Algas na alimentação – como beneficiar-se delas!

Conteúdo original Mais Equilíbrio

As algas, como são conhecidas as ervas marinhas, provavelmente fazem parte da sua alimentação diária e você nem se dá conta disso. Elas são usadas para muitas funções na culinária, como engrossar alimentos, e fazem parte até mesmo de coisas que usamos diariamente, incluindo medicamentos para emagrecimento e até cremes dentais.

Um estudo da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, Estados Unidos, mostra que um tipo de alga chamada “carragena” é frequentemente adicionada aos produtos lácteos para dar a eles uma consistência mais densa. E até produtos alimentares comuns como o creme de leite podem conter algas.

Alimentos que contêm algas

Quem está habituado com a culinária japonesa sabe que as algas são aproveitadas em sushis para revestir os rolinhos feitos de arroz. Aliás, a alga usada no sushi  é especialmente rica em vitaminas e nutrientes. Além do sushi, as algas servem também para engrossar shakes, e podem ser adicionadas à maionese para impedir que este alimento se liquefaça. Isso porque o ácido algínico presente na alga atua como um estabilizador ou emulsionante, garantindo a consistência mais firme da maionese.

A gelatina também é outro alimento que contém um tipo de alga chamado ágar. O agar é capaz de solidificar qualquer coisa a partir de uma forma líquida. Mas não pense que todas as algas podem ser consumidas. Apenas seis tipos são indicados para o consumo, e são eles:

  • Hijiki: tipo de alga de cor azul escura, que possui 14 vezes mais cálcio que o leite normal. Rica em fibras e minerais, como cálcio, ferro e magnésio, melhora a saúde e a beleza dos cabelos, deixando-os mais brilhantes.

  • Ágar-ágar: esta alga é uma mistura de oito tipos diferentes de algas vermelhas, sendo aproveitada em gelatinas de frutas e para encorpar molhos. O ágar-ágar atua como um regulador das funções do intestino, proporciona a sensação de saciedade, reduz os níveis de colesterol e ajuda a eliminar gorduras.

  • Espirulina: fonte de proteínas, esta alga pode ser polvilhada sobre alimentos ou colocada em sucos e sopas. Ela é também utilizada em forma de medicamento para controlar a fome e levar à perda de peso.

  • Kombu: usada em sopas, cozidos e refogados, a Kombu conta com alto teor de fósforo, potássio, cálcio e iodo, importante para o bom funcionamento da tireoide.

  • Dulse: rica em potássio, magnésio, ferro e iodo, é usada em medicamentos de controle da tireoide. Na culinária, pode colocada em saladas, sopas e molhos.

  • Nori: rica em proteína, cálcio, ferro, além das vitaminas A, B e C, contendo duas vezes mais proteína do que algumas carnes. Por conter muito iodo, ajuda na prevenção do bócio e hipotiroidismo. Auxilia a manter os níveis de colesterol sempre estáveis e previne problemas cardiovasculares, fazendo um bem enorme também à saúde da pele.

Sabendo de tudo isso, há inúmeros motivos para incluir as algas na sua alimentação e ter uma vida mais saudável!

ABC do Peixe: dicas de preparo, consumo e receita

Tem dúvidas sobre consumo e preparo de peixe? A Dicas Tathy Araujo, criadora da Confraria Trocas Saudáveis e especialista em pescados, ensina uma receita especial para a Páscoa e mostra como comprar, armazenar e cozinhar esse tipo de proteína:

 

ABC do Ovo

Já não é segredo que o ovo tem se tornado o protagonista da dieta de quem busca uma vida mais saudável, com menor ingestão de carboidrato e definição muscular. Fato é que, muito antes de “estar na moda”, ele já era a opção de proteína no prato da grande maioria dos brasileiros. De fácil acesso (hoje em dia nem tanto) e de prático preparo, o ovo é um alimento completo e de alto valor biológico. Mas, quanto de ovo se deve comer por dia?! Para ganhar músculos, é preciso mesmo consumir muitos ovos?! E a gema, não faz mal?! Como fica o colesterol?!

Buscando responder essas dúvidas e deixar aqui registrado uma espécie de manual rápido do ovo, compartilhamos as respostas esclarecedoras que a nutricionista Aline Quissak divulgou recentemente em sua conta no Instagram:

1)Você sabe os benefícios dos ovos, quanto comer, como e para quem é indicado?!

