Tag: praticar

Nefrologista do HCor fala sobre a relação entre obesidade e doenças renais

Conteúdo original Revista Suplementação

Estudos epidemiológicos têm demonstrado o aumento da prevalência da obesidade, doença considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como epidemia global do século XXI. No Brasil, mais de 50% da população está acima do peso. Estima-se que, até 2025, 18% dos homens e 21% das mulheres de todo o mundo serão obesos. Números como estes reforçam a maior causa de morte no País: as doenças crônicas não transmissíveis, responsáveis por 70% dos óbitos.

Diversos estudos e revisões da literatura médica mostram que a obesidade é importante fator de risco para diversas doenças graves. Problemas cardíacos, diabetes, hipertensão, colesterol elevado, apneia obstrutiva do sono, doenças da vesícula, cânceres e, não menos importante, porém pouco difundida, está a doença renal crônica (DRC).

Afinal, qual a relação entre a obesidade e a doença renal? “A função dos rins é filtrar o sangue de toxinas e líquidos em excesso. Em uma pessoa obesa, o aumento do tecido gorduroso comprime os rins e altera a sua estrutura, aumentando o seu trabalho de filtração e ativando sistemas que podem causar hipertensão arterial. Essa doença, denominada glomerulopatia da obesidade, pode determinar perda de proteína na urina e causar prejuízo significativo da função renal”, explica a nefrologista Leda Lotaif, chefe de diálise do HCor – Hospital do Coração de São Paulo.

Um em cada 10 adultos, segundo Dra. Leda, sofre de doença renal crônica. A maioria deles não sabe ser portador da doença. Isso ocorre porque, na maioria dos casos, quando descoberta, a DRC já está em estágio avançado, pois não há sintomas. A melhor forma de prevenir é investir na educação desde a infância. “Conscientizar as pessoas quanto aos fatores de risco da doença renal e a importância de ter hábitos saudáveis, como manter uma dieta balanceada e praticar atividade física regularmente é crucial para combater o aumento da incidência da doença”, orienta.

Regras de ouro

Para prevenir a Doença Renal Crônica (DRC), vale seguir estas dicas da nefrologista do HCor:

  • Pratique atividade física regularmente;
  • Mantenha uma alimentação saudável;
  • Mantenha-se hidratado;
  • Controle o nível de açúcar no sangue;
  • Monitore a pressão arterial;
  • Visite um médico regularmente;
  • Abandone o cigarro e o álcool em excesso;
  • Evite a automedicação.

Fonte: HCor

Conheça a Air Yoga, a nova modalidade do gênero

Conteúdo original Lucilia Diniz

Esta sempre foi uma prática fortemente ligada ao solo. Afinal, a yoga usa o solo para garantir sustentação às posturas, baseadas no equilíbrio. Quem pratica adora, e várias correntes já foram criadas, diversificando e aumentando o número de praticantes.

Depois da Hot Yoga, em que à dificuldade dos movimentos são acrescentadas altas temperaturas. Agora, uma corrente prega exatamente tirar a yoga do chão. Criada em 1991 pelo coreógrafo Christopher Harrisson, a tendência conhecida como Air Yoga começou a “bombar” apenas recentemente. E ganha público rapidamente, com adeptos em mais de 50 países, ao adicionar um elemento à la Cirque de Soléil aos belos movimentos da yoga.

Pendurados por grandes lenços de seda, presos por ganchos no teto, os alunos eliminam a pressão do sistema músculo-esquelético. Isso proporciona o espaçamento na medula espinhal, permitindo uma hidratação sem igual dos discos vertebrais.

Somam-se, ainda, os benefícios de irrigar o cérebro com sangue fresco e cheio de endorfina – hormônio com potente ação analgésica que, ao ser liberado, estimula a sensação de bem-estar melhorando o estado de humor e alegria.

Em entrevista à revista American Way, o criador da Air Yoga declarou que os praticantes ganham um bônus, ao praticar algo que jamais imaginariam serem capazes. Este fator novo (exercitar-se de ponta-cabeça) permite uma conexão entre corpo e mente mais energizada.

Confira no vídeo a seguir como a Air Yoga funciona.

30 ideias (fáceis) de se exercitar sem gastar um centavo!

