Publicado em Saúde e Bem-estar

Mesmo no frio, excesso de sono pode ser sinal de alerta

Conteúdo original Revista Suplementação

Que o frio do inverno faz um convite irresistível para uma cama quentinha e um filme, todo mundo sabe. No entanto, a vontade permanente de querer dormir ou até mesmo de ficar deitado pode ser um alerta emitido por nosso organismo. Quem dá o aviso é o médico Theo Webert, que atua em nutrologia e qualidade de vida.

Segundo ele, é normal sentir vontade de se jogar na cama depois de um dia todo fora de casa, mas todo o excesso precisa ser bem observado. “Sentir aquela fadiga incompreensível por vários dias consecutivos é sinal de que algo não vai bem com sua saúde. Quando digo saúde, me refiro tanto a saúde física como mental”, afirma.

O especialista elenca que sedentarismo, desequilíbrio hormonal, má alimentação, estresse e sono acumulado são alguns dos problemas que contribuem para o cansaço. “Se não tratado, pode provocar baixa autoestima, enxaquecas e até outras doenças no organismo como psoríase e gastrite,”, revela.

A alimentação bem regulada é, para o médico, a melhor alternativa para despistar e evitar sintomas da fadiga. “O grande segredo de nosso corpo é respeitá-lo e isso começa com uma dieta saudável, que reequilibre nossas funções vitais, valorizando sempre a alimentação rica em frutas e verduras frescas”, lembra.

Além disso, continua, praticar exercícios físicos e relaxar pode não só ajudar como também prevenir o problema. “Em todo caso, sempre é bom procura uma avaliação médica, já que cada corpo é um universo”, ressalva.

Fonte: Theo Webert

Anúncios
Publicado em Saúde e Bem-estar

Acúmulo de funções no trabalho e na vida doméstica está afetando a saúde das mulheres

Conteúdo original Pequenas Empresas & Grandes Negócios

Um m novo estudo publicado pela Universidade Nacional da Austrália aponta um aspecto perigoso para as profissionais do sexo feminino: sua saúde está sendo comprometida por conta de longas horas de trabalhos combinadas com as tarefas domésticas. A pesquisa mostra que, por conta do trabalho extra que têm de realizar em casa (na maior parte das vezes sem ajuda de seus companheiros), as mulheres deveriam trabalhar 34 horas por semana. Este, dizem os especialistas por trás do estudo, seria um limite saudável para as profissionais – enquanto o do homem seria de 47 horas.

A verdade, contudo, é que a maior parte dos empregos exigem muito mais do que 34 horas por semana. Dados de 8 mil adultos australianos apontaram que dois terços dos funcionários do país trabalham mais de 40 horas semanalmente.

“Os homens têm uma vantagem que as mulheres não têm. Trabalhar por muito tempo afeta a saúde psicológica e física de qualquer pessoa, porque deixa pouco ou nenhum tempo para que cuidem de si mesmos propriamente”, diz Dr. Huong Ding, líder da pesquisa. “Dada a extraordinária carga de demandas colocada sob os ombros das mulheres, é impossível que elas continuem mantendo uma rotina assim sem comprometer sua saúde.”

Dados da OECD (Organisation for Economic Co-operation and Development) apontam que uma mulher se dedica 4,5 horas às tarefas do lar, enquanto os homens contribuem com menos da metade desse tempo. A professora Lyndall Strazdins, coautor do estudo da universidade australiana, chama essa comparação de “desigualdade de tempo”. “Homens tem uma vantagem de tempo no mercado de trabalho que a mulher não tem”, diz.

Na média, os homens australianos trabalham 41 horas por semana, enquanto as mulheres somam 36 horas. O que a professora acredita, contudo, é que eles conseguem ficar essas horas a mais no escritório porque podem, porque têm menos responsabilidades na vida doméstica.