Benefícios:
  • Rico em Vitamina B5, que é diminuída durante o stress;
  • Proteina de alto valor biológico;
  • Gorduras do bem na gema (auxilia no hormônio da saciedade);
  • Rico em 13 nutrientes essenciais.
Quanto comer:
  • Isso depende da prescrição do seu nutricionista, mas não tem problema comer de 1 a 4 ovos por dia, ressalva para casos de doenças;
  • Ele possui colesterol, por ser um alimento de origem animal, porém seu consumo moderado e vinculado com alimentos ricos em betaglucanas, como a aveia, não eleva o colesterol sanguíneo. Individualidade sempre!
Para quem é indicado?
  • É indicado para perda de peso, devido ao alto valor de nutrientes que promovem controle hormonal do emagrecimento;
  • Para pessoas com dificuldade de foco e concentração;
  • Para pacientes com ansiedade e vontade exagerada de doces, dentre outras aplicações.

2)Gema mole ou não?!

Desde que o ovo seja de um fornecedor confiável, esteja bem armazenado (geladeira) e seja higienizado antes do uso (devido à salmonela e outros contaminantes), pode comer de acordo com a preferência do paladar de cada um.

3)Mexido, frito ou cozido?!

  • Mexido para quem tem muitos gases;
  • Frito, só se for com azeite de oliva (acidez 0,5, para cozinhar). “Mas não indico sua forma frita, pois a clara desnatura com a temperatura (ou seja, perde a proteína com contato direto ao calor).” Preparado tipo omelete, a gema atua como “protetora” da clara e não permite a perda de proteína – já que a gema suporta maiores temperaturas. Mesmo o ovo mexido é recomendado bater com o garfo primeiro para então levar ao fogo;
  • Cozido possui mais antioxidantes, mas atenção para não liberar o enxofre (aquele contorno esverdeado na gema). “Coloque a água para ferver e então adicione o ovo, contando de 8 a 10 minutos, retire e lave com água fria.” O enxofre produz mais gases.

4)Ovo caipira ou branco, tem diferença nutricional?!

Caipira tem diferença, sim! Devido a ração da galinha e consequentemente diferença no valor nutricional, especialmente vitamina A e E. Porém, caipira não é igual ao ovo vermelho, este só tem a casca e a gema de outra cor.

5)Como faço para escolher o ovo no supermercado, saber se ele está velho ou não?!

Tem aquela dica de colocá-lo na água e ver se boia ou afunda. Mas, não temos um copo com água no supermercado, não é?! Por isso atentem-se: Ovo velho tem a casca lisa, ovo novo é áspero e poroso. Pois o ar, com o passar do tempo, “lixa” a casca, deixando-a mais lisa. Depois que abre: no ovo novo, a clara é espessa tipo gelatina e não líquida, e a gema é centrada.

6)Posso guardar fora, na porta ou na prateleira da geladeira?!

Ovo é SEMPRE na geladeira, nada de usar aquelas galinhas de arame em cima da mesa ou do fogão! E coloquem em um recipiente na prateleira de dentro, não na porta (porta tem variação maior de temperatura e pode estragar seus ovos mais rapidamente). De preferência, comprem em locais onde o ovo é acondicionado sob refrigeração.

 

Café da Manhã para alérgicos

Conteúdo original Mais Equilíbrio

breakfast-1398259_960_720

O café da manhã tipicamente brasileiro costuma ser o tormento de muitos alérgicos: café preto ou achocolatado, leite, pão francês, manteiga, queijo minas e em alguns casos ovos mexidos. Embora seja o mais tradicional, não é o mais adequado nessa situação. Então, o que comer?

Todos já ouvimos pelo menos alguma vez na vida que o café da manhã é a refeição mais importante do dia. Igualmente ouvimos que muita gente acaba pulando essa refeição por falta de tempo, para poder dormir mais um pouquinho ou não sente vontade de comer pela manhã.

E se somado à alergia alimentar, essa refeição acaba ficando de lado mesmo. Mas para incentivar os alérgicos a investir nesse super parceiro, tornando-o um aliado para sua vida saudável, segue a receita do que é chamado de “café da manhã PEGH”.

cafe-da-manha-para-alergicos45-thumb-570

P = proteínas

O ovo é uma maravilhosa fonte de proteínas, mas para quem tem alergia, o grande lance é investir no grão de bico. Você pode, inclusive, usar junto com tahine nas receitas, assim você já tem uma excelente fonte de cálcio, para substituir o queijo e o leite.

