. Na presença dessas doenças, atividades de baixo impacto como bicicleta, natação ou caminhadas estão mais recomendadas. Porém, na ausência delas, a corrida é um grande aliado, aumentando a resistência e mineralização óssea.”

jogging-1509003_960_720

QUAL A QUANTIDADE DE TREINOS POR SEMANA INDICADA PARA QUEM QUER PERDER PESO?
“A pessoa que quer perder peso tem que respeitar os limites do seu corpo, senão logo, logo terá uma lesão e passará dias de molho, comendo chocolate na frente da TV novamente. A corrida é um dos exercícios que mais queima calorias, por isso é tão tentador sair correndo mais e mais. Em geral recomendo que a pessoa inicie com 3 treinos semanais de 30 minutos, alternando os dias para que a musculatura recupere. Dar pequenas caminhadas durante a corrida também evita que a musculatura entre em fadiga, evitando a lesões. Nos dias de repouso, natação e bicicleta são opções para não ficar parado. De maneira geral, deve-se aumentar 10% do volume semanal a cada 1 ou 2 semanas, porém cada um tem um corpo, uma meta e uma história em diferentes esportes.”

GRÁVIDAS PODEM CORRER?
“Seu obstetra deve ser comunicado do interesse em correr e sua gestação definida como de baixo, médio ou alto risco. Após autorização do obstetra, grávidas de baixo risco são estimuladas à prática esportiva leve e moderada. Dentre os benefícios, estão a redução do inchaço e a prevenção de dores lombares e abdominais. Recomendo que corridas sejam leves, e somente para atletas de longa data, que já tem seus joelhos adaptados e equilíbrio no esporte. O consumo de água deve ter atenção redobrada, bebendo muito líquido, antes, durante e após as corridas. A desidratação pode comprometer o fluxo sanguíneo pro bebê. No segundo trimestre, com o crescimento da barriga, evite terrenos irregulares, tomando maior cuidado para não perder o equilíbrio e cair. No terceiro e último trimestre, recomendo a troca da corrida por alguma atividade de menor impacto como hidroginástica e natação devido ao grande aumento da barriga. Na presença de qualquer sintoma, a atividade deve ser interrompida e o médico contactado.”

girl-1186897_960_720

O PERÍODO MENSTRUAL PODE AFETAR A PERFORMANCE DA CORREDORA? 
“A balança hormonal, que rege o ciclo menstrual, vai muito além de variações de humor. No período pré-menstrual, o aumento da progesterona e do estrogênio, também levam a um discreto aumento da temperatura corporal e retenção de líquidos. Apesar de não haver um consenso na literatura, a maioria dos estudos aponta para uma melhor performance no período pós-menstrual, enquanto no pré-menstrual há menor tolerância ao esforço e rendimento nos esportes. Já na fase menstrual, as respostas variam muito de mulher para mulher, não tendo padrão definido. De maneira geral, no período pré-menstrual, recomendam-se treinos mais leves, regenerativos.”

É VERDADE QUE A CORRIDA EVITA CÓLICAS MENSTRUAIS?
“Sim, a corrida melhora o metabolismo, vascularização e funcionamento dos órgãos pélvicos, reduzindo significativamente as cólicas menstruais. Além disso o efeito analgésico da endorfina (hormônio do prazer), contribui para a redução das dores e da ansiedade.”

COMO EVITAR QUEDAS DE PRESSÃO DURANTE OS TREINOS NO VERÃO?
“O calor faz com que os vasos sanguíneos se dilatem, podendo levar a quedas da pressão arterial, principalmente naqueles não habituados com as altas temperaturas do verão. Desidratação, jejum prolongado e uso de diuréticos são fatores que podem aumentar as chances. Evite correr no meio do dia, mas se for seu único horário, opte pela esteira, no conforto do ar condicionado. Deixe para encarar aquela corridinha no calçadão pela manhã ou ao fim do dia. Crie o hábito de beber água regularmente, para regular melhor sua temperatura. Na presença de sintomas como fraqueza, suor frio, tontura, taquicardia e sensação de desmaio, interrompa imediatamente suas atividades, deite no chão, de preferência com os pés em cima de um banco e chame por ajuda. Beber pequenos volumes de líquido podem ajudar, e se estiver em jejum, dê preferência para sucos de frutas. Levante bem devagar, entre em contato com seu cardiologista após o ocorrido e procure uma emergência na persistência dos sintomas.”