A diferença de tempo entre a carga de trabalho de um homem e uma mulher pode chegar, então, a 100 horas por ano. A questão é complicada porque pode virar uma faca de dois gumes. Se nós encorajarmos mulheres a compensarem essa diferença de horas, nós basicamente estamos convencendo-as a trocar sua saúde por igualdade de gênero”, diz Lyndall.

A solução, a pesquisadora acredita, é conseguir reduzir a carga horária de homens no trabalho e torna-los mais atuantes na vida doméstica e familiar. “É um processo demorado e difícil porque representa uma grande mudança social.”

Publicado em Equilibrando, Saúde e Bem-estar

A importância da mente sã para a conquista do corpo são

Hoje em dia é muito comum conhecer casos de pessoas que sabem que precisam cuidar mais do corpo e da saúde, perder peso, entrar em forma, mas não fazem nada para que esse plano mental vire realidade e se estabeleça na vida. Você conhece alguém assim? Você é assim? Esse comportamento vem se repetindo e multiplicando por causa de um fator essencial na conquista do equilíbrio: controle psicológico.

E não se trata de loucura ou disparate ocasional não. A saúde psicológica interfere diretamente na saúde física, passando intimamente pelo comportamento alimentar, auto-estima e auto-imagem.

brain-coral-200792_640

Uma pessoa que não é feliz com o seu corpo ou com a sua vida, de uma forma geral, tende a descontar suas perdas e insatisfações na comida. Pode ser que isso gere problemas maiores, como a obesidade ou problemas relacionados ao ganho excessivo de peso como colesterol ou diabetes, ou menos graves, mas ainda assim preocupantes, como isolamento social, tristeza profunda e introspecção emocional.

A nossa mente é um ambiente muito peculiar e propício a diversas situações. E essa capacidade enorme de funcionamento pode pesar ao lado positivo, negativo ou ao equilíbrio, que é o estado ideal.

Sempre falamos sobre isso aqui e por aí é o que mais se vê ou ouve: o sucesso do emagrecimento e da saúde física está em aliar uma alimentação saudável à prática de atividade física. No entanto, a peça chave que fica implícita nesse processo é o equilíbrio psicológico.

woman-254133_640

A gente começa a emagrecer no cérebro. É a partir daquilo a que você se determina no íntimo que as peças do lado de fora, na vida, começam a se movimentar. Vem da nossa capacidade de planejamento e objetivação dos planos. Você primeiro estrutura suas ações no cérebro e depois as executa. Acontece todos os dias e a todo o momento.

Mas porque quando se trata de emagrecimento, você não consegue levar adiante? Isso acontece pela falta de start. Pela ausência de uma consciência, que é difícil de explicar, mas que se configura no momento em que você realmente se determina a fazer acontecer.

Por isso é tão difícil que certas pessoas comecem e mantenham um plano de reeducação alimentar e de exercícios físicos. Cada um tem seu tempo e suas necessidades. E por isso também é tão surpreendente ver pessoas que conquistam o corpo dos sonhos, e reconquistam a saúde, batalhando diariamente dentro do máximo possível, mesmo sem dinheiro pra pagar academia.

physiotherapy-595529_640

O seu estado psicológico determina os rumos da sua vida, sim! Pode ser os relacionamentos que não vão pra frente, os planos que não dão certo, o emprego que está ruim, o dinheiro que não rende, desentendimentos familiares etc… Enquanto seu sua mente está mergulhada em problemas e rolos que tomam o tempo e a sugam as energias, todo o resto, que também é importante, fica para depois, num segundo plano que acaba sendo negligenciado e nunca colocado em prática.

Para dar certo, você precisa manter-se bem, em estado de equilíbrio, valorizando suas conquistas, e derrotas (claro! por que não?), e consciente de que você é importante e também merece ocupar o primeiro lugar. Dê-se tempo, todos os dias. Um tempo para cuidar de si e lembrar do que realmente importa. Ninguém precisa perder por isso (nem marido, nem filhos), pois estar bem para si é estar bem para os outros.

pregnant-422982_640

Devemos nos lembrar sempre: a vida começa de dentro para fora.