Tag: musculatura

Fique longe da tendinite

Conteúdo original Bons Fluídos

Esforço repetitivo, ausência de alongamento muscular, sobrecarga. Tudo isso pode inflamar algum tendão, a conhecida tendinite. Parecidas com uma corda, essas estruturas fibrosas que unem os ossos aos músculos costumam ser mais vulneráveis nas juntas. Por isso, é tão comum o incômodo atingir joelhos, ombros, cotovelos, punhos e tornozelos.

Quem pratica ioga ou pilates está se protegendo do problema. “Quanto mais os músculos forem flexíveis e fortes, menor será a sobrecarga nos tendões e, consequentemente, menos eles estarão propensos a se lesionarem”, afirma a professora de pilates Eliane Coutinho, fundadora da escola de formação Fisiociência, na capital paulista.

Caso o desconforto já esteja instalado, é preciso primeiro tratar a inflamação. Aí, sim, a pessoa pode trabalhar a flexibilidade e a resistência muscular. “Assim há uma reorganização nas fibras de colágeno do tendão e um ganho de força para que o músculo suporte maior sobrecarga, prevenindo novas lesões”, completa a especialista.

A acupuntura, por sua vez, oferece alívio. “Ela ajuda na melhora da dor e da inflamação local, além de relaxar a musculatura adjacente à patologia, favorecendo a mobilidade do membro afetado”, explica Marília Funes, médica anestesiologista e especialista em dor e em acupuntura, de São José do Rio Preto.

Quanto mais cedo o tratamento começar, melhor o resultado. A intervenção dependerá do grau e do local da tendinite e também do tempo que ela persiste. Paralelamente às sessões com as agulhas, é importante reduzir a atividade ligada ao segmento dolorido. “Depois que a dor abrandar é indispensável alongar e fortalecer a musculatura. O tratamento correto evita o surgimento de novas lesões”, reforça a médica.

Motivos para fazer musculação para o resto de sua vida

Conteúdo original Boa Forma

fitness-1730325_960_720

Os exercícios de resistência — musculação, peso livre, ginástica localizada com carga e ioga, entre outros — são tão importantes para a saúde quanto caminhar, andar de bicicleta e nadar. Surpresa? Apesar de a afirmação acima ter o aval da comunidade científica mundial, a musculação ainda é vítima de ideias preconcebidas. Uma das mais persistentes diz que a prática não é segura. “Pesquisas feitas por universidades de ponta nos Estados Unidos provam que os exercícios com peso bem orientados trazem benefícios para todo mundo, de adolescentes a pessoas com mais de 90 anos”, afirma José Maria Santarem, coordenador do Centro de Estudos em Ciências da Atividade Física (Cecafi), da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Além de ficar com um corpo muito mais bonito, a sua saúde será amplamente recompensada:

1.Você vai ficar mais bonita
São os músculos que dão forma ao nosso corpo, já que a gordura, o outro tecido de preenchimento de que nós dispomos, é disforme. Modelar o corpo é sinônimo de trabalhá-los. As mulheres que exibem um corpão sabem muito bem disso! O bumbum fica redondinho, as coxas roliças, a barriga durinha… O curioso é que eles crescem para se defender de uma agressão, como explica Santarem: “O exercício produz enzimas que destroem as proteínas do próprio músculo. O processo de recuperação, porém, tende a superar o desgaste para evitar futuras privações”. A natureza é generosa: repondo um pouco mais do que foi gasto, faz aumentar o volume daquele tecido.

fitness-1882721_960_720

2. Você vai ficar mais forte
Aumento de tamanho de músculo é igual a aumento de força. Mas não é só isso. Ela não depende apenas do volume, mas da capacidade de o cérebro recrutar o maior número possível de fibras musculares para, por exemplo, você levantar uma mala do chão. As fibras estão lá, nos músculos, mas o sistema nervoso que os comanda pode não convocá-las da melhor maneira. Ao treinar, você estará exercitando não só o corpo mas também seu cérebro, que fica mais eficiente no comando da massa muscular.

3. Você vai ficar com o coração mais saudável
A versão clássica de que apenas as atividades aeróbicas são benéficas para a sua saúde cardíaca foi por água abaixo. A musculação treina o coração para esforços intensos, enquanto a aeróbica o prepara para atividades suaves e prolongadas. Um trabalho científico documentou que quando a pessoa fortalece os músculos, a frequência cardíaca e a pressão arterial sobem menos com o esforço. “Qualquer exercício evita doenças nas coronárias”, conclui Santarem.

fitness-1038438_960_720

4. Você vai ficar mais flexível
Sair do banco de trás de um táxi de duas portas fica mais difícil com o tempo. Aqui também a musculação é uma ótima aliada. Um estudo recente mostrou que há eficiência no treinamento com peso para aumentar também a flexibilidade.

5. Você vai ficar com ossos mais resistentes
A musculação estimula a produção de células ósseas. Não é à toa que ela tem sido utilizada no combate à osteoporose. Atividades de impacto, como corrida e step, também oferecem esse benefício. Os exercícios com peso, se bem orientados, são mais seguros para as articulações.