Pasta de Grão de Bico

  • 2 xícaras (chá) de grão de bico cozida
  • 1 colher (sopa) de azeite
  • 1 dente de alho
  • ½ cebola pequena
  • 1 colher (chá) de suco de limão
  • 2 colheres (sopa) de tahine (opcional)

hummus-1058000_960_720

Bata tudo no processador. Se você gosta da sensação de mastigar, bata só o suficiente para unir os ingredientes ou até virar uma pasta. Pode congelar por 3 meses. Dica: divida em saquinhos de geladinho para consumo diário. Deixe na geladeira na noite anterior para descongelar.

E = energia

O pão francês é um vício nacional. Mas a tapioca já está tomando esse posto. Para quem gosta de recheios doces, pode bater frutas tipo: morango, manga, pêssego ou as frutas vermelhas no liquidificador com chia. Rende uma deliciosa e natural geleia.

strawberries-815057_960_720

Geleia de frutas

  • 4 xícaras (chá) de morango ou outra fruta
  • 4 tâmaras
  • ½ xícara (chá) de chia

Adicione os morangos e as tâmaras no processador e misture durante 1 a 2 minutos. Transfira para uma tigela e misture as sementes de chia. Leve à geladeira por duas horas para engrossar. Dura 5 dias na geladeira.

Outro substituto ao pão são os tubérculos: mandioca, cará, inhame e batata-doce. Eles podem ser congelados já cozidos, facilitando muito na correria da manhã, e ficam ótimos com a pasta de grão de bico.

G= gorduras

Para a cota diária de gordura pode-se adicionar ao cardápio o creme de castanha de caju, que pode ser usado doce ou salgado.

cashew-nut-1098177_960_720

Creme de castanha de caju

  • 1 xícara (chá) de castanha de caju crua
  • Até ½ xícara (chá) de água
  • Suco de 1 limão

Para versão doce, acrescente 2 colheres (sopa) de mel, melado ou xarope de bordo e para versão salgada, 2 colheres (sopa) de azeite e ½ colher (chá) de sal.

Coloque água quente nas castanhas e deixe de molho por 10 minutos. Bata tudo no processador. Vá colocando a água aos poucos até chegar na consistência de creme. Dura 10 dias na geladeira. Pode ser congelado por 3 meses, e enquanto você se arruma para sair, ou tira uma soneca de mais 5 minutos, ele pode ficar no forno aquecendo.

H= hidratação

O café preto não é um problema para os alérgicos, mas o açúcar pode ser. Muitos conseguem tomar café sem açúcar batendo com óleo de coco e manteiga ghee, mas em alguns casos, há necessidade de liberação do médico ou nutricionista para consumir a ghee.

coffee-1329298_960_720

Parece estranho mas é delicioso. Outras opções são chás de erva doce, camomila, capim cidreira puros ou em combinação com leite de amêndoas quente e canela. Para que tem dificuldade para comer pela manhã, as bebidas geladas e compostas com frutas, legumes e sementes são ótimas opções, ou ainda creme de frutas com granola para quem precisa mastigar para se sentir saciado.

Suco hidratante de melancia com gengibre e manjericão

watermelon-932748_960_720

  • 3 xícaras (chá) de melancia
  • ¼ xícara (chá) de manjericão
  • ½ colher (chá) de gengibre ralado

Bata tudo no liquidificador. Não é preciso acrescentar água. Pode ser congelado, mas sem os temperos. Para descongelar, deixe no liquidificador um pouco, e depois basta dar uma leve batida com os temperos para homogeneizar. Outra opção é congelar as frutas já descascadas e cortadas, e só bater pela manhã.