runner-808932_960_720

É COMUM SENTIR ENJOOS DURANTE OU APÓS A CORRIDA?
“Enjôos devem ser encarados como sinais de alerta do nosso organismo! São mais comuns em atletas iniciantes e em treinos intensos, quando o corpo chega ao seu extremo. Dentre as principais causas na corrida podemos listar:
– Alimentos ricos em fibras, que absorvem muita água e reduzem o transito intestinal;
– Comer imediatamente antes da corrida. Coma 1 a 2h antes da prova, dando preferência aos carboidratos;
– Ansiedade, na véspera daquela prova importante que você treinou por meses;
– Leite e derivados, antes do exercício, também podem retardar o fluxo intestinal;
– Desidratação;
– Treinos muito pesados ou muito longos.”

QUAIS SÃO AS MELHORES MANEIRAS DE EVITAR LESÕES?
“Três dicas para quem quer começar a correr e evitar lesões:
1) Procure um professor experiente no assunto. Na corrida é comum as pessoas calçarem aquele par de tênis novinho em folha e sair correndo por aí, sem freio, sem planejamento e sem os descansos necessários. Os erros de treinos são as principais causas de lesões nesse esporte. O recomendado é que se inicie aos poucos, em dias alternados, com aumentos lentos e graduais do volume semanal de treino.
2) Faça uma dieta adequada. Corredor precisa de carboidrato! Dietas restritivas aumentam em muito as chances de tendinites, lesões musculares e fraturas por estresse.
3) Ouça seu corpo. Se está sentindo dores, não insista, procure seu ortopedista para uma avaliação.”

jogger-603620_960_720

COMO EVITAR A FAMOSA “DOR DO LADO”, QUE PODE OCORRER DURANTE O EXERCÍCIO?
“Dor do lado, ou ‘dor em facão’, aquele grande desconforto logo abaixo das costelas durante a corrida, ainda tem sua origem controversa. Uma das teorias mais aceitas é a de fadiga ou irritação (como uma cãibra) do diafragma, músculo mais importante da respiração. Outra teoria, diz que o aumento de ar no estômago, pela respiração oral causaria tal dor. Independente da teoria, sabe-se que a falta de preparo físico é o principal fator envolvido na sua gênese. Uma maneira de evitá-la, é aumentar o ritmo aos poucos, deixando a respiração “encaixar” de maneira confortável. No entanto, quando ela aparece, o melhor a se fazer é reduzir o ritmo, deixando a respiração equilibrar novamente, resolvendo na grande maioria dos casos. Na persistência da dor, não deixe de procurar a emergência.”

COMO PODE OCORRER O OVERTRAINING? COMO EVITAR?
Overtraining é quando o excesso de exercício faz mal. Essa síndrome, ainda pouco conhecida, pode levar a danos físicos e mentais em atletas profissionais e amadores, principalmente naqueles com alta intensidade de treinos. Na síndrome, o corpo reclama desde o aquecimento até o final da atividade, diferente de um treino forte, em que apesar do cansaço, consegue-se voltar e treinar mais. Dentre as causas, temos a falta de descanso, não cicatrizando microtraumas e distúrbios hormonais.Não existem exames específicos, devendo nos atentar aos sintomas como perda de rendimento (um dos primeiros sintomas), dor muscular persistente, contusões musculares, tendinites, fraturas por estresse, resfriados freqüentes, aumento da freqüência cardíaca no repouso, insônia, perda do apetite, irritabilidade, ansiedade e depressão O tratamento é a redução drástica do treino, ou interrupção nos casos mais graves, mas sua prevenção é sempre importante, respeitando as planilhas e descansos, além de alimentação equilibrada. Dieta restritiva e corrida não combinam!!!”

Especial de Natal: Chocotone FIT

Há coisas na vida que são obrigatórias para transformar determinada ocasião NO momento. Por exemplo: aniversário tem que ter bolo, festa tem que ter música, casamento tem que ter buquê e no Natal tem que ter panetone e/ou chocotone. E isso não significa ingerir muitas calorias ou ficar calculando o que comer ou não para compensar. Dá para ter gostosura saudável, feita em casa, sem estresse.

É uma receita da fofa Mônica Wagner, que lançou recentemente seu canal no Youtube, o que representa para nós um super caderno virtual de receitas deliciosas e saudáveis. O bacana é que elas atendem não apenas quem segue dieta ou faz controle de peso, mas as pessoas que possuem algum tipo de restrição, como celíacos, intolerantes a lactose ou mesmo diabéticos. Olha só:

Dá ou não dá para ter um chocotone leve?! Os ingredientes podem ser encontrados em lojas de produtos naturais e você pode fazer substituições de acordo com as suas necessidades.