6. Você vai ficar com uma postura melhor
Ao desenvolver a musculatura, você melhora a postura, já que são os músculos que sustentam os ossos. É por isso que pessoas muito magras ficam curvadas, mesmo sendo jovens. Não é só uma questão estética, mas também de saúde. Uma pesquisa feito nos Estados Unidos esclareceu que o trabalho com peso é a melhor forma de tratamento na maioria dos casos de dores nas costas.

fitness-1038438_960_720

7. Você vai ficar com a autoestima lá em cima
Estar mais bonita, ágil e saudável são fatos que contribuem para elevar a sua autoconfiança e fazer com que você se sinta bem consigo mesma. O melhor de tudo: os benefícios estéticos obtidos são rápidos.

8. Você vai ficar jovem por mais tempo
Aqui a natureza é madrasta: nós perdemos 10% de massa muscular entre os 25 e os 50 anos e 30% entre os 50 e 80 anos. O melhor é tratar de ganhar músculos logo cedo para amenizar o quadro. Estudos feitos com idosos em diversos países mostraram que a perda muscular é bastante amenizada com os exercícios de resistência.

9. Você vai ficar mais magra
O consenso de que qualquer tipo de atividade física — e não apenas a aeróbica — emagrece é recente. “A comunidade científica finalmente reconheceu a importância da musculação na perda de peso”, afirma Santarem. Um importante estudo feito pelo American College of Sports Medicine (a maior associação de profissionais ligados ao fitness) provou que todos os exercícios emagrecem por causa do gasto calórico. A longo prazo, foi levantada a hipótese de que os com peso sejam ainda mais eficientes, pois a taxa metabólica basal aumenta quando ganhamos músculos.

gym-1677220_960_720

10. Você vai ficar livre da celulite
“Celulite é uma questão de muito tecido adiposo e pouco músculo”, garante Wayne Westcott, diretor de pesquisa da Associação Cristã de Moços de Quincy, em Massachusetts (EUA), e responsável por um estudo sobre o tema. O papel dos músculos na guerra contra o problema é a grande novidade. “Se você aumenta a massa muscular, sua pele vai ficar mais lisa sobre ela”, explica Westcott. E, para isso, a receita é trabalhar com carga pesada. Diminuir o tecido adiposo — com exercícios e dieta com menos calorias — não basta. “A redução da gordura não melhora, necessariamente, a aparência da pele. Ela pode ficar flácida e cheia de furinhos, porque há ainda pouca substância para recheá-la”, afirma.

11. Você vai dormir melhor
Estudos revelam que as pessoas que praticam atividade física com frequência, dormem melhor. E, vamos combinar, depois de um longo dia de trabalho e um treino com peso, ficar acordado será um desafio. Afinal, você já gastou boa parte da sua energia.

12. Você vai mandar o stress embora
Você pode treinar por 10 minutos ou 2 horas. O tempo não importa! Com certeza vai se sentir relaxada depois da academia. Isso porque a atividade física estimula a liberação de endorfinas que estão ligadas à sensação de prazer e bem-estar.

Consciência corporal afasta dores e lesões

Conteúdo original Minha Vida

burpee-1203903_960_720

Consciência é um processo diretamente relacionado ao autoconhecimento. E faz parte deste movimento conhecer o próprio corpo. A técnica da consciência corporal tem a ver com prestar atenção aos próprios movimentos e a relação do seu corpo com o espaço que ele ocupa, com seus músculos e articulações. “Muitas causas estão por trás dos bloqueios de percepção corporal”, conforme diz a osteopata (ciência terapêutica que trata das disfunções de mobilidade articular e tecidual) Grace Alves Ferreira.

“Vivemos muito sentados ou em posições incorretas, o que facilita a má postura e acaba piorando a percepção corporal”, diz a especialista. Os aspectos emocionais também estão evolvidos na consciência corporal: um sujeito reprimido por questões morais ou com baixa autoestima acaba tendo reflexos no corpo, tornando-se retraído, o que se reflete principalmente na postura curvada e, consequentemente nas dores cervicais.

photography-945822_960_720

O sedentarismo não é necessariamente causador da falta de consciência corporal, mas grande parte das pessoas que fazem exercícios físicos interage mais com o próprio corpo e, por isso, tendem a conhecê-lo melhor, mas também vale o cuidado com as posturas e excessos no esporte.

Um erro comum de desleixo com o corpo é sentar errado. “Muitas pessoas passam mais de metade de seu dia nessa posição e fazer isso de forma inadequada pode trazer muitos problemas”, explica Grace. Uma boa dica é apoiar sempre os pés no chão, mantendo o ângulo dos joelhos em 90°, assim como o do quadril, e prestar atenção para que esse ângulo não diminua e você não acabe curvado.

men-1179452_960_720

A alimentação também tem influência na percepção corporal: comidas gordurosas retardam o metabolismo, prejudicando o funcionamento do sistema digestivo. “Quem conhece o próprio funcionamento corporal sabe os limites alimentares que mantêm o bem-estar em dia”, diz a osteopata.