Receita: Hambúguer de Brócolis (vegetariano)

Nós amamos invenções criativas e inovações na cozinha que agregam muuuito valor na nossa vida equilibrada. E quem diria que hoje em dia seria possível degustar um hambúrguer sem qualquer tipo de carne, de vegetal e extremamente saboroso e nutritivo?! Se você tem criança em casa, ou aquele adulto meio sem vergonha mesmo, que faz careta para comer verdinhos, seus problemas acabaram! Esse hambúrguer de brócolis vai salvar suas refeições do mimimi 😉

Ele pode ser servido como acompanhamento a proteína (carnes, frangos e peixes), com uma boa salada ou mesmo ser a estrela do prato, se você for vegetariano. É excelente para a refeição das crianças e uma ótima maneira de inserir alimentos saudáveis de forma criativa.

O Brócolis é uma rica fonte de Vitamina C, fibras alimentares, beta-caroteno e proteína. Além disso é rico em vários minerais tais como o magnésio, cálcio, ferro, zinco e é um alimento com baixo teor calórico: fornece apenas 35 calorias por 100 gramas de sua porção. Convencemos?! Agora vamos ao que interessa:

Hambúguer de Brócolis

Receita compartilhada pelo instaperfil @Bem_estaresaude

Reprodução Instagram
Reprodução Instagram

  • 1 brócolis grande
  • 1 ovo grande
  • ½ cebola
  • 2 colheres de chá de alho picado
  • ⅓ xícara de queijo parmesão ralado
  • ⅓ xícara de farinha de amêndoas (pode ser farinha de aveia)
  • 1 colher de chá de sal
  • ¼ colher de chá de pimenta preta
  • Azeite para pincelar. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Pique o brócolis em floretes e pique também o caule separadamente. Coloque o brócolis e o caule em um processador de alimentos e pulse algumas vezes até que o brócolis seja totalmente picado. Adicione os ovos, a cebola, o alho, a farinha e o parmesão. Pulse novamente até misturar bem (cerca de 5 segundos de pulsos). Acrescente o sal e a pimenta na mistura.

Molde em forma de hambúrgueres e coloque em uma forma, com uma distância entre um e outro. Pincele com azeite e leve ao forno pré-aquecido. Se a forma não for antiaderente, forre-a com papel manteiga. Asse por 12-15 minutos de cada lado até dourar. Prontinho, é só saborear!

Leites vegetais: veja os prós e contras de cada um

Conteúdo original Minha Vida

table-933575_640

Os leites vegetais são opções saudáveis para uma dieta balanceada. Contudo, saiba que eles não substituem o de vaca. “Porque o tipo e a quantidade de proteínas são diferentes. Os leites vegetais são indicados para enriquecer o plano alimentar e para quem tem alergia à proteína do leite de vaca Para quem se preocupa com a obtenção de cálcio, abundante no leite animal, é essencial a suplementação no plano alimentar caso a bebida seja preparada de forma caseira”, explica a nutricionista Rita de Cassia Leite Novais.

As bebidas vegetais também possuem uma série de nutrientes que o leite de vaca não tem. Por isso, confira a seguir quais os principais nutrientes, benefícios, pontos negativos e cuidados ao consumir cada um dos leites vegetais.

Leite de amêndoas

almond-21502_640

O leite de amêndoas conta com boas quantidades de cálcio, vitamina E, potássio, magnésio, zinco, cobre, fósforo, fibras e vitaminas do complexo B. As vantagens deste tipo de leite em relação ao de vaca está no fato de ele ser rico em gorduras insaturadas, as famosas gorduras boas, e contar com fibras. “Assim, este leite auxilia no controle do colesterol e dos níveis de açúcar no sangue. Além disso, possui grande quantidade de potássio sendo benéfico para pessoas com pressão alta e problemas musculares”, explica a nutricionista Hannah Médici, membro do Instituto Brasileiro de Nutrição Funcional.

Porém, ele também possui algumas desvantagens em relação ao leite de vaca, pois conta com uma quantidade menor de proteínas por porção.

Apesar de ser saudável, é importante não consumir grandes quantidades do leite de amêndoas, já que ele é rico em gorduras. “Quanto ao armazenamento, lembrar-se de deixá-lo em refrigeração, conforme recomendações do fabricante ou se organizar para congelar, pois o período de validade é curto”, destaca Hannah Médici. Evite esquentar o leite de amêndoas, a melhor maneira de consumi-lo é frio.

Leite de aveia

oats-701299_640

 

O leite de aveia é rico em carboidratos, beta-glucanas, um tipo de fibra solúvel, ácidos graxos essenciais, principalmente o linoleico, e antioxidantes, como a vitamina E. As fibras presentes neste leite proporcionam uma série de benefícios. “Melhora o sistema digestivo e ajuda a controlar os níveis de colesterol e açúcar no sangue”, explica a nutricionista Rita de Cassia Novais.