Especial de Natal: Salada de Cenoura e Quiche de Bacalhau sem farinha

salad-613158_960_720

A contagem regressiva continua para as festas de final de ano e seguimos firmes e fortes, aguardando ansiosamente esse momento. Enquanto isso, vamos lhe ajudando a programar a ceia com diversas opções salgadas e doces, lights ou não, para compor seu cardápio. Hoje a dobradinha é salgada: Salada de Cenoura e Quiche de Bacalhau sem farinha.

As saladas são excelentes opções para o nosso clima de fim de ano, verão fervente, por serem leves e nutritivas, e, no entanto, são deixadas de lado por, às vezes, não parecem tão apetitosas quando as comidas típicas dessa época natalina. Mas, fica aqui a dica. Apostem na saladinha, não tem como errar, são práticas de preparar, econômicas e diminuem muito o risco de mal estar alimentar.

Salada de Cenoura Refrescante

salad-387959_960_720

Receita original de Guloso e Saudável

  • 500 gramas de cenoura ralada;
  • 250 gramas de alface cortada;
  • 7 colheres de sopa de suco de limão natural;
  • 10 unidades de tomate cereja ou 2 tomates comuns picadinhos;
  • 100 gramas de abacate;
  • 50 gramas de castanha de caju;
  • 3 colheres de sopa de hortelã fresca em ramos;
  • 1/2 colher de chá de sal;
  • 1/2 unidade de pimenta caiena (dedo de moça);
  • 2 colheres de sopa de azeite aromatizado com ervas ou comum, extra virgem.
  1. Higienize as cenouras, as alfaces americanas, os limões, os tomates, o abacate, a pimenta dedo de moça e a hortelã.
  2. Descasque e rale as cenouras, rasgue as folhas da alface, extraia o suco dos limões, corte os tomates ao meio, descaroce, descasque e pique o abacate, separe as folhas e pique a hortelã e a pimenta sem as sementes.
  3. Tempere a cenoura com o suco de limão, o azeite aromatizado, o sal, a pimenta, misture bem e junte os restantes ingredientes.
  4. Conserve a salada na geladeira até à hora de servir.

Já essa quiche é uma alternativa deliciosa para aquele bacalhau que fica encalhado, rolando na geladeira, ou até mesmo para uma refeição prática, de fácil transporte, que pode ser levada para o trabalho, viagens e até de lanchinho para as crianças. Combinada com a salada, rende uma refeição super completa, leve e saudável. #maravida

Quiche de Bacalhau sem Farinha

Receita original de Guloso e Saudável

  • 1 quilo de bacalhau dessalgado cozido;
  • 2 cebolas cortadas;
  • 4 dentes de alho;
  • 7 colheres de sopa de azeite de oliva;
  • 1/2 colher de chá de pimenta-do-reino;
  • 1 colher de chá de noz moscada ralada;
  • 1 quilo de batata branca;
  • 50 gramas de queijo parmesão ralado;
  • 50 gramas de azeitonas verdes light;
  • 2 colheres de sopa de salsa picada;
  • 400 gramas de creme de leite light.
  1. Higienize as batatas, as cebolas e os alhos. Reserve.
  2. Cozinhe o bacalhau em água fervente por 8 minutos, retire-o com uma escumadeira e na mesma água cozinhe as batatas com casca por aproximadamente 20 minutos. Passe-as imediatamente por água fria e retire-lhes a casca.
  3. Passe as batatas ainda quentes por um espremedor. Reserve.
  4. Preaqueça o forno a 200ºC.
  5. Numa panela aquecida com azeite, junte as cebolas e os alhos picados, deixe por 3 minutos, acrescente o bacalhau desfiado, continue a mexer e deixe mais 10 minutos.
  6. Quando o bacalhau estiver morno junte as batatas espremidas, a pitada de noz-moscada, pimenta-do-reino, a salsa, o queijo ralado, as azeitonas e o creme de leite. Misture muito bem com uma colher.
  7. Unte as forminhas individuais ou um refratário com creme vegetal, ou margarina, e despeje a quiche. Pincele com azeite ou com uma mistura de molho de soja e mel de milho (1 colher de chá de molho de soja e 1 colher de sopa de mel de milho).
  8. Leve ao forno por 30 minutos as pequenas, em forminha individual, e a grande por 40 a 45 minutos.