Gratidão: o antídoto contra a depressão e chave da felicidade

Conteúdo original Mais Equilíbrio

Por desconhecerem os estragos que provocam na saúde e qualidade de vida, muitas pessoas vivem em numa cultura d​e​ reclam​ação, queixa e vitimização. Cultura que comumente é reforçada nos momentos de crise​​​​ quando as pessoas tendem a ficar ainda mais negativas​.​

Segundo o pesquisador e especialista em Saúde Quântica Wallace Liimaa, todas as vezes que as pessoas se colocam ​numa condição de​ vítimas ou f​ocam​ ​sua energia em problemas,​ ao invés de soluções​, elas entram em uma situação de ​medo, insegurança e ​escassez. “Se você expressa e coloca muita energia naquilo que não quer, muitas vezes você acaba atraindo​ que o​ problema​ se repita de maneira cíclica na sua vida​”, alerta o especialista, que dá um exemplo prático.

“Imagine alguém que tem um problema de relacionamento e, ​ao invés de​ ter uma nova atitude e​ ​buscar uma solução, ​apenas​ reclama do outro e achar que ​só ​ele é ​quem deve mudar: essa pessoa ela ​irá​ se ​vitimizar​ e essa ​vibração ​negativa vai fazer com que esse problema ​tenda a se​ rep​etir​​ nos demais relacionamentos que ela venha a ter.​ Além do mais, esse estado tende a elevar os hormônios do estresse no corpo, fragilizando o sistema imunológico e reduzindo os neurotransmissores serotonina e dopamina que funcionam como antidepressivos naturais.

“​O especialista garante acredita que é possível​ reverter essa situação, ​treinando a mente para expressar, cotidianamente, ​o sentimento de gratidão. “​Acostumar-se a expressar o sentimento de gratidão por mínimas coisas, logo ao acordar, irá trazer um novo colorido ao dia. ​E mesmo diante de um desafio, ​procurar ver o lado bom proporcionado pelo desafio para a sua evolução pessoal. Essa atitude irá promover uma mudança na química corporal devido à presença dos neurotransmissores serotonina, dopamina, oxitocina e endorfinas que funcionam com antidepresssivos naturais. ​

Agradecer leva as pessoas para​ um​ outro patamar e cria condições para atrair prosperidade e abundância”, destaca, indicando que as pessoas pratiquem o exercício da gratidão diariamente. “Agradeça as pequenas coisas da sua vida, como estar vivo, ​a água que bebe, o ar que respira, ​a alimentação ou então o brilho do sol. Isso fará de você uma pessoa mais​ feliz, saudável e ​ próspera em todos os níveis”, sugere.

A frequência da gratidão: ações práticas  

Wallace, que também é idealizador do portal Saúde Quantum, ensina por que a gratidão ajuda a atrair coisas boas: quando a pessoa está na frequência da gratidão, ela ativa e fortalece novas redes neurais. “A frequência da gratidão cria campos eletromagnéticos e vibrações positivas no corpo​, ​que funcionarão como uma antena para atrair situações favoráveis e pessoas positivas para a vida dela. ​Assim​,​ as pessoas irão conseguir se conectar com aquilo que realmente ​desejam de bom para suas vidas​”, afirma o pesquisador, e completa que o simples fato de sair da vibração de reclamação para a vibração de gratidão já altera o estado ​de ser ​da pessoa e ​contribui para que​ o dia te​nha​ um novo brilho.

O especialista indica que fazer uma lista de coisas pelas quais se sente grata em um caderno é uma ótima aposta para ​começar a exercitar a gratidão. “Anote todos os dias, logo pela manhã, aquilo pelo que você foi grato do dia anterior. E também podem ser anotadas simples coisas que te deixaram mais feliz​. Sempre que possível busque expressar a gratidão às pessoas através de um abraço. Isso aumenta os níveis de oxitocina no corpo, chamado de hormônio do amor.​”, recomenda.

Ele explica que essa prática irá mudar as vibrações ao longo do dia, deixando a pessoa mais positiva e preparada para enfrentar os desafios ​com o olhar voltado para as soluções e para o aprendizado que o desafio oferece​.​ Isso irá criar o ambiente positivo para que as soluções apareçam.​

Portanto, Wallace desafia que as pessoas comecem hoje mesmo essa prática, para deixar a negatividade de lado e parar de reclamar e se vitimizar. Isso permite até mesmo ressignificar ​os problemas ​e procurar sempre vê-los como ​uma forma de crescer​,​ aprender​ e evoluir​. “Comece ​agora a ​agradece​r​ por tudo que já viveu até hoje, ​de bom ou ruim, ​pois nessa vibração d​a​ gratidão​ não terá mais tempo ruim e você se tornará uma pessoa cada vez mais saudável, feliz e próspera​ ​e​ cada dia ​será melhor do que o outro​”, finaliza.