Porém, quando comparado com o leite de vaca, o leite de aveia conta com uma menor quantidade de proteínas. Ele também possui menos gorduras do que os leites de oleaginosas. Por ter menos gorduras e proteínas e mais carboidratos, este leite não proporciona tanta saciedade quanto os outros leites, apesar de conter fibras.

glass-518042_640

Para obter todos os benefícios do leite de aveia é importante não exagerar no consumo, especialmente para quem está acima do peso. “Devido ao excesso de carboidratos presentes no alimento. Mas se combinado a uma fruta trata-se de uma excelente opção para iniciar o dia”, conta Hannah Médici.

Também é melhor consumir este leite frio. O alimento possui glúten, portanto, pessoas com intolerância à substância devem evitá-lo.

Leite de arroz

milk-933106_640

O leite de arroz conta com triptofano, aminoácido essencial e necessário para formarmos uma substância chamada serotonina, responsável pela sensação de bem-estar e que pode até contribuir para a diminuição da compulsão alimentar. Este alimento também conta com boas quantidades de vitaminas do complexo B e é rico em carboidratos.

Ele também possui mais micronutrientes do que o leite de vaca e não conta com gorduras saturadas, que em excesso podem causar problemas cardiovasculares, entre outros. Porém, conta com uma quantidade menor de proteínas. “Por isso, proporciona menos saciedade em relação ao leite de vaca”, diz Rita de Cassia.

Pessoas com níveis de açúcar no sangue elevados devem evitar consumir grandes quantidades deste leite, já que ele conta com grandes quantidades de carboidratos. Para preservar todos os nutrientes, consuma este leite frio.

Leite de soja

milk-642734_640

O leite de soja é rico em cálcio, proteínas, potássio e magnésio. Um dos principais benefícios do leite de soja está no fato de conter isoflavanas. Trata-se de um fitoquímico capaz de atenuar os sintomas da menopausa por participar da produção, do metabolismo e da ação dos hormônios sexuais. Em outras palavras, as isoflavonas atuam como um substituto do estrógeno (hormônio que sofre notável queda no período do climatério) e contribuem para a manutenção do equilíbrio hormonal.

Há uma polêmica sobre se o excesso de leite de soja pode causar problemas para a saúde ou não. Alguns especialistas defendem que como a soja é rica em isoflavonas, que são semelhantes ao hormônio feminino estrógeno, a concentração deste hormônio no organismo aumenta quando a pessoa ingere muito deste grão. Assim, existiria a possibilidade do consumo em excesso do grão por meninas ocasionar a puberdade precoce. Outro problema que poderia ocorrer é que a soja quando ingerida em grandes quantidades por homens prejudicaria a qualidade do esperma e consequentemente a fertilidade. Em ambos os casos ainda não se chegou a uma conclusão definitiva sobre se o alimento causa estes problemas de saúde.

Leite de castanha de caju

nuts-643393_640

Este leite possui proteína, ácidos graxos essenciais, principalmente ômega-9, e é a maior fonte de cobre, ferro e zinco entre as castanhas. A bebida contém ainda quantidades significativas de magnésio, manganês e fósforo.

Trata-se de uma bebida aliada do coração. “Por possuir grande quantidade de ômega-9 é um grande aliado na prevenção de doenças do coração e auxilia no aumento do HDL, o colesterol bom, e contribui para a diminuição do LDL, o colesterol ruim”, diz Hannah Médici. Além disso, o omega-9 pode auxiliar na melhora do humor e aceleração do metabolismo.

O leite de castanha de caju possui grande quantidade de gorduras boas que, apesar de serem saudáveis, em excesso levam ao ganho de peso. Por isso, é essencial não exagerar no consumo desta bebida. Outro ponto importante é ter cuidados em relação ao armazenamento e conservação em refrigeração, procure dividir este leite em porções menores para serem congeladas.

Como escolher carne, frutas, verduras e legumes

Conteúdo original de Bolsa de Mulher

Na hora de ir ao supermercado ou feira, mais do que ter à mão a lista de itens a ser comprados, é preciso saber como escolher carnes, frutas, verduras e legumes. Além de economizar, saber escolher os alimentos evita o desperdício.

fruit-426002_640

A nutricionista Priscila Andrade lista os detalhes que diferenciam um alimento pronto para o uso daquele que precisa ser descartado.