Reconhecimento do corpo

A professora Letícia Nabuco, responsável pelas aulas de Conscientização do Movimento do curso de consciência corporal oferecido anualmente pela Universidade de Juiz de Fora, explica que o principal objetivo das aulas – com duração de oito meses – é “despertar no aluno um olhar crítico e investigativo para o próprio corpo”. O curso – que atrai principalmente profissionais da área da saúde, mas também é aberto ao público interessado – envolve a parte teórica e a prática, visando à prevenção de problemas musculares e ósseos, o reconhecimento das incorreções e práticas de correção postural, respiratória e muscular, além da prevenção de lesões.

sport-1087028_960_720
Os alunos trabalham em exercícios que envolvem princípios de dança contemporânea, de pilates e a análise do movimento, que visam trabalhar a harmonia espacial e a reestruturação do próprio corpo. Os benefícios vão desde uma maior sensação de conforto corporal, o aumento da capacidade circulatória, respiratória e a ampliação da capacidade de movimento. “O aluno, ao mesmo tempo, amplia e toma consciência de sua capacidade e limites corporais”, explica Letícia.

Aeróbico em jejum: tire suas dúvidas

Você já ouviu falar do AEJ? Esta é a sigla usada para a prática de fazer exercícios aeróbicos em jejum. Há quem diga que o hábito ajuda na queima de gordura, mas será que é verdade mesmo?

A polêmica do AEJ divide opiniões de especialistas e adeptos. Para desmistificar o hábito, conversamos com o Dr. Jomar Souza (Especialista em Medicina do Exercício e do Esporte e Diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBMEE). Ele nos falou mais sobre os efeitos de malhar com o estômago vazio.

Segundo ele, ainda não temos uma comprovação fidedigna de que treinar sem comer realmente ajude na perda de peso. ” Imaginando que uma pessoa treine pela manhã após acordar precisamos considerar que ela passou de 6 a 8 horas sem se alimentar e isto vai gerar uma queima de proteína estocada no músculo com consequente redução da massa muscular”, explica.

physiotherapy-595529_640

Dr. Jomar Souza também acrescentou dizendo que ninguém deve treinar em jejum. O ideal mesmo é comer pelo menos 30 minutos antes de iniciar o exercício. “Pode ser uma fruta pequena, um copo de suco ou uma barrinha de cereais”, diz.

O médico ainda afirma que comer bem pouquinho só é vantajoso para quem vai praticar treinamentos muito intensos, pois comida em excesso pode gerar vômitos. Ou seja: malhar sem comer, jamais. Segundo o especialista, a única coisa que se perde  com a técnica é a massa magra.
Conteúdo original Mais Equilíbrio

Para mostrar na praia: 5 exercícios que ajudam a moldar um corpão

Por Ben Greenfield
Original em Quick and Dirty Tips
T
radução livre de autoria do blog

Quando se trata de conquistar um corpão, ficar bem no biquíni ou na sunga e ser confiante para mostrar um pouco mais de pele, há quatro partes específicas do seu corpo que dão retorno mais rápido aos exercícios investidos. Isso acontece por uma técnica que tonifica e define em curto prazo

Pesquisas recentes com internautas de ambos os sexos nas redes sociais descobriram quais as partes que mais incomodam ao olhar e que, na opinião geral, deveriam ser mais trabalhadas.

Três grupos musculares específicos foram prioridade para os homens: o peitoral, o abdômen e as panturrilhas. Para as mulheres, o trio muscular que mais reclamado foi: peitoral, abdômen e bumbum.

Como é difícil as pessoas estarem 100% satisfeitas com o corpo, outras partes foram mencionadas como braços, costas, ombros e coxas. Mas, a prioridade mesmo ficou com esses grupos citados

Os exercícios

Para um trabalho eficiente, o ideal é completar todo o exercício em cada grupo muscular, realizando de 3 a 5 séries com 10 a 15 repetições (dependendo do seu nível de aptidão), para então passar a treinar a próxima parte do corpo. Faça o descanso mínimo, de até 1 minuto e meio, entre cada série.

Para o peitoral:

  • Mergulhos leves

  •  Flexões

 

Para o abdômen:

  • Abdominal “suspenso”

  • Levantamento do joelho

Para o glúteo:

  • Agachamento sumô

 

  • Chutes laterais

 

Para panturrilhas:

  • Caminhadas curtas. Faça isso depois do treino dos outros músculos ou durante a semana por 20 a 30 minutos. Se possível, busque terrenos com algum tipo de inclinação (como ladeiras) para um resultado mais rápido.

 sea-391687_640

  • Treino HIIT. Pule corda na maior velocidade possível por 30 a 60 segundos, com as duas ou apenas uma perna.

 sea-81251_640

Se você empregar todos esses exercícios juntos como um treino, basta repeti-lo 2 vezes por semana para perceber os benefícios. Manter uma dieta equilibrada, evitando gorduras e açúcares, é essencial para que seus esforços sejam vistos, já que a flacidez e a gordura localizada impedem a visibilidade dos músculos.