Conteúdo original M de Mulher

sport-927760_640

Você pode se mexer um pouco a cada dia para escapar do sedentarismo ou acrescentar ainda mais exercícios na sua rotina para turbinar a queima calórica e realçar o shape. E melhor: sem gastar um centavo. Maneiras de se movimentar não faltam! Com ajuda do personal trainer Thiago Penna, especialista em fisiologia do exercício pela Unifesp, de São Paulo, damos sugestões de atividades para cada do dia do mês. Vem!

  1. Caminhe. Vale ir até a padaria, levar o cachorro passear, descer do ônibus um ponto antes do seu. Ande em ritmo firme por pelo menos 15 minutos.
  2. Alcance os dedos dos pés. É muito simples: de pé, pernas estendidas, onde quer que você esteja, faça o movimento de levar as mãos até os pés, sem dobrar o joelho. Além de trazer o bem-estar do alongamento, o exercício feito várias vezes ao longo do dia (que tal de 10 a 15 vezes?) ajuda a despachar cerca de 150 calorias.
  3. Sente e levante lentamente da poltrona em casa na hora da novela – ou da cadeira no trabalho. Faça 3 séries de 15 repetições.
  4. Encare uma ladeira. Caminhe firme por 10 minutos em alguma rua com subida ou em terrenos inclinados.
  5. Pedale. Vá de bicicleta para o trabalho ou alugue uma bike no parque no final de semana.
  6. Suba escadas. Três séries de subidas e descidas de cinco andares constituem uma boa sessão de exercício. Dicas: a subida deve ser cadenciada e sem pausa, a descida precisa ser controlada e os degraus devem ser regulares. Use tênis com amortecimento e evite a atividade se tiver problemas de joelhos.
  7. Se acabe nos burpees. Veja como fazer esse exercício “matador”, considerado um dos mais completos por trabalhar o corpo todo: de pé, pernas unidas, flexione os joelhos e vá agachando até o chão. Posicione rapidamente as mãos à frente do corpo, um pouco mais abertas do que a largura dos ombros, com as palmas tocando o chão. Dê um impulso com os pés, saltando para trás. Flexione os braços e desça rapidamente o tronco e os quadris até encostá-los no chão. Faça o movimento de volta, subindo o corpo com os braços e dando impulso com a ponta dos pés, agora para frente. Fique em pé novamente e salte. A sugestão é fazer 2 séries de 8 repetições.
    Reprodução M de Mulher
  8. Agache e pare. Aposte no agachamento estático para firmar o bumbum: em pé, pés paralelos abertos na linha dos quadris, joelhos semiflexionados, vá agachando e projetando os quadris para trás, como se fosse sentar em um banquinho, até os joelhos atingirem o ângulo de 90 graus. Mantenha a posição por 20 a 40 segundos. Faça 3 séries.
  9. Dance. Aproveite aquele momento que não tem ninguém em casa e solte sua Beyoncé interior. Ligue o som e dance até cansar – ou por pelo menos 15 minutos!
  10. Pratique afundo no banco da praça. Saiu para caminhar e viu um banquinho dando sopa? Claro que não é para sentar. Faça um afundo: em pé, de costas para o banco, uma perna à frente da outra, ponta do pé de trás apoiada no banco e abdômen contraído. Coloque as mãos na cintura e agache até o joelho da frente formar um ângulo de 90 graus. Volte e repita com o outro lado. Sugestão: 3 séries de 10 a 15 repetições.
  11. Faça polichinelos. Parece brincadeira de criança, mas experimente fazer uma sequência de apenas um minuto sem parar para ver como dá para suar… Tente 5 séries de 1 minuto cada. É um ótimo aquecimento para qualquer outra atividade.
  12. Pule corda. Procure fazer 20 minutos da atividade – e garanta pelo menos 300 calorias a menos. Como é difícil ficar saltando direto, você pode dividir esse tempo em 5 séries de 4 minutos, por exemplo. Prático, o acessório pode ser levado até em uma viagem, mantendo o seu aeróbio durante as férias.
  13. Salte. Os exercícios de salto trabalham a potência e o equilíbrio. Eles podem ser frontais: com as pernas paralelas abertas na largura dos quadris, flexione os joelhos, incline o tronco levemente para frente, pegue impulso e tire os pés do chão (faça 3 séries de 10 saltos). E laterais: coloque um cabo de vassoura ou outro acessório no chão e salte lateralmente sobre ele, com movimentos rápidos (faça 3 séries de 10 repetições).
  14. Trabalhe a panturrilha no degrau. Você pode fazer na escada do prédio ou até na calçada: apoie o peso do corpo em um pé sobre o degrau, deixando o calcanhar para fora. Transfira o peso para a ponta do pé e abaixe-o lentamente, até que o calcanhar fique em nível inferior à altura do degrau. Faça 2 séries de 10 repetições com cada perna.