Como escolher temperos frescos

Cebola

Ingrediente coringa em muitas receitas, a cebola deve estar adequada para o consumo. A dica da especialista é ficar atenta a textura, que deve ser lisa e firme. “Além disso, o miolo não deve estar murcho, a superfície não pode ter furinhos e a casca não pode estar machucada”, ensina ela.

Alho

garlic-618400_640

Na hora de comprar alho, a especialista aconselha a prestar atenção na textura e aparência do alimento. Segundo ela, ele também deve estar liso e não podem apresentar machucados ou aspecto de alimento murcho. “O ideal é que a pessoa consiga tirar a casca para verificar se os dentes também estão em condições de consumo”, completa.

Como escolher legumes

Escolher os legumes pode ser uma tarefa fácil e rápida desde que a pessoa preste atenção aos detalhes certos. De acordo com Priscila, eles devem estar com a textura lisa, sem machucados e resistentes ao toque.

Batata

A batata requer um cuidado a mais, porque ela apresenta um indício importante de que não está boa para o consumo. “O ideal é que ela não tenha aqueles ‘olhinhos’, que são aqueles brotos que crescem quando a batata já está velha”, alerta a nutricionista.

Como escolher verduras

cauliflower-318209_640

Segundo a especialista, as verduras devem estar com a cor viva e sem furos ou machucados. Outra dica de Priscila é evitar aquelas com as folhas amareladas ou amolecidas. “As folhas orgânicas são as mais indicadas porque são cultivadas sem agrotóxico. Elas costumam ser menores, mais escuras e saborosas”, define ela.

Como escolher frutas

Para escolher frutas que possam ser 100% aproveitadas, a dica da nutricionista é prestar atenção ao cheiro, cor e textura. “As frutas devem estar cheirosas, firmes, de cor sempre bonita e sem machucados”, afirma.

Abacaxi

Para garantir que o abacaxi esteja no ponto certo, a especialista ensina um truque. “Para saber se o abacaxi está pronto para o consumo, basta tirar uma das folhas de sua coroa. Se sair fácil, é sinal que de ele está bom”, ensina Priscila.

Laranja, limão e frutas cítricas

21-16-47-43_640

Na hora de escolher frutas cítricas, como laranja e limão, a dica da nutricionista é analisar a casca da fruta, que deve estar lisa e brilhante. “Além disso, eles devem estar macios ao toque para garantir que estejam suculentos”, completa.

Como escolher proteínas

Carne vermelha

De acordo com a especialista, para não errar na hora de comprar carne bovina o truque é ficar atenta à cor do alimento. “Elas devem estar sempre com a cor vermelho vivo e brilhante. A gordura deve estar sempre clarinha, porque quanto mais amarelada, mais “velho” era o animal”, diz ela.

Frango

chicken-762531_640

Para garantir que o frango esteja bom para o consumo, a dica é escolher aqueles com a pele úmida, odor agradável e cor uniforme por toda extensão do pedaço. “Nesse caso, a cor amarelada apenas significa que o frango pode ser do tipo caipira”, ensina a nutricionista.

Peixe fresco

Segundo Priscila, o peixe fresco é aquele que tem odor suave e textura firme. “No caso de peixes inteiros também é preciso ficar atenta aos olhos, que devem estar brilhantes e úmidos, e a pele que deve estar com cor vibrante”, completa.

Como comprar alimentos enlatados e em caixinhas

No caso das embalagens de lata ou embalagens tetra pak, a dica é prestar atenção se elas estão amassadas ou estufadas e evitar produtos com esses problemas. “Isso ajuda a garantir que o alimento não esteja contaminado”, explica a especialista.

Como comprar grãos: feijão, arroz e outros

red-beans-587592_640

De acordo com a nutricionista, a compra de grãos requer atenção em dois pontos importantes. “O primeiro é a existência de buraquinhos nos grãos. Isso traduz a presença de carunchos e bichinhos”, afirma ela. Outra dica é reparar se a embalagem possui algum tipo de farelo no fundo. “Isso também é indício de que bichinhos passaram por lá”, finaliza.