Anúncios

Toca aquela, DJ: 7 músicas que elevam a saúde ao máximo

Conteúdo original Women’s Health Brasil 

“A razão principal pela qual a frase ‘sexo, drogas e rock and roll’ existe é porque todas essas coisas estimulam centros de prazer no cérebro”, diz Andrew Knight, professor assistente de musicoterapia na Universidade Estadual do Colorado (EUA). E agora nós temos a ciência para provar a parte do jargão que diz respeito à música: estudos recentes mostraram que ouvir tipos específicos de sons oferecem benefícios para o corpo e para a mente. Seja para diminuir seu lapso de atenção ou acalmá-la em um dia tenso, essas sete músicas irão elevar sua saúde ao máximo. Aperte o play. Sinta-se bem. Repita.

Gwen Stefani – Me Without You

Dê o PLAY para curar o mau humor

Ouvir a música em que a cantora conta como está chateada com seu ex-marido quando você está triste? Boa ideia – mesmo. Letras e melodias que ecoam seu estado emocional validam seus sentimentos – o primeiro passo para se sentir melhor. “Isso pode facilitar o modo como você se expressa. É como se sentir ouvida ou ter alguém falando com você”, diz Tereza Alcântara, professora de musicoterapia da Universidade Federal de Goiás. Se você está passando por um término brutal, desabafe com essa música. Depois, quando seu humor melhorar, escute algo mais positivo – tente a “Make Me Like You”, música na qual Gwen fala da sua felicidade com o novo namorado – para deixar sua tristeza para trás de vez.

Brian Eno – Ambient 1: Music for Airports

Dê o PLAY para acabar com o estresse

Deitar-se em uma sala silenciosa com uma música ambiente tocando ao fundo e focando apenas em sua respiração é tão eficaz quanto receber uma massagem – mas por um preço muito menor. Uma hora de qualquer uma das duas pode baixar seu nível de ansiedade em 40%. Pratique isso com sua música instrumental relaxante favorita, como uma desse álbum do Brian Eno, por cinco minutos por dia e, eventualmente, o som vai remeter você a essa sensação menos estressante a qualquer momento em que você botá-lo para tocar. “A música se torna um gatilho para o seu cérebro fazer aquilo com o que você o associou”, diz Knight. Nesse caso: relaxamento.

Tegan and Sara – Boyfriend

Dê o PLAY para ser criativo

Tocar músicas novas (ou pelo menos novas para você) pode manter seu cérebro funcionando no trabalho. Sua cabeça se concentra melhor quando não está entediada ou superocupada. Quando você escuta músicas que já conhece, “o cérebro fica passivo, porque ele sabe onde a música está indo”, diz Knight. Sons menos familiares fazem sua mente alternar entre o trabalho e a música, o que distrai você o suficiente para quebrar o seu padrão de pensamento, colaborando com a criatividade enquanto a mantém longe de perder o foco, ao mesmo tempo.

Eric Clapton – Wonderful Tonight

Dê o PLAY para reprimir a dor

Pesquisas mostraram que a música pode ajudar na distração de incômodos pós-cirurgia. Quer acabar com suas dores de cabeça ou nas costas? Escolha uma canção que evoque uma memória vívida e feliz (como o seu casamento, onde você dançou com o seu pai ao som de Clapton; ou as festas da faculdade onde você requebrou ao som de “Whisky a Go Go”, do Roupa Nova). Os centros de prazer e recompensa do seu cérebro irão responder como se você tivesse voltado a esses momentos alegres ao lançar um fluxo de neuroquímicos analgésicos, como a dopamina e a oxitocina.

Yo-Yo Ma – Unaccompanied Cello Suite No. 1 in G Major (Bach)

Dê o PLAY para garantir um sono mais leve

Músicas relaxantes podem empurrá-la para o mundo dos sonhos assim como qualquer cantiga de ninar. Estudos mostram que escutar 45 minutos de uma relaxante música clássica antes de dormir ajuda insones a adormecerem, possivelmente porque diminuíram suas frequências cardíacas e respiratórias. Se você não gosta de Bach, tente The Piano Guys, que fazem versões mais calmas de tons pop, como “Titanium”, do David Gueta (feat. Sia). Coloque para tocar, apague as luzes, entre debaixo do lençol e pegue no sono.

Lana Del Rey – Cruel World

Dê o PLAY para acelerar a recuperação pós-treino

Sua playlist de treino só tem Beyoncé? Nós compreendemos totalmente. Mas considere colocar de cinco a 20 minutos de melodias mais melosas no fim da sua playlist. Músicas que têm cerca de 60 a 80 batidas por minuto (bpm) abaixam a pressão sanguínea e os níveis de cortisol, que ajudam seu corpo a se recuperar mais rápido, segundo Costas Karageorghis, autor do livro Applying Music in Exercise and Sport (não disponível no Brasil). Escute enquanto se alonga gentilmente ou se acomoda durante a shavásana.

Rihanna (feat. Drake) – Work

Dê o PLAY para ter um sexo quente

Sons ajudam você a se acalmar – e a ser acalmada. Casais que escutam música em casa reportaram fazer 67% mais sexo do que aqueles que não. Pesquisas mostraram que cantar juntos gera o mesmo laço de intimidade gerado durante o sexo. “A música envolve o lado afetivo. Escutar com alguém pode gerar memórias prazerosas para as duas pessoas, já que aquele som evoca o momento em que passaram juntos escutando-o”, diz Tereza. Ou seja: você + o seu parceiro + Rihanna + Drake = hora do sexo.