    runners-635906_640
  15. Invista na prancha. Comece pela mais simples: antebraço e cotovelos apoiados no chão seguindo a linha dos ombros, ponta dos pés apoiada no solo. Eleve os quadris, mantendo-os na linha da coluna. Cuidado para não acentuar a curvatura da lombar. Contraia o abdômen. Faça 3 séries de 20 a 30 segundos de isometria.
  16. Alongue-se na mesa do trabalho. A cada uma ou duas horas, dê uma pequena pausa e estique-se. Sugestões: estenda as pernas à frente do corpo e alongue-se tentando pegar a ponta dos pés com as mãos ou gire a cintura o máximo que puder para a esquerda, segure por cinco segundos, e repita do outro lado (faça 5 vezes para cada lado) ou entrelace as mãos e alongue os braços sobre a cabeça ou gire o tornozelo por cerca de cinco segundos para a direita e depois para a esquerda (faça 5 séries de 8 repetições em cada direção).
  17. Suba no banco. Aquele mesmo banco da praça ou do parque vai te ajudar aqui: em pé, com um pé sobre o banco, as costas retas e o peito ligeiramente para frente, inspire e suba, ficando em equilíbrio sobre a perna. Expire e volte à posição inicial, controlando a descida. Faça 3 séries de 8 repetições com cada perna.
  18. Brinque como criança. Com ou sem filhos, que tal voltar à infância sem medo de ser feliz? Pule amarelinha por 20 minutos e queime 113 calorias. Se tiver uma cama elástica, dê seus pulinhos por mais 20 minutos e mande embora outras 85 calorias.
  19. Escale montanhas. Calma, não precisa ir longe. O exercício mountain climber vai trazer essa sensação para você e ajudá-la a trabalhar o corpo todo. Aprenda: em posição de flexão de braços, palma das mãos e ponta dos pés apoiadas no chão, tronco e pescoço em linha reta, abdômen contraído, leve um dos joelhos em direção ao peito e volte, repetindo em seguida com o outro. O movimento é rápido e contínuo. Faça 3 séries de 10 repetições.
  20. Corra. Para quem está começando, o ideal é alternar trote e corridinha. Por exemplo: 4 x de 3 minutos de trote com 2 minutos de corrida leve, totalizando 20 minutos. Para quem já tem fôlego e pernas fortes, a atividade pode ser contínua por 30 a 40 minutos.
  21. Sente no chão e levante sem o apoio das mãos. Parece fácil? Experimente… Trabalha as pernas e o equilíbrio. Faça três séries de 30 segundos cada.
  22. Aposte na flexão de braços. De bruços no chão, estenda os braços, que devem estar abertos um pouco mais do que a largura dos ombros, apoiando a palma das mãos e a ponta dos pés (se for difícil, comece apoiada nos joelhos). Desça o corpo como se fosse encostar o peitoral no chão, flexionando os braços até formar um ângulo de 90 graus. Quer dificultar ainda mais o movimento? Faça na escadaria. Faça 3 séries de 8 repetições.

    push-ups-888024_640

  23. Faça o agachamento sumô. E trabalhe bumbum, coxas e parte interna das coxas. Vamos lá: de pé, pernas bem afastadas e ponta dos pés virada para fora, mantenha os braços estendidos para frente na altura do peitoral. Flexione os joelhos, agachando até formar um ângulo de 90 graus e volte. Faça 3 séries de 15 repetições.
  24. Pratique levantamento de pernas. Pode ser em casa, no trabalho, no banco do parque. Sente-se em uma cadeira firme e erga uma perna devagar até deixá-la paralela ao chão, com o pé apontando para cima. Mantenha a posição por 10 segundos e volte. Repita com a outra perna. Faça 3 séries de 10 repetições de cada lado.
  25. Avance. Em pé, mãos na cabeça, na altura das orelhas, pés unidos e paralelos, dê um passo à frente, agachando até que os dois joelhos formem um ângulo de 90 graus. Volte à posição inicial e repita com a outra perna. Faça 3 séries de 10 passos (5 com cada perna).
  26. Faça a saudação ao sol da ioga. Realizada logo pela manhã, a sequência ajuda a trazer mais energia e equilíbrio para seu dia, além de fazer um bem enorme ao corpo. Acompanhe o passo a passo: comece com três respirações profundas e conscientes e mãos unidas no centro do peito. Eleve os braços unindo as mãos no alto da cabeça. Incline o tronco para frente, até que as mãos toquem o chão. Leve a perna esquerda para trás. Em seguida, a direita. Desça o corpo. Coloque as mãos no chão – na linha do peito – e os cotovelos apontando para trás. Apoie bem as mãos no chão e eleve o tronco, projetando o peito para frente. Sente sobre os calcanhares, mantendo os braços estendidos à frente, alongando a coluna. Fique em posição de quatro apoios. Firme a palma das mãos e a planta dos pés no chão, formando um triângulo com o corpo. Leve o pé esquerdo entre as mãos. Depois, o pé direito. Estenda as pernas e abrace os tornozelos. Suba, elevando os braços pela lateral do corpo, até que as mãos se unam no alto da cabeça. Una as mãos no centro do peito. Repita a série começando com o pé direito.
  27. Brinque de saci. Sim, a ideia é pular em uma perna só, o máximo de tempo que você conseguir. Experimente com a perna direita e depois com a esquerda e veja com qual você se sai melhor.
  28. Corra no lugar. Está sem tempo de ir para o parque? Essa atividade dá para fazer em qualquer cantinho de casa: é só simular os movimentos da corrida ali mesmo. O exercício pode ser feito no chão ou em um mini-trampolim. Sugestão: 5 séries de 1 minuto cada.
  29. Faça tríceps no banco. Pode ser no sofá também. Aprenda: mãos apoiadas na borda do banco, braços semiflexionados, cotovelos próximos ao corpo, pernas à frente ligeiramente flexionadas e apoiadas pelos calcanhares. Desça o corpo com um movimento lento e controlado, tentando formar um ângulo de 90 graus com os cotovelos. Concentre a força no tríceps e retorne à posição inicial. Faça 3 séries de 6 repetições.
  30. Respire fundo. Sim, isso também é um exercício e ajuda a melhorar seu fôlego e definir sua barriga. Chamada de ginástica hipopressiva, a técnica consiste em inspirar e expirar profundamente. Entenda como fazer a postura básica: de pé, pés paralelos, coluna reta, ombros encaixados, braços levemente flexionados, mãos na altura dos quadris, inspire abrindo as costelas. Solte completamente o ar pela boca. Prenda a respiração e abra novamente as costelas. Com isso você faz uma “sucção” do abdômen – note um vácuo que puxa toda sua barriga para dentro. Mantenha a apneia por 3 a 5 segundos. Inspire e solte o ar. Repita 3 vezes.

Aeróbico em jejum: tire suas dúvidas

Você já ouviu falar do AEJ? Esta é a sigla usada para a prática de fazer exercícios aeróbicos em jejum. Há quem diga que o hábito ajuda na queima de gordura, mas será que é verdade mesmo?

A polêmica do AEJ divide opiniões de especialistas e adeptos. Para desmistificar o hábito, conversamos com o Dr. Jomar Souza (Especialista em Medicina do Exercício e do Esporte e Diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBMEE). Ele nos falou mais sobre os efeitos de malhar com o estômago vazio.

Segundo ele, ainda não temos uma comprovação fidedigna de que treinar sem comer realmente ajude na perda de peso. ” Imaginando que uma pessoa treine pela manhã após acordar precisamos considerar que ela passou de 6 a 8 horas sem se alimentar e isto vai gerar uma queima de proteína estocada no músculo com consequente redução da massa muscular”, explica.

physiotherapy-595529_640

Dr. Jomar Souza também acrescentou dizendo que ninguém deve treinar em jejum. O ideal mesmo é comer pelo menos 30 minutos antes de iniciar o exercício. “Pode ser uma fruta pequena, um copo de suco ou uma barrinha de cereais”, diz.

O médico ainda afirma que comer bem pouquinho só é vantajoso para quem vai praticar treinamentos muito intensos, pois comida em excesso pode gerar vômitos. Ou seja: malhar sem comer, jamais. Segundo o especialista, a única coisa que se perde  com a técnica é a massa magra.
Conteúdo original Mais Equilíbrio

Como ser feliz aplicando a Gratidão

A gratidão é um estado de espírito. E como cada estado de nossa mente, ela pode ser treinada e conscientemente adotada. A gratidão não é sobre o que é verdade numa dada situação; mas, trata-se de como você reage emocionalmente com a situação.

No entanto, sua resposta vai mudar o mundo real. Como regra geral, a raiva, o rancor, a frustração e todas as emoções relacionadas colocam-no em um horrível estado de espírito. E, claro, as decisões tomadas a partir desse lugar são, geralmente, muito ruins.

O copo meio cheio (ou mesmo 10% completo)

Quando você está em um bom estado de espírito, toma as melhores decisões. Isso porque se sente mais criativo, gera melhores opções e escolhe de forma mais racional. A gratidão, em particular, está poderosamente correlacionada com a felicidade, saúde e bem-estar geral.

Dar graças pelo copo 10% cheio (nem precisa ser a metade) vai lhe deixar mais feliz do que com os 90% vazio, que trarão irritação, e você estará em um quadro mental mais poderoso para investir seus esforços em conquistar um copo mais completo do que 10%.

A gratidão é uma habilidade

Você pode aprender a ser grato simplesmente praticando. Pegue um pedaço de papel e liste 10 coisas pelas quais você é grato. As coisas podem ser enormes (como uma herança) ou pequenas (ter alimento à mesa). Encontre coisas que lhe despertem gratidão e passe alguns segundos sentindo-se realmente grato por cada uma delas. Apenas deixe-se absorver pelo sentimento. Pronto! Você acabou de começar a praticar a gratidão.

Repetindo esse processo algumas vezes, você partir para a prática do vidro 10% cheio. Anote algumas coisas que lhe incomodam, frustram ou despertam raiva. Em seguida, reflita sobre cada um deles até que possa encontrar alguma situação para ser grato.

Se você ficou com raiva porque o carro emperrou no meio do caminho para o trabalho, você pode agradecer por ter tido tempo suficiente para pisar no freio e não ferir ninguém. Lembre-se: não se trata de encontrar o que é verdadeiro; trata-se de descobrir no que você pode ser grato, o que vai ajudá-lo a encontrar um estado de espírito com mais recursos positivos.

Use a gratidão com as pessoas que você ama

Se você quer turbinar o seu relacionamento, melhorar como casal, como família ou parceiro, tente praticar a gratidão. Invista 10 minutos antes de ir dormir listando as 10 coisas pelas quais você é grato em relação à outra pessoa.

Faça um exercício: primeiro você diz o motivo da sua gratidão e então o outro conta o seu. Alterne até que tenha declarado essas 10 situações em que você é grato para com o outro. Em pouco tempo, você verá seu relacionamento cada vez melhor. Mantenha essa prática leve e divertida. Pesquisas mostram que você só precisa de 2 ou 3 sessões por semana para obter o efeito completo da gratidão.

A gratidão transforma e tudo é mental. Ao concentrar-se nas coisas pelas quais você deve ser grato, estará colocando-se em um poderoso lugar mental para melhorar as coisas.

Um copo pode ser verdadeiramente 90% vazio, mas ser grato para os outros 10% que estão cheios dá-lhe uma vida mais feliz, mesmo durante o seu árduo trabalho para preencher o resto.

Pratique a gratidão explicitamente, mesmo depois que encontrar motivos para agradecer pelas coisas que lhe incomodam. Faça com o seu parceiro ou membros da família (filhos, pais, irmãos) duas vezes por semana e revolucione sua maneira de seu relacionar.

Trabalhe menos na ideia, faça mais, e tenha uma vida ótima!

Texto original em Quick and Dirty Tips
Tradução livre de autoria do